Diretor cinematográfico do 18º filme revela curiosidades e detalhes da longa e curta-metragem!


O diretor cinematográfico, Kunihiko Yuyama, responsável pela organização de produção da longa e curta-metragem do 18º filme Pokémon, realizou uma entrevista exclusiva e falou sobre alguns aspectos interessantes dos mesmos.
Confira na íntegra a entrevista:

- Que tipo de filme foi esse?
Primeiramente, este é um filme em que há muitos Pokémon lendários. Este é obviamente um requisito básico para fazer um bom filme, e é isso que nós fizemos. Eu, particularmente gostava da ideia deles (Pokémon lendários) aparecerem todos juntos, o que não teria sido possível sem o poder do pequeno Hoopa, isso, com os seus anéis, que pode trazer à tona tudo que ele quer, independentemente da localização de objetos ou pessoas que querem evocar.

- A forma alternativa de Hoopa, comporta-se como inimigo de Ash e seus amigos. Por que isso?
O que foi confinado na Prison Bottle, de fato, é o verdadeiro poder de Hoopa. Por causa do período interminável de cativeiro, seu poder foi acumulando uma "raiva" indescritível. Então você pode dizer que a forma alternativa de Hoopa é a raiva na forma física do pequeno Pokémon. Caberá a Ash e o verdadeiro Hoopa derrotar a ameaça iminente.

- O pequeno Hoopa encontra Ash e seus amigos, e acabam vivendo uma aventura juntos. Então, qual é a relação entre Ash, Pikachu e Hoopa?
O relacionamento deles é semelhante à suas características, como por exemplo: Ash e Pikachu tem uma alma pura e Hoopa é inocente, porém o que mais me cativou nesse filme, foi que ele desenrolou uma situação muito diferente que se desenvolveu no filme de Kyurem, pois Keldeo foi impulsionado por um forte senso de dever, e Ash estava tentando encorajá-lo disso. O relatório indicou que a relação entre Ash e Hoopa neste filme é muito mais espontâneo.
Hoopa não ajudou Ash, somente para acabar com a ameaça de sua forma alternativa, ao senso de dever, mas por uma questão de superar as dificuldades juntos. A construção desta ligação é o resultado de mera amizade entre ele e Ash.
Hoopa é capaz de fazer tudo com seus anéis, e que também serve para fazer as pessoas felizes. Um dos grandes temas do filme é a descoberta de coisas importantes, coisas que só podem ser invocadas por anéis, mas que vêm do coração. Falo, naturalmente do laço de amizade.

- Em relação a curta-metragem:  É verdade que a música, com exceção do símbolo, foi feita inteiramente com as vozes de Pokémon?
Sim, há partes em que os Pokémon atuam e se comportam como se fossem ferramentas musicais, ou seja, sua canção é transformada em canção, ou melhor dizendo, em uma percussão vocal. E, é claro, também há efeitos sonoros.

- Que tipo de história se reproduz no curta?
Essencialmente, a história reproduz um concerto que será realizado durante o festival da floração das bagas, e terá lugar em uma floresta. Mas é claro que nossos amigos terão que superar muitas dificuldades antes que possa começar a festa. Nós estaremos cantando um monte de músicas durante o curta-metragem, que irá torná-lo uma espécie de musical.

- O enredo parece promissor. Ele significa algo para o público que irá assistir?
Esses Pokémon são tão felizes e despreocupados quando cantam e dançam, e isso me faz querer dançar e cantar no teatro da mesma forma. Mas o nosso narrador, Mizuki Yamamoto, vai acompanhá-los no cantar: não estará sozinho! Eu ficaria muito feliz em saber se o público cantasse junto com o filme, mas é claro que, não podemos prever o futuro e descobrir se esse trabalho será de satisfação para a audiência. O que eles vão pensar do musical feito por Pokémon? Será uma surpresa para nós! Eu só posso dizer que os Pokémon aparecem... do passado, o que me leva de volta no tempo e me faz "um pouco nostálgico".

- De onde tirou a ideia de criar uma performance musical, baseada nas canções de Pokémon?
Eu sempre achei os sons dos monstrinhos muito interessantes e variados e eu estava ansioso para a criação de um programa como este, talvez porque a série animada é maravilhosa. Então, no ano passado, eu decidi implementar esta ideia, juntando-se as canções de Pokémon para criar uma melodia inteiramente nova. Primeiro, fez-se uma "demonstração", ou seja, uma pré-visualização do filme musical, e, em seguida, nós projetamos com os versos de alguns Pokémon. Este projeto tem permanecido na minha cabeça por 19 longos anos, e agora era hora perfeita de colocá-lo em prática!

- Quais os problemas encontrados no processo de criação do curta e longa-metragem?
Este trabalho é totalmente diferente dos anteriores que realizei até hoje. Primeiro, e talvez o mais importante, é que tivemos que gravar os vocais com antecedência. Normalmente nós dublamos no final, mas desta vez nós começamos a gravação da música para uma pré-visualização do qual falei antes, e só depois houve uma versão de demonstração. Eu lhe asseguro que não foi fácil, porque nós tivemos que apagar e regravar tudo, pelo menos, três vezes. Assim, o trabalho é dividido em composições e mais tarde para a criação do cenário. E então, é claro, na união das duas coisas. Isto significa que tivemos que reivindicar os Pokémon e sincronizar a música cantada por eles. A gravação da canção, também, foi dividida em três ou quatro partes.
Tudo para nós, neste contexto, era novo: semana após semana, experimentando coisas novas. Se você começar um trabalho que você não conhece ou que você nunca fez antes, é normal ocorrer alguns riscos. Eu posso imaginar quantas vezes fizemos algo errado e tivemos que começar desde o início!


Fonte: Pokémon Millenniun
Revisão: Diego










----------------------------------------------------------------------------
Faça parte da nossa equipe!
----------------------------------------------------------------------------
em 18/07/15
Comentários
Disqus

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!