logo

Pokémothim

Artigo - A História Perdida de Pokémon Ruby & Sapphire

Nos anos 2000 a internet estava engatinhando se compararmos como ela é hoje. Notícias eram em sua maioria vinculadas através de revistas, programas de televisão, eventos e em sua minoria em sites. Muitas pessoas ficam perdidas e confusas ao procurar informações, que muitas vezes são inexistentes na internet, sobre o lançamento dos jogos da terceira geração de Pokémon, Ruby & Sapphire. Então decidi traçar essa narrativa usando entre as poucas coisas que tem na internet, muitas notícias das revistas Pokémon Club Evolution, Nintendo World e Nintendo Power da época (2001 a 2003). Esse artigo é o que chamo de a História perdida de Ruby & Sapphire.

Planejado para lançamento em março de 2000, o Game Boy Advance, novo vídeo game portátil da Nintendo, traria a responsabilidade de manter, ou até mesmo superar, o legado do seu antecessor, o Game Boy. Naquele ano as expectativas estavam altas para as inovações que o novo portátil poderia trazer com seus novos jogos. Mas um desejo específico estava na boca dos consumidores, um novo jogo da franquia Pokémon para o console. Desde antes do lançamento do console, que acabou sendo lançado só em 20 de março de 2001, os fãs já criavam teorias e expectativas em torno desse possível novo jogo apelidando o de Pokémon Advance.

Poucos dias antes do lançamento do Game Boy Advance, a Nintendo realizou uma coletiva de imprensa no Japão durante o dia 7 de março de 2001, que começou com Satoru Iwata, então chefe de divisão de planejamento corporativo, fazendo um discurso sobre as intenções de trazer jogos de Super Nintendo para o Game Boy Advance, novos jogos e inovações. Após seu discurso, Iwata passa a palavra para Tsunekazu Ishihara, na época presidente da Creatures inc.. Ishihara  apresentou o que na época era chamado de GBA E-CARD, um leitor de códigos parecido com o BARCODE BOY da Epoch, um acessório que leria códigos impressos em um novo tipo de cartas Pokémon e exibiria informações e até mesmo habilitava mini games.

Para finalizar, Ishihara revela planos da Game Freak para um novo jogo da franquia, que visava ser lançado para o Game Boy Advance, chamado pelo nome provisório de Pocket Monsters Game Boy Advance Version. Já nessa apresentação foram mostrados 3 novos Pokémon, Kecleon, Wailmer e Azurill, e um humano denominado "treinador". Os fãs poderiam conferir esses novos Pokémon no quarto filme da franquia durante o mini filme do Pikachu que seria exibido antes do longa.

O ano passou em branco de informações sobre o jogo. Na E3 de 2001, que aconteceu de 17 a 19 de maio, a presença dos monstrinhos de bolso foi menor que a do ano anterior. A apresentação da versão completa de Pokémon Crystal e do leitor de código que foi rebatizado para Card-e-Reader, que agora tinha data de lançamento anunciada para dezembro no Japão, não satisfizeram os fãs da franquia. Nenhuma informação sobre o prometido jogo foi anunciado.

Para diminuir o anseio dos fãs, Peter Main, Vice presidente da Nintendo of America da época, afirmou durante uma conferência na Nintendo Space World que o novo jogo seria revolucionário mas só teríamos novidades sobre ele no começo de 2002.

Aparição dos novos Pokémon no quarto filme da franquia

O ano de 2002 começou com um estrondo no mundo Pokémon.

Tudo começou com a revelação do teaser poster do quinto filme da franquia, onde mostrava os novos Pokémon Latios e Latias. O filme, que no Japão foi batizado de Pocket Monsters The Movie - Guardian Gods of the City of Water: Latias and Latios e nos Estados Unidos de Pokémon Heroes: Latios and Latias, teve data de lançamento marcada para 14 de julho de 2002 no Japão e mostraria além dos lendários os novos Pokémon Wynout, Volbeat e Duskull.

Em adição as revelações do novo filme a edição de janeiro da conceituada revista Famitsu revelou as primeiras imagens do novo jogo. As 3 imagens publicadas na revista geraram críticas da comunidade, que compararam os gráficos do game com os de Golden Sun, RPG lançado para Game Boy Advance em agosto de 2001. Críticas que continuaram a ser proferidas à medida que novas imagens eram reveladas ao decorrer dos próximos meses. As edições de abril da CoroCoro e Famitsu trouxeram novas imagens e apresentaram um novo professor, Odamaki no Japão e Birch no Ocidente, e uma nova treinadora. Os fãs se perguntavam o que de tão revolucionário a Game Freak estaria guardando para os jogadores.

Nessa época a Nintendo soltou notas dizendo que pretendia trazer o novo jogo para o natal japonês de 2002 e se especulava que o jogo teria 100 novos Pokémon.

Primeiras imagens publicadas pela Famitsu em janeiro de 2002

Na E3 de 2002, que aconteceu do dia 14 a 16 de maio, a Nintendo priorizou mostrar os lançamentos mais próximos, como o Nintendo e-Reader, nome ocidental do leitor de códigos da companhia, que teve data de lançamento marcada para 15 de setembro de 2002 nos EUA. Para não dizer que o novo jogo passou em branco, foram exibidas algumas imagens estáticas no estande da Nintendo no evento.

Até que chegou Julho e a Nintendo decidiu fazer um novo estrondo e revelar mais detalhes do novo jogo. Para manter a tradição o game seria dividido em duas verões chamadas Ruby & Sapphire com data de lançamento cravada para 21 de  novembro de 2002 no Japão. Junto com esse anúncio, vários veículos revelaram diversas informações sobre os games.

O site da Pokémon revelou 3 novos monstrinhos (Pelipper, Sharpedo e Shroomish) e o trailer da sexta temporada do anime mostrou os novos Pokémon inicias da nova geração (Treecko, Torchic e Mudkip). Mais para frente foram divulgadas as capas dos jogos e os lendários Kyogre e Groudon as protagonizavam.


Capas japonesas de Pokémon Ruby & Sapphire

Para divulgar os jogos a Nintendo decidiu não realizar seu tradicional evento Nintendo Space World dando lugar a Pokémon Festa, evento que ocorreu em vários lugares do Japão onde foram levados demonstrações dos novos jogos para os fãs testarem. Nessa demo foram revelados 3 novos Pokémon (Poochyena, Taillow e Zigzagoon).

O design dos novos Pokémon gerou críticas na comunidade que dizia que os novos Pokémon estavam fugindo do visual mais animalesco e indo para um visual mais monstruoso e geométrico. Diversas comparações com Digimon e outras animações de monstros da época foram feitas. 

De julho até novembro várias novidades foram pipocando aos poucos. Batalhas em dupla, equipes vilãs exclusivas para cada versão, os Contests e Ribbons, cultivos de Berrys, base secreta e novas mecânicas de batalhas como as habilidades foram mostradas para o público. Em setembro no Japão, Harrison, um treinador da cidade de Littleroot da região de Hoenn, apareceu no anime com o seu Blaziken para ajudar Ash e cia em uma aventura e participar da Liga Pokémon de Johto.

Charizard vs Blaziken no final da Liga Pokémon Johto

Enfim chegou novembro e com ela a edição da Famitsu que viria com o review e praticamente todos os detalhes dos jogos.

Algumas informações foram na contramão das expectativas dos fãs, como a não conectividade com os jogos da segunda e primeira geração e a não presença de um novo tipo de Pokémon. Mas em contrapartida, todo o universo Pokémon de se tornar um treinador, enfrentar uma equipe vilã, pegar oito insígnias e desafiar a liga Pokémon estavam lá. Mas a grande surpresa veio pelos jogos trazerem 125 novos monstrinhos, 25 a mais do que o esperado pelos fãs. Com uma nota 34/40, nota menor que todos os outros jogos da franquia lançados anteriormente, os fãs compraram a ideia do novo jogo. Na mesma semana a Nintendo bateu recorde recebendo pedidos de dois milhões de reservas de consumidores. Só em lojas, no  primeiro dia, os jogos venderam mais de um milhão de exemplares, dez vezes mais que Resident Evil 0, o segundo colocado.

Hoje Pokémon Ruby & Sapphire tem a marca de 16 milhões de cópias vendidas no mundo todo, enquanto Golden Sun, jogo o qual Ruby & Sapphire foi comparado durante toda campanha de lançamento, vendeu pouco mais de 1 milhão de cópias. Mostrando que, independente de quesitos técnicos como gráficos, a força dos jogos da franquia ainda estava forte.

Sobre Augusto
29 anos, Iguaba Grande - RJ. Fã, colecionador, jogador e estudioso do mundo Pokémon desde 1999, quando a Pokéfebre assolou o Brasil e o Mundo. Acompanho todas as novidades da franquia de forma hardcore.
Redes: Twitter | Twitch

Um comentário:

  1. Shiro the gamer 🎮07/02/2021 12:57

    Pokémon Ruby & Sapphire foram ,de fato, jogos excelentes! ❤️

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar