O que as evoluções dos starters dizem sobre sua personalidade Parte 2



Muita gente já tem os jogos da sétima geração em mãos. Após uma onda fortíssima de vazamentos as próprias versões Sun e Moon tiveram suas ROMs vazadas, portanto muitas pessoas já debulharam os dados do jogo. Como era de se esperar um último trailer dos jogos foi ao ar recentemente. Além de confirmar as evoluções finais de Rowlett, Litten e Brionne, tivemos algumas informações novas como a aparição de Red em Alola.

Agora que as formas finais dos Pokémon iniciais de Alola foram oficialmente reveladas, tivemos alguns detalhes novos os quais me possibilitam dar continuidade ao primeiro post dessa série. Se você ainda não leu, dá uma olhada antes e depois continue daqui.

Como eu disse no artigo anterior, muitas pessoas seguem indecisas com qual monstrinho começar a aventura por Alola. Os Pokémon iniciais são nosso primeiro contato com a fauna do novo mundo que iremos explorar, estarão ali até o fim de sua aventura, quase sempre na liderança de seu time e tendo total confiança sua. No primeiro estágio, o inicial é inexperiente e jovem, muitas técnicas novas são aprendidas em um curto espaço de tempo, preparando-o para o segundo estágio evolutivo, onde novas características irão aparecer de forma gritante. Como por exemplo, os Turtwig quando evoluem em Grottle perdem 90% de sua mobilidade e os monstrinhos dessa espécie tem dificuldade psicológica para lidar com isso. O mesmo acontece com os Snivy que perdem seus braços ao atingir seus estágios evolutivos. No terceiro estágio evolutivo é quando o Pokémon finalmente aprendeu a lidar com todas as técnicas e características novas q adquiriu ao longo do tempo e cabe ao treinador e ao Pokémon respeitarem as suas forças em conjunto. Hoje vamos falar dos estágios finais dos iniciais de Alola e como a personalidade de suas espécies são.

Todos os dados abaixo retirados do site oficial de Pokémon Sun e Moon com algumas romantizações baseadas na psicologia humana. 

Decidueye


Como dito anteriormente, os Rowlett crescem de forma habilidosa e tendem a ser confiantes até de mais. Quando evoluem para Datrtrix, um erro pode gerar uma queda brusca na confiança desse monstrinho deixando-o ansioso e desajeitado em situações de risco. Se o treinador de Dartrix for rígido e paciente, logo ele melhorará seus defeitos natos, dominará suas habilidades e evoluirá em Decidueye.

Os Decidueye são pacientes e calmos por natureza, dominando a fase ansiosa, desajeitada de seu estágio anterior, mas mantendo seu perfeccionismo. Em menos de um segundo esse Pokémon é capaz de disparar uma pena em formato de flecha que pode trespassar quaisquer oponentes, tanto distantes quanto próximos. Naturalmente, essa espécie adquire essa calmaria e paciência para poder caçar nas florestas densas, podem ser necessárias horas até que atinjam um alvo, seja por território ou por caça. Por tanto, os Dartrix que não souberem lidar com seus anseios, não serão fortes o bastante para sobreviver. Mas não se enganem, os Decidueye não são perfeitos, muito pelo contrário. Em situações  em que são pegos de surpresa, ou que algo em seu padrão mude, eles ficam extremamente nervosos e afobados, sendo monstrinhos muito ariscos. Se o treinador tiver cuidado bem de seu Rowlett desde o início, souber lidar com seu Datrix, terá a confiança de seu Decidueye.


Incineroar

Após a frieza de Litten fazer com que seus treinadores os mimem de mais, acabam se tornando um Torracat mais mimado e ''estragado'' muitas vezes com muita confiança de que seu treinador irá prover tudo que ele precisa. Mas no fim, com uma boa disciplina e batalhas mais árduas, os Torracat irão perceber sua verdadeira força e seu orgulho aumenta de forma exponencial.

É então que um Torracat evolui para Incineroar. Incineroar agora possui um ''cinturão de chamas'' que se torna mais forte e quente conforme batalha, e é dali que irrompem seus ataques de chamas. O problema é que Incineroar não pode controlar seu espirito de batalha, que cultivara desde que pequeno. O fato dos treinadores se verem obrigados a posiciona-los diante de batalhas mais desafiadoras no estágio anterior, (de forma que o Torracat se tornasse mais disciplinado) os fez mais durões. Muitas vezes, procurando uma luta mais frenética, os Incineroar esquecem do adversário atacando-o sem ter noção de sua força, as vezes até atingindo o treinador oponente. Por isso em Alola os Incineroar são vistos com certo receio pelas pessoas que preferem se afastar dele. 

Não é recomendado que treinadores sem experiência treinem um Litten para evolui-lo em Incineroar, pois ira ser muito difícil, podendo afasta-los. Entretanto, se um treinador habilidoso treinar um Incineroar e ensina-lo a respeitar sua força, eles demonstrarão uma natureza dócil e amigável com humanos e Pokémon. É dito que naturalmente, os Incineroar são muito justos em suas lutas, não lutando com monstrinhos mais fracos ou feridos. Um fato curioso é que, por algum motivo os Incineroar adoram crianças e ficam muito felizes se uma criança os elogia durante uma luta. Mas é claro, que ele não gosta de demonstrar esse sentimento. E mais claro que isso, que nenhuma mãe em bom estado mental deixaria uma criança perto de um Pokémon desse sem proteção.


Primarina

Quando Poplio evolui em Brionne, a dança vira algo corriqueiro para esse monstrinho aquático. Brionne é extremamente apegada ao seu treinador, mas apenas se abrirá de verdade para um treinador o qual se dedique e cuide muito bem dela. Sendo assim, Brionne terá forças e potencial para aumentar seus poderes e evoluir em Primarina.

Quando evolui em Primarina, esse monstrinho aprende a usar não só seus balões e movimentos de dança, mas agora sua voz. É dito que as colônias de Primarina, Brionne e Poplios são identificadas, umas das outras, pelo tipo de canto que as Primarina dessas colônias fazem. Muitas vezes esses Pokémon se reúnem em alto mar apenas para cantar e fazer balões que refletem o luar. Os balões que aprendera ainda quando um Poplio agora estão mais fortes e Primarina pode controlar até quando eles irão explodir.

Entretanto, Primarina deve estabelecer uma relação de confiança com seu treinador para que atuem com 100% de foco nas batalhas. Mas é necessário que o treinador respeite esse monstrinho, sabendo seus limites, pois as Primarina tem dificuldade em rejeitar uma ordem de seu treinador, ou demonstrar que está descontente. Ela é extremamente empática com humanos e Pokémon, o que pede um senso de seu treinador para saber quando ela está cansada. Um uso exaustivo de sua voz em combates consecutivos pode levar a um problema de garganta grave e não poder usar sua voz deixaria esse monstrinho extremamente deprimido. Por isso o treinador deve ficar atento aos padrões de sentimentos desde Poplio.


Antes de terminar, quero dizer que todas as artes sensacionais desse post foram feitos pelo deviantart
AII0412 e ele tem vários desenhos incríveis de monstrinhos de diversos tipos.

Bom galera, vou ficando por aqui. Em Pokémon Sun e Moon, sabemos que os laços entre treinador e Pokémon estão sendo explorados de uma forma maior do que em outros jogos, graças ao Z-Ring e os Z-moves. Com as novas tecnologias e um empenho formidável da Gamefreak, os Pokémon estão cada vez mais vivos e interativos, o que chega a ser emocionante para quem acompanha a franquia desde o começo. Falta só uma semana treinadores, fiquem de olho na Mothim para novidades que possam sair a qualquer momento!


Se você gostou do artigo e de seu formato, me siga no Medium, onde tem mais alguns artigos meus e novos saindo periodicamente, dos mais diversos assuntos, principalmente games. De uma olhada lá clicando aqui
em 11/11/16
Comentários
Disqus

Um comentário:

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!