logo

Pokémothim

Biomothim: Treecko e sua linha evolutiva!

Como vão treinadores?!

Na edição de hoje da nossa série, iremos discutir sobre um dos iniciais da Região de Hoenn. Estamos falando de um Pokémon que gosta de se aventuras por árvores e tem a capacidade de realizar escaladas verticais! Estamos falando de Treecko e sua linha evolutiva!

Para começarmos a entender sobre Treecko, antes precisamos compreender sobre sua inspiração mundo animal, as lagartixas. Quando nos referimos a lagartixas, podemos estar falando sobre uma vasta variedade de espécies, porém, vamos utilizar o termo de uma forma generalizada. Esses pequenos répteis são seres com possibilidade de se encontrar em residências urbanas, e também em florestas tropicais. Lagartixas possuem a capacidade de realizar escaladas sobre superfícies poucos aderentes a outros animais, graças a presença de garras em suas patas que permitem maior aderência. Contam também com a presença de lamelas na parte ventral (parte inferior) de seus dedos, que abrangem outras centenas de estruturas fixadoras, permitindo aos pequenos animaizinhos realizar escaladas surpreendentes. 

Imagem da porção ventral dos dedos de uma lagartixa, mostrando as lamelas que permitem suas escaldas verticais.

Quando entendemos esse fato, compreendemos a capacidade de Treecko escalar árvores apenas com duas pernas, ou escaladas bruscas. O pequeno Pokémon conta com aparência reptiliana em todos seus estágios, na coloração verde, e a porção ventral de seu tronco avermelhada. Os olhos de Treecko são grandes, e suas pupilas alongadas, semelhante a das lagartixas, que utilizam de sua língua para hidratar os olhos, devido a ausência de pálpebras. Sobre a cauda de Treecko, esta é reduzida após evoluir, fazendo referência a capacidade que as lagartixas possuem de regenerar sua cauda. Porém, nada na franquia é não aproveitado.

Quando Treecko evolui. sua cauda passa a ser composta por folhas mais finas. Na natureza, quando uma lagartixa solta sua cauda para despistar predadores, a nova cauda que cresce no local não é igual a anterior, agora não sendo mais composta por vértebras, e sim por uma aste com características cartilaginosas. Podemos até mesmo teorizar que em algum momento isso ocorra com Treecko, dando início as primeiras características de seu estágio evolutivo seguinte,

O Pokémon apesar de seu tamanho é ágil e perspicaz, mantendo a calma sobre as situações mais opressivas das quais presencia. Porém, de um ponto de vista biológico, e até mesmo estratégico notamos que apenas o fato de ser ágil não garante sua sobrevivência a todo momento. Em sua evolução, Grovyle, podemos encontrar estruturas formadas por folhas que crescem por seu corpo, que permitem sua camuflagem, e até mesmo podem ser usadas para se defender e atacar.

Em Grovyle temos também o reforça da musculatura de suas pernas, permitindo que o Pokémon realize saltos mais longos, de uma árvore para outra ou outros obstáculos. Quanto a seus olhos, temos uma diminuição dos mesmos, mas não podemos afirmar se agora possuem uma pálpebra que aumente a lubrificação natural dos olhos.

Quando Grovyle evolui para Sceptile, a mudança mais drástica está em seus tônus muscular e em sua cauda. Mesmo após perder uma cauda flexível, Grovyle passou por diversos eventos que o leou a desenvolver uma cauda novamente robusta, agora feita exclusivamente por folhas. Talvez esse processo seja o que levou a espécie a desenvolver melhor a musculatura de todo seu corpo, levando o Pokémon a resistir a diversas batalhas por sobreviver sem uma forma eficaz de se camuflar, que seria proporcionada por sua cauda. 

Temos ainda o enrijecimento das folhas encontradas em seus braços, e a perda da longa folha de sua cabeça. Tais acontecimentos podem estar ligados a fatores como movimentação e ataque, sendo ambos aumentados significativamente. 

Um outro contribuinte possível para a evolução dessas espécies, está na teoria de serem fotossintetizantes. Discutimos sobre isso no episódio em que debatemos sobre Turtwig e sua linha evolutiva. Scpetile possui sementes em suas costas, e fornecer nutrientes a elas e ao seu próprio metabolismo ao mesmo tempo seria desgastante, a menos que conseguisse equilibrar os nutrientes fornecidos por meio da alimentação autotrófica e heterotrófica.

Este foi o Biomothim de hoje! Deixe nos comentários suas teorias e sugestões para os próximos episódios!

lembrando, essa série tem por objetivo apenas analisar os Pokémon utilizando de métodos científicos observativos, por informações disponíveis na literatura de Ciências Biológicas.

Um ThunderShock pra vocês!

Sobre Gabriel Henrique
20 anos, estudante de Ciências Biológicas, mora em Paraisópolis-MG. Curte animações e filmes de ficção, é amante da música desde muito cedo, multi instrumentista. Tem um grande amor por Pokémon, seu preferido é o Chandelure.
E-mail: equipe@pokemothim.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar