logo

Pokémothim

Biomothim: Especial Paleontologia

Como vão treinadores?!

Depois de muito tempo sem postar nada por aqui - devido a ocasiões que tomaram completamente o tempo deste redator que voz fala - voltamos com tudo, em um especial que nos leva aos primórdios do mundo Pokémon, afinal, entender o passado tem sido uma ferramenta bem recorrida nos últimos tempos, como podemos ver com a proposta do jogo Pokémon Legends Arceus, que traz a região de Sinnoh em seus tempos remotos, com espécies ancestrais e variantes regionais extintas.

Sabemos que assim como em nosso mundo, na franquia também temos os queridos fósseis, vestígios de espécies ancestrais que foram conservadas com o tempo, revividas com a ajuda de grandes pesquisadores e os mais sofisticados métodos. Quem nunca esperou ansioso pra reviver seu fóssil preferido na franquia?

Sabendo disso, hoje iremos trazer a primeira parte de um especial que irá trazer esses fósseis em uma descrição detalhada sobre suas inspirações, comportamentos e morfologias. Vamos começar por duas espécies que possuem muita relação entre elas, mesmo que isso não fique plausível a primeira vista: Anorith e Kabuto, e suas respectivas evoluções.

Começando por Kabuto e Kabutops, devemos considerar um dado muito interessante para nossa análise, que se estende para todas as espécies de invertebrados fósseis da franquia: Todos conseguem se manter em dois ambientes distintos, aquático e terrestre, sem problemas; esse fato nos mostra a existência de respiração pulmonar e branquial para essas espécies em questão, até onde podemos ver, já que não temos registros desses Pokémon utilizando por exemplo bolhas de água para respirar na superfície, como acontece no caso de Dewpider e Araquanid.

Vemos nesta imagem um exemplo da estrutura citada que permite Dewpider e sua evolução respirar em terra firme.

Dando sequência, precisamos entender que Kabuto possui inspiração nos trilobitas, um fato evidenciado tanto por seu formato corpóreo e carapaça rígida, quanto em sua característica ancestral. Os trilobitas foram artrópodes que habitaram o planeta durante o Paleozóico, entre 542 milhões a 251 milhões de anos atrás, habitando os fundos oceânicos, assim como é dito sobre Kabuto. A carapaça desses animais era constituída de carbonato de cálcio, um grande fator que permitiu que registros fósseis bem preservados fossem encontrados nos dias atuais. 

Representação de um grupo de trilobitas no fundo oceânico.

Os trilobitas poderiam ter tido uma alimentação carnívora, o que lhes ocupou por um bom tempo o topo da cadeia alimentar como predadores, mas também poderiam ser seres carniceiros, ou se alimentar de detritos no fundo oceânico, até mesmo partículas em suspensão na água. Sendo assim, podemos pensar em algumas espécies das quais Kabuto se alimentava principalmente de detritos ou outras espécies mortas no fundo do oceano, uma vez visto que as principais adaptações do Pokémon são para defesa e não para predação. 

Vemos que Kabuto possui dois pares de olhos, um mais ventral, localizado próximo a abertura frontal de sua carapaça, e um mais dorsal, uma característica muito útil para seres que vivem no fundo oceânico e podem se enterrar, e que remete também a visão dos trilobitas, já que eram seres que apresentavam olhos compostos, complexos, podendo até mesmo ter uma visão parecida com a dos insetos atuais. Kabuto contava com dois pares de patas, um par anterior e um posterior, provavelmente utilizadas para locomoção e para escavação.

Mas, é estranho pensar que uma espécie tão pequena, possa dar origem a Kabutops, um trilobita verdadeiramente adaptado para predação. Como então, ocorreria essa evolução, de uma espécie tão pequena e adaptada para sobreviver, para uma espécie tão desenvolvida para caçar? A explicação pode estar em um hábito presente nos artrópodes: A ecdise. A ecdise é o processo pelo qual os artrópodes realizam a troca de seus exoesqueletos, de forma a garantir o crescimento de seus corpos. 

Podemos supor que a ecdise esteja presente também no mundo Pokémon, já vimos isso ocorrer por exemplo com algumas espécies larvais na franquia. No caso de Kabutops, verificamos a presença de um grande exoesqueleto, apresentando um formato adaptado tanto para caçadas debaixo d'água, quanto até mesmo na superfície. Sua característica mais marcante é a presença de duas projeções calcificadas no braços, que ao olharmos bem, podemos ver como um crescimento dos pares de patas anteriores que passaram por um longo processo de calcificação. 

Quanto ao par posterior de patas, notamos que este se tornou articulado, permitindo uma maior variedade de movimentos a espécie, contando cada pata traseira com um par de garras também calcificada, responsável por sustentar os hábitos bípedes do Pokémon, mesmo que este, segundo a sua dex, não tenha tido tempo para conquistar por completamente o ambiente terrestre, sendo extinto pouco antes desta conquista. Contudo, já vimos na franquia, tanto ele quanto sua pré evolução em ambiente terrestre.

Na imagem, podemos ver um Kabuto fora do ambiente marinho.

Uma característica que passa despercebida em Kabutops, é o desenvolvimento de uma estrutura rígida ventral, que lhe proporciona uma maior proteção dos órgãos internos, ao contrário do que acontece em sua pré evolução, já que a abertura ventral de Kabuto é uma adaptação aos seus hábitos alimentares, possibilitando que o Pokémon capture seu alimento no fundo oceânico.

Kabutops teve hábitos predatórios, nos quais sugava os fluidos corporais de suas presas, utilizando de suas garras para abri-las, muito provavelmente presas de concha rígida, nas quais podemos teorizar que possam ter sido Omanyte e Omastar, ou até mesmo outros Kabuto e Kabutops, dentre outras espécies extintas no mesmo período das quais ainda não temos conhecimento. 

Porém, um ponto muito interessante a ser levado consideração, é de que nesta época, comparado ao tempo que nossa fauna possui, já teríamos nessa época a presença de predadores naturais destas espécies, sendo no caso dos trilobitas um outro invertebrado chamado anomalocaris, no qual na franquia conhecemos como Anorith e Armaldo. Seria este um predador em potencial dos nossos queridos fósseis, que podem ter sido parcialmente responsáveis pelo desaparecimento das espécies em questão no mundo Pokémon, já que a predação excessiva é um fator real para isso.


Quando olhamos para Anorith, vemos uma grande semelhança com o anomalocaris, um predador em potencial dos trilobitas com uma estreita relação com os artrópodes (grupo ao qual os trilobitas pertencem). Os anomalocaris viveram em uma vasta porção dos oceanos do planeta. Anorith e Armaldo possuem diversas semelhanças com esses animais, principalmente quando olhamos para seu formato corpóreo ou para as projeções laterais de seus corpos.

Representação de uma espécie do gênero anomalocaridae.

Anorith ao que tudo indica pode ter sido um pequeno predador do mundo pré histórico Pokémon, fato evidenciado tanto por seus membros anteriores, em formato de garras, quanto pelo campo de visão alto proporcionado por seus olhos laterais. Seus membros anteriores podem ter sido uma adaptação justamente para a predação de pequenos Kabuto, utilizadas para quebrar a carapaça de proteção do pequeno artrópode. 

Nas laterais de seu corpo, encontramos quatro pares de asas, responsáveis por sua locomoção a partir do movimento ondulatório destas, provocando seu deslocamento na água. Além disso, é dito que Anorith é uma espécie de Pokémon progenitor, o que indica que esta é a espécie ancestral de alguns Pokémon do tipo inseto, e talvez também de todos aqueles Pokémon que se encaixariam no agrupamento dos artrópodes devido suas semelhanças morfológicas com os mesmo; faria sentido se parássemos pra pensar na coevolução dos dois grupos, onde primeiramente os grupos de Kabuto teriam de desenvolver características de defesa cada vez mais elaboradas, e os grupos de Anorith, fatores de caça que fossem mais efetivos que essa defesa.

Já em sua evolução, podemos verificar a presença de estruturas cada vez mais elaboradas para predação e defesa, já que Armaldo possuía hábitos de locomoção terrestre, mas uma predação aquática. Temos nessa espécie o surgimento de membros posteriores usados para o bipedalismo, e o surgimento de uma longa cauda, usada pra estabilizar sua movimentação terrestre. O posicionamento elevado do corpo teve de contar também com uma maior proteção do torso na região ventral, de forma a proteger seus órgãos internos da mesma forma que ocorria com Kabutops.


Como a própria franquia nos diz, essas são as duas espécies ancestrais dos tipo inseto, por mais que a própria franquia nos diga que de forma parcial, já que em muitas espécies, o tipo inseto tenha surgido em algum ponto de forma secundária; mas este é um ponto a ser analisado de maneira mais cautelosa.

Chegamos a um ponto muito interessante nesta parte da discussão, de que a coevolução da cada vez mais indícios dentro da franquia. Mas o que seria coevolução? Seria a pressão seletiva que as espécies fazem de forma recíproca uma com a outra, auxiliando em suas adaptações. Também chegamos ao início de um grande mapa que irá traçar as relações entre os Pokémon, estudando seus predadores, presas, e um pouco da história do planeta na própria franquia, tentando traçar sua história.

Com isso, chegamos ao fim de mais um Biomothim. Lembrando a todos, que este post tem por intuito levar informações coletadas das diversas fontes bibliográficas que a franquia e os estudos da própria Biologia oferecem, usando dos adequados métodos de investigação e planejamento de dados para sua elaboração.

O que pensam sobre o teme, seria este o início de uma grande linhagem de Pokémon do tipo inseto? Deixem suas opiniões nos comentários.

Um Ancient Power pra vocês!
Sobre Gabriel Henrique
anos, estudante de Ciências Biológicas, mora em Paraisópolis-MG. Curte animações e filmes de ficção, é amante da música desde muito cedo, multi instrumentista. Tem um grande amor por Pokémon, seu preferido é o Chandelure.
E-mail: equipe@pokemothim.net

Um comentário:

  1. Arthur Gotardo15/01/2022 16:52

    Acho o tema interesse e que faz nós pensarmos q a pokémon company simplesmente não criou os designs e características dos Pokémon aletoriame te, mas sim foram pensados para fazer sentido e remeter um pouco a vida real

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar