Mothim Top 6: As possibilidades de um time Pokémon


Um Pokémon sozinho não faz nada, por trás de um grande treinador, existe não só uma grande estratégia mas, também um grande time. Não se trata de escolher seis monstrinhos aleatórios, mas sim trabalhar cada equipe com sinergia e força.  Para começar, cada time deve encabeçar uma estratégia unica, como por exemplo, um time stall deve focar em defender mais do que ataca. Um time bulky deve bater tão bem quanto defende, e por ai vai. Alguns times são até pensados apenas para favorecer um Pokémon em campo. Como em esportes como o futebol, não existe um camisa 10 sem o apoio de sua equipe, a bola deve chegar até o gol de alguma forma, com Pokémon é a mesma coisa. 

Mas existem uma infinidade de times Pokémon que podem ser montados, na verdade é um número infinito de possibilidades, entretanto, existem possíveis bases que podem ser tomadas.
O primeiro passo antes de começar a montar um time é ter uma ideia na cabeça. Não sou eu que estou dizendo, mas 99% dos jogadores competitivos estão. Passar times e mais times para o 3DS pode ser uma tarefa bem cansativa, falo por experiência própria. De 10 times que testar no Showdown, 2 no máximo você irá passar para o 3DS. É importante que antes de um torneio presencial, você selecione qual o time que irá transferir para facilitar seu trabalho.


O atributo mais importante que um time Pokémon deve ter é a sinergia. Um time deve funcionar bem em conjunto, de modo que cada Pokémon cubra os pontos fracos de seus companheiros, quase formando um ciclo. Isso se chama core. Um bom exemplo de core é de Mega Venusaur, Azumarill e Talonflame, um conjunto muito utilizado no começo da geração XY. Azumarill sofre para tipos planta, talonflame bate nos tipo planta, mas sofre com os tipo agua, Venusaur bate nos tipo água mas sofre com os tipo fogo, Azumarill bate nos tipo fogo... Entende? É possível montar no mínimo dois cores por time, (ou fazer do seu time um core gigante, por que não?) cada core pode ou não operar sozinho, é importante saber que eles devem trabalhar em sincronia, ou a estratégia cai. Um segundo exemplo é um core muito utilizado na tier NU que é de Gurdurr, Liepard e Musharna.


Stall

Vamos começar falando dos times stall. Traduzido ao pé da letra, enrolação. Um time stall tem como prioridade cansar o oponente e vencê-lo psicologicamente. Os treinadores que jogam de stall geralmente não tem pressa para vencer, vão perturbar cada monstrinho oponente com queimaduras, paralisias, confusões e muito mais, enquanto sujam o campo com entry hazzards e buffam suas defesas ao máximo, se tornando uma parede impenetrável. Geralmente o setup desses times podem ser feitos de diversas formas, mas os dois mais usados seriam:

wall/wall/wall/support/support/sweeper/support

Lembrando que isso pode variar, e muito.


Standart

Nada muito surpreendente nos times standart. Esses times são os mais equilibrados e são os mais indicados para iniciantes, embora um treinador experiente possa tirar tanto proveito quanto. Eles consistem em ter uma estratégia elaborada, seja levantar um suporte, ou um atacante até onde precisa, mas são times maleáveis que podem operar de forma precisa sem alguns de seus membros. Geralmente esses times levam o seguinte setup:

lead/p.sweeper/s.sweeper/suport/p.wall/s.wall/



Full offense

Ao contrário dos times stall, os que jogam com full offense querem vencer o oponente de forma, prática e eficaz na base da força bruta. Aqui os treinadores optam por monstrinhos com as maiores taxas ofensivas, mas esse tipo de time tem uma falta de defesa nata, por isso sempre contam com bons suportes para impedir avanço inimigo. Monstrinhos que buffam seus atributos ofensivos tais como Scizor e Azumarill são mais que bem-vindos. Esses times se destacam por contar com 4 sweepers de forma que os ataques brutos ao oponente sejam constantes. Quando dois desses times se enfrentam as batalhas duram muito pouco. Seus setups variam, chegando a variações de 6 sweepers, mas seu setup mais indicado seria:

f.sweeper/f.sweeper/s.sweeper/s.sweeper/suporte/wall

VGC

O VGC é a forma oficial de se competir em Pokémon e consiste de batalhas em dupla. Cada time deve trabalhar com o dobro de sinergia. Os times de VGC se consagram na arte de saber como e quando utilizar os melhores atributos de seus monstrinhos. O diferencial dessa modalidade é que dos seis monstrinhos, apenas quatro se enfrentam e dois ficam na reserva, geralmente as partidas são em melhores de 3. A modalidade é a oficial introduzida pela Nintendo em 2009 e desde então é a norma padrão nos torneios regionais, nacionais e no mundial de Pokémon. Atualmente o cenário está se desenvolvendo de forma agressiva no Brasil e na América do Sul no geral, esse ano diversas vagas para brasileiros estão abertas para o mundial que começa mês que vem! Um dos momentos mais notórios, mostrados na arte acima, foi quando um Pachirisu consagrou um coreano o campeão do mundial de 2014.

VGC é uma modalidade unica e cada treinador tira um proveito próprio. É difícil dizer setups e estratégias para essa forma de batalha que vive pela criatividade do treinador. O importante é encontrar uma dupla de monstrinhos que se complete e montar times baseados nessa ideia. Não é difícil, tente!



Bem treinadores, a verdade é que nenhuma dessas dicas serve de nada se você não tiver criatividade. Seguir o metagame é importante, mas vem de você como vai usar cada Pokémon. Investir em determinadas estratégias é inevitável em um jogo competitivo, mas a forma que serão usadas só depende da sua capacidade. Por isso, escolha o time que mais se encaixa na sua personalidade e no seu jeito de jogar, antes de mais nada, avalie o seu jeito de jogar. E lembre-se, nenhum time é perfeito, todos tem pontos fracos, e todos vão sofrer derrotas.

Por hoje é só treinadores, semana que vem volto para falar sobre a Sinnoh Classics, torneio que rola no PGL em Julho! Boas batalhas!

em 02/07/16
Comentários
Disqus

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!