logo

Pokémothim

Top 10: Retornos de Jornadas!


Olá, Thunders!

A série Jornadas nos deu, pelo menos, uma aparição física de cada um dos antigos protagonistas humanos do anime: desde os heróis de Kanto até os de Alola. No entanto, alguns desses retornos certamente foram melhores do que outros. Que tal dar uma olhada no meu top 10 do pior para o melhor retorno dos antigos companheiros de viagem do Ash? Obviamente, será apenas a minha opinião, mas sempre com argumentos que acredito serem justificáveis, não por gostar mais ou menos de determinado personagem.


10° Lugar: Cilan, Max e Misty

Cilan participou de alguns flashbacks em "Embate de Titãs", quando Ash reencontrou Iris; e teve uma carta sua lida no programa de rádio da Equipe Rocket, no episódio "O Rádio Embalou as Estrelas Travessas!", sob o pseudônimo de "Especialista de Rádio". Somente em "As Finais IV: Parceiro!" foi visto junto a Alexa e Brock, além de seu fiel parceiro Pansage, a assistir o desfecho da batalha de Ash contra Leon. Isso no mínimo indica que ainda deve estar viajando pelas regiões, agora possivelmente tendo chegado a Sinnoh, onde teria reencontrado Brock. Provavelmente, a demora da aparição de Cilan para o Torneio de Mestres foi a mais gritante, uma vez que seus dois companheiros de viagem participaram da grandiosa competição. Já Max apareceu unicamente assistindo a essa mesma batalha decisiva, de Hoenn, acompanhado da sua irmã, Elísia, Serena, Glaceon e Sylveon.

A primeira aparição de Misty foi como uma silhueta, ao lado de todos os demais Líderes de Ginásio de Kanto, em "Destino: coroação!", quando o narrador explicava o sistema de ginásios. Após isso, somente no episódio "As Finais IV: Parceiro!" fez sua reaparição física, assistindo ao desfecho da batalha de Ash contra Leon da piscina do Ginásio de Cerulean, acompanhada de Psyduck e Gyarados. Por ter retornado em 4 episódios da série anterior, Sol & Lua, diferente de Cilan e Max, é compreensível que a aspirante a maior treinadora de Pokémon do tipo Água não tenha recebido tanto destaque como outros rostos a mais tempo sumidos.


9° Lugar: Tracey

No episódio "Conselho para o Goh", sem qualquer motivo, para variar depois de o mesmo ter acontecido em Sol & Lua, Tracey não estava no Laboratório do Professor Carvalho quando Ash e Goh foram lá, apenas foi dito que o Observador Pokémon ajudou a procurar Infernape, que estava desaparecido. Contudo, durante todas as três batalhas do Ash no Torneio de Mestres (vs Steven, Cynthia e Leon), Tracey esteve assistindo e torcendo com o Professor Carvalho e Delia. Assim como os personagens do décimo lugar, não teve qualquer fala, mas eu considero sua participação melhor por ter aparecido bem mais e ter interagido com os Pokémon do Ash, o que faz parte do seu trabalho como assistinte do professor.


8° Lugar: May

Mesmo que May também não tenha tido falas, acredito que o modo como fez seu retorno já garantiu uma posição melhor nessa classificação. A Coordenadora apareceu pela primeira vez em Jornadas em um flashback do episódio "Reunindo-se pela Primeira Vez!", ao lado da Dawn, quando Ash reencontrou Wallace e ele se lembrou das duas amigas do garoto que participaram da sua copa. Mais tarde, nesse mesmo episódio, quando Serena preparava Cloe para participar do seu primeiro Concurso, ao escolher sua roupa, a Performer contou a curiosidade de que aquela vestimenta costumava ser usada pela "Princesa de Hoenn".

E é justamente aqui que May, dentro do seu sonho, já conseguiu ter um aparente desenvolvimento sem nem mesmo aparecer. Afinal, quando Dawn demonstrou conhecer o título da Pokégirl de Hoenn, era normal, pois Ash e Brock viajavam com ela e devem ter feito várias menções por as garotas terem o mesmo sonho. Porém, Serena não, ela não teve Ash para contar a ela que May era conhecida como Princesa de Hoenn, esse título chegou aos seus ouvidos, o que demonstra o maior reconhecimento da coordenadora. Não apenas, como durante o final da já mencionada batalha entre Ash e Leon, May foi vista com Glaceon, ao lado de Serena, Elísia, Max e Sylveon; torcendo pelo amigo. Dois pontos interessantes é que, talvez ela tenha sido chamada para se juntar à equipe de Idols da famosa; e que, na cena, usava a roupa de coordenadora, o que indicava que estava prestes a entrar ou havia acabado de sair de um Concurso, seguindo firme em seu sonho.


7° Lugar: Dawn

A partir daqui, todos os personagens tiveram participação ativa nos episódios. Recordista em retornos dentro de Jornadas, Dawn fez participações em vários episódios: "Pesadelos ao Anoitecer!" e "A Luz de uma Noite de Verão!", quando conheceu Cloe em sua viagem de férias e fez amizade, antes de encontrar e ajudar um Cresselia ferido e se juntar a Ash e Goh para impedirem a Equipe Rocket de capturar Darkrai e o lendário encontrado por elas; "Os Portais de Distorção!" e "A Batalha nos Portais de Distorção!", em que teve seu Piplup roubado e, com ajuda de Ash, Cloe e Goh; foi atrás dele, indo parar em uma dimensão paralela e descobrindo que a Equipe Rocket desse mundo havia prendido Dialga e Palkia com a Corrente Vermelha em um conflito que distorcia o tempo e o espaço, rezando para Arceus, que resolveu o problema. 

Dawn também ganhou foco nas quatro partes de "As Crônicas de Arceus!", nas quais se reuniu com Ash e Goh no Festival de Sinnoh, em Canalave, onde conheceram o passado da região, antes de perceberem uma anomalia no Monte Coronete e intervirem no plano da Equipe Galáctica de trazer Cyrus de volta, o que gerou um conflito com o Heatran – que havia engolido a Placa da Chama de Arceus – mas o Trio do Lago e o próprio Mítico os ajudaram a derrotar os vilões. Tanto em "Reunindo-se pela Primeira Vez!" quanto em "Amigos, Rivais, Emprestem-me o Seu Espírito!" a coordenadora apareceu em flashbacks que envolviam a sua participação na Copa Wallace e sua jornada com Ash, respectivamente. Por fim, Dawn viajou com Cloe para assistir pessoalmente a batalha de Ash vs Leon, do Estádio Wyndon, durante os quatro episódios do confronto.

Contudo, mesmo com toda essa participação, a personagem simplesmente parece que não saiu do lugar. Primeiro que, dos especiais que tiveram a sua presença, acredito que todos tinham boas premissas, mas, com exceção do primeiro (mini-arco de Drakrai e Cresselia) – que trouxe mais da relação dos dois Pokémon – os outros dois (de Dialga e Palkia e o de Arceus) tiveram finais péssimos e muito simples em comparação ao grande conflito que se mostrava nos episódios. Independente disso, sua participação em todos eles foi boa, mas a divisão que foi feita também não favoreceu. Enquanto no seu primeiro retorno foi mais desenvolvida a sua relação com a Cloe e no segundo tentaram criar uma maior proximidade entre ela e Goh, somente no especial de Arceus pudemos ver mais da coordenadora com o Ash e o clássico "High Five" deles. Para os fãs da amizade entre os ex-companheiros de viagem, esse não foi um ponto positivo, apesar de achar compreensível; diferente de terem evitado qualquer interação entre Buneary e Pikachu, negando até mesmo uma torcida durante a sua batalha mais importante.

Mas, não para por aí. Alguns reclamaram, mas até entendo a Dawn não ter ido para nenhuma região que ainda não sabíamos antes de Jornadas. Ela pode ter passado um bom tempo se aventurando em Johto, seu último destino. O problema é que ela não mostrou nenhuma nova fita; já passou por três regiões desde que terminou sua jornada com Ash e Brock, mas não capturou nenhum novo Pokémon ou sequer evoluiu um dos antigos que, até onde sabemos, não tem problema em evoluir (Buneary e Quilava); ninguém do seu time aprendeu qualquer novo movimento; nem mesmo tinha uma boa história para contar das suas aventuras pelas outras regiões ou trouxe alguma atualização dos seus rivais. A Dawn não participou de nenhum concurso diante das telas e, na realidade, nem parecia tão focada em seu próprio sonho. Que fique claro, não acho que ela deixou de querer ser uma coordenadora, mas não parecia aquela Dawn empenhada de antes no seu objetivo. Para ser justo, houve uma atualização, que foi a nova roupa para Concursos; muito bonita, por sinal, mas nada além disso.

Obviamente, nada disso é culpa da personagem, mas sim do roteiro. O engraçado é que, mesmo com o lançamento de Pokémon Brilliant Diamond & Shining Pearl, não precisavam mostrar a Dawn, apenas fazer referências a Sinnoh e dar destaque a outros personagens da região, assim como ocorreu em Kalos, sem que May voltasse ao anime com o lançamento de Pokémon Omega Ruby & Alpha Sapphire. Porém, os roteiristas quiseram dar muito foco a Dawn sem qualquer desenvolvimento pessoal. E não estou afirmando que, em termos de presença, seus retornos foram ruins; ver como ela continua a ser a mesma garota radiante, a referência da roupa de líder de torcida de Piplup para torcer por Ash, etc, foi muito bom. No entanto, a personagem parece não ter tido qualquer crescimento e, para mim, a única coisa que faz com que sua participação seja relevante na série, no quesito progresso da história, é a sua amizade com a Cloe, que certamente ficará marcada em Jornadas, e seu status de personagem recorrente.


6° Lugar: Turma de Alola

A turma de Alola apareceu pela primeira vez no episódio "A Minha Antiga Turma!", quando Ash foi com Goh até a Ilha de Melemele e reencontrou todos os seus amigos, Pokémon e família (com exceção de Lílian e Naganadel). Foi realmente um episódio muito emocionante, embora o maior foco no Goh para ele tenha gerado o desconforto de alguns fãs. Depois, apenas Cris fez uma aparição em "Uma Luz que nos Guia!", ao reencontrar a dupla de Jornadas no Centro Espacial de Mossdeep, no qual recebeu a ajuda dos dois garotos para realizar a sua missão de pousar uma sonda espacial. Em "Ajudando o Herói da Cidade Natal!", comemoraram o retorno de Lílian e sua família e fizeram uma Batalha Real, mostrando torcida para Ash como representante da região no Torneio de Mestres. Por fim, neste torneio, apareceram torcendo da Escola Pokémon nos dois últimos episódios, quando Pikachu usou o Movimento Z e no já tão mencionado desfecho da batalha contra Leon.

Embora adore eles e ache o episódio do retorno da Lílian, com todos juntos novamente, um dos melhores de Jornadas; acredito que a turma de Alola teve uma das participações mais sutis em termos de desenvolvimento dos personagens. Sabe-se que eles são os heróis que saíram a menos tempo do anime, mas, mesmo assim, em seus primeiros e rápidos retornos para a animação Misty, May e Dawn já haviam progredido consideravelmente, sobretudo as duas primeiras. Por exemplo, no final de Sol & Lua, Kiawe decidiu que seria treinado por Olívia para ser o novo Kahuna da Ilha de Akala. Até foi mostrado que continua batalhando, mas em nenhum momento, nem quando ele foi treinar para a Batalha Real, seu objetivo foi mencionado de novo. Nem precisava mostrar, era só ele citar que os treinos com Olívia estavam intensos, ou algo do tipo. Em compensação, o garoto revelou que tem treinado junto ao Gladio, inclusive venceu o rival durante a Batalha Real, em paralelo a sua derrota por ele na Liga Alola.

Com Vitória foi parecido. Uma reconhecida especialista em pesca e, talvez, posso chamá-la de interessada em pesquisas aquáticas, como seu interesse por Manaphy deu a entender, não houve qualquer menção ao sonho da garota, ainda que ele seja mais vago; do progresso da sua pesquisa ou qualquer outra coisa. Somente a vimos pescar, quando conheceu o Goh, em uma divertida referência ao momento em que conheceu Ash em Sol & Lua. Vitória também teve uma importante participação ao afirmar a Cloe que não evoluir também era uma opção para a Eevee dela, assim como o seu. Lulú teve o mesmo tratamento: foi a responsável pelas comidas das festas organizadas em Alola, até teve o seu sonho de querer expandir o cardápio da cafeteria e conseguir agradar todos os Pokémon e humanos mencionado, mas nenhum avanço aparente. A propósito, o interesse da Vitória por batalhas parece ter sido esquecido, igualmente a vontade a Lulú pós-Liga Alola de se aperfeiçoar também nessa área.

Acredito que a grande exceção foi o Cris, que não somente mencionou a sua viagem a Mossdeep na sua primeira reaparição, como disse que voltaria lá e realmente o vimos na Estação Espacial. Acho que só faltou o Ampharos do episódio ser revelado como um Pokémon dele. Ainda assim, na época, era teorizado que cada um dos ex-companheiros de Alola teriam um episódio exclusivo, algo que não aconteceu, somente para Cris e Lílian, as duas exceções a minha crítica. Acho que poderiam, pelo menos, mostrar que um ou outro fez novas capturas. Também amei as interações entre Ash, Professor Nogueira, Professora Bruna, Lei e Rotom Dex, mas, como sua família de Alola não conta como protagonistas, e o Rotom como humano, não furarei a regra.


5° Lugar: Clément e Bonnie

Entrando no Top 5, Clément e Bonnie fizeram seu primeiro retorno nos episódios sequenciais "O Futuro É Agora, Graças à Estratégia!" e "Tomando Dois para a Equipe!", quando Ash seguiu até Kalos para enfrentar a Elite 4 Drasna. No primeiro, enquanto a caçula foi a responsável por levar Goh até o ginásio do seu irmão; o mais velho ajudou o amigo de Pallet a se preparar para a batalha contra a Elite 4, inclusive usando uma de suas invenções para aperfeiçoar o golpe que Sirfetch'd tentava realizar, a Ofensiva Meteórica. Já no segundo episódio, a dupla assistiu Ash enfrentar Drasna e viu o sucesso do amigo contra uma oponente tão forte. Após isso, Bonnie foi vista em um flashback da Serena, em "Reunindo-se pela Primeira Vez"; e os dois irmãos foram mostrados assistindo ao desempenho de Dracovish e Sirfetch'd na batalha contra Leon, do Ginásio de Lumiose, além de verem o desfecho contra Charizard, no qual todos os demais amigos do Ash também apareceram.

Apesar de a participação da turma de Alola ter sido mais emotiva e a da Dawn mais frequente, acho que Clément e Bonnie merecem estar à frente pelo desenvolvimento pessoal e pelo papel na própria trajetória do Ash na atual série. Certo que a caçula não teve um grande progresso pessoal, mas é por ela ainda não ter idade para ser tão desenvolvida. O fato de possuir um Dedenne já a faz até ser adiantada demais. Acho que faltou alguma menção ao Geleca, mas talvez isso trouxesse o Greninja para a conversa antes mesmo do que o roteiro estava planejando. Ainda assim, foi muito legal ver como ela gostou dos novos Pokémon do Ash, especialmente do Dracovish. 

Já por parte de Clément, ele evoluiu seu Bunnelby para Diggersby, que aprendeu o Braço de Martelo; continua a desenvolver as invenções que tanto ama, como parte do seu sonho de ajudar as pessoas com as suas criações; foi visto se aperfeiçoando como Líder de Ginásio; e até foi revelado que também enfrentou a Drasna, mesmo que tenha perdido. Ou seja, ainda que a sua batalha contra o protagonista tenha sido bem fraquinha, continua a avançar em seus objetivos. Sem contar que foi graças a ele que vimos Sirfetch'd brilhar tanto no Torneio de Mestres com a poderosíssima Ofensiva Meteórica, além de ter sido em sua batalha que Dracovish aprendeu a Investida do Dragão, igualmente importante para a vitória do protagonista na competição, ainda que não tenha sido algo ensinado intencionalmente. Portanto, foi uma participação legal, que mostrou amadurecimento e que teve influência no decorrer da série.


4° Lugar: Lílian

Fechando uma das maiores pontas soltas da série Sol & Lua, Lílian voltou primeiramente em um Flashback, no episódio "A Minha Antiga Turma!", que a mostrou escrevendo a carta lida por Vitória sobre o progresso da sua viagem em busca do pai. Pouco mais de 70 episódios depois, em "A Coroa do Regresso à Casa!", a garota, acompanhada de Gladio e Samina, chegou ao destino final, na Tundra da Coroa. Lílian até encontrou seu pai, mas ele estava com amnésia e acreditava que um Nihilego Shiny, apelidado com o mesmo nome da garota, era a sua filha. Porém, com a ajuda do irmão, de Ash, Cloe e Goh, Lílian conseguiu fazer Mauro rever a sua imagem e recuperar as memórias, ainda agradecendo a Nihilego por ter cuidado do pai por tantos anos e o convidando para se juntar a família. Com a aceitação da Ultracriatura, ela foi capturada por Gladio. No episódio seguinte, "Ajudando o Herói da Cidade Natal!", todos eles voltaram para Alola, onde Lílian reencontrou os seus amigos e ganhou uma festa. Por isso, durante o uso do Movimento Z de Pikachu contra Charizard e o desfecho da sua batalha no Torneio de Mestres, ela pôde estar com o resto da turma de Alola, torcendo da Escola Pokémon.

Como começar? O episódio na Tundra da Coroa foi sensacional! Facilmente, um dos melhores de Jornadas, tanto em termos de história como de emoção. Fechou essa lacuna que ficou pendente desde a série anterior de um jeito muito bacana e, diferente de todos os demais retornos, o episódio foi focado na própria Lílian. Não era um episódio do Ash, Cloe ou Goh com muita participação da personagem, era um episódio da Pokégirl de Alola. A única outra ex-companheira de viagem que teve isso foi a Iris, mas não por ser amiga do protagonista, mas sim por estar no Torneio de Mestres, o qual teve todos os participantes destacados em suas respectivas batalhas, exceto Diantha e Leon nas semifinais. 

Então, eu acredito que o que fizeram com a Lílian foi muito especial e único, em relação a todos os demais. Desde sempre a garota teve um tratamento muito delicado com a sua história, por isso mereceu bastante o que aconteceu com ela mesmo em uma série que teoricamente não era mais a sua. Porém, o grande ponto negativo é que Lílian não passou por nenhum crescimento em relação ao seu sonho. Sabe-se que a Pokégirl é bastante estudiosa e ama ler e aprender mais sobre os Pokémon, tendo bastante potencial para se tornar uma pesquisadora, substituta da sua mãe na Fundação Aether ou até uma Professora Pokémon, mas estava muito focada em recuperar o seu pai. Depois que isso aconteceu, não foi mostrada qualquer ambição nova para ela, deixando a personagem "sem rumo". Sem mencionar que não fez qualquer captura, mesmo viajando para tão longe; Nevinha e Magearna não aprenderam nenhum golpe novo; e nem deu sinal da Pedra de Gelo que guardou desde Sol & Lua para usar em sua Vulpix – até então, esse parece ser um detalhe esquecido.


3° Lugar: Brock

Assim como Misty, Brock apareceu primeiramente como uma silhueta em "Destino: coroação!", quando o narrador explicou o sistema de ginásios. Em "Pesadelos ao Anoitecer!" foi mencionado por Dawn, assim como também foi pelo Ash em "A Luz de uma Noite de Verão!", quando também pode ser visto em um flashback que recapitulava os seus dons medicinais. Apareceu fisicamente, mas de costas, em "O Rádio Embalou as Estrelas Travessas!", acampando na floresta enquanto ouvia Jessie ler a sua carta, apaixonado pela voz que não reconhecia ser da sua antiga inimizade; e voltou a aparecer em flashbacks em "Amigos, Rivais, Emprestem-me o Seu Espírito!", ao serem rememoradas lembranças da jornada de Ash por Sinnoh. No último episódio da batalha do protagonista contra Leon, Brock foi mostrado assistindo a batalha ao lado de Alexa, Cilan, Blissey, Croagunk e Pansage; em um aparente Centro Pokémon. Então, de forma geral, o personagem teve participações mais sutis, sem um episódio realmente focado nele, o que, novamente, é compreensível por todo destaque que já teve ao lado de Misty na série anterior, Sol & Lua.

Entretanto, a diferença é que, quando resolveram fazer o especial do Arceus, quiseram trazer o trio da série Diamante & Pérola de volta. Então, mesmo que não tenha tido um episódio focado nele, Brock acabou por ter uma relevante participação na série a partir da segunda parte de "As Crônicas de Arceus". Ash e Dawn reencontraram o amigo na Cidade de Oreburgh, onde atualmente trabalha no Centro Pokémon local com ajuda de Blissey e Croagunk. O Doutor Pokémon também pôde conhecer Goh e se juntar aos heróis para impedir os Planos da Equipe Galáctica de trazer Cyrus de volta, recendo ajuda do Trio do Lago e de Arceus para parar o Heatran com a Placa da Chama absorvida. Depois disso, voltou a sua rotina.

Apesar de, como já havia escrito, o rumo que "As Crônicas de Arceus" tomou ser um pouco decepcionante, certamente um dos pontos altos do especial é a participação de Brock. Primeiro que, pela primeira vez, o vemos trabalhando em um local fixo e com o uniforme completo, o que é incrível para o desenvolvimento do personagem. Soma-se a isso a Chansey, que chegou ao estágio de Blissey, como uma analogia ao avanço do próprio treinador, e aprendeu os ataques Clarão Deslumbrante e Mega Soco, os quais relembram sua versatilidade tanto como Pokémon de cura quanto como brutal em batalhas. Acho que o crescimento do Brock só não foi mais impactante por termos o acompanhado aos pouquinhos: em BW descobrimos que ele estava estagiando, enquanto em Sol & Lua o vimos já mais atuante na área. De qualquer forma, é incrível ver esse personagem tão querido realmente avançado no seu sonho, chega deu um quentinho no coração.

Mais uma vez, eu entendo que não tenha tido um episódio voltado mais para si, como os outros. Acho que as únicas decepções que tive com a sua participação foram que, na ligação com Uxie, pareceu ser meio ofuscado, por o roteiro jogar mais o Trio do Lago em relação a Ash, Dawn e Goh; e por ter tirado a camisa no especial sem que usasse a Megaevolução em seguida. Decepcionante, Brock (leiam isso como uma brincadeira). Por outro lado, parece que o nosso doutor tirou a carteira de motorista.


2° Lugar: Serena

Serena voltou ao anime no episódio "Reunindo-se pela Primeira Vez!", quando Cloe se mostrou interessada em conhecer um Sylveon de uma treinadora que estava roubando os holofotes em Lilycove. As duas Pokégirls se conheceram e puderam conversar um pouco sobre suas frustrações, uma vez que a Performer disse que também demorou para escolher o seu sonho. Ainda assim, Serena incentivou Cloe a não ficar parada e entrar no Concurso Pokémon ao qual já havia sido convidada por Elísia, a famosa sobrinha de Wallace. Enquanto sua recente colega participou da Classe Normal, a Pokégirl de Kalos esteve na Classe Mestre, empatando com Elísia. Acontece que Serena revela para Cloe que, depois disso, a sobrinha do ex-campeão a convidou para formar uma equipe de Idols. Ainda hesitante quanto a aceitar ou não, a Performer motivou Cloe a seguir em frente, e, quando o barco da jovem treinadora ia partir de volta para Kanto, Ash e Goh se juntaram a ela para deixarem Hoenn. Nesse breve momento, Serena trocou palavras de apoio com Ash e prometeram torcer um pelo sonho do outro. Posteriormente, no episódio final da batalha de Ash contra Leon, Serena é vista assistindo e torcendo pelo herói ao lado de Elísia, May, Max, Glaceon e Sylveon.

A participação da Serena, mesmo que em dois únicos episódios, menor do que a de todos os demais do Top 5, conseguiu ser incrível pela quantidade de avanço entregue pela personagem e pelo enredo que soube mesclar as duas vertentes do que se esperava para o seu retorno. Primeiro, vamos falar de visual? Acredito que muitos, assim como eu, adoram quando o personagem tem suas vestes atualizadas, pois isso passa a ideia de amadurecimento numa nova fase. Com Misty e Brock, até fizeram eles voltarem a usar as primeiras roupas, em Sol & Lua, como referência. Contudo, achei horrível para a continuidade, pois bagunçou tudo. Prova é que, em Jornadas, Brock já estava usando a roupa de Sinnoh de novo. Sobre ele, não mudou de roupa na atual série, só foi visto com a roupa de trabalho; assim como Iris só usava a roupa de campeã em batalha. Talvez a May fosse a única outra a mudar, se não aparecesse com a roupa dos Concursos, provavelmente vestida como a sua contraparte nos jogos Pokémon Omega Ruby & Alpha Sapphire. E fez sentido a Pokégirl de Kalos mudar o visual, visto que ela ama moda e foi o único personagem principal em todo o anime a mudar o corte de cabelo de forma duradoura e trocar de roupa durante a própria série, ainda na época de Kalos. Atualizar-se é uma marca dela. Agora, passou por uma renovada fantástica com base em roupas dos jogos Pokémon X & Y

O avanço da Serena se resume ao físico? De forma alguma! A Performer não mostrou possuir nenhum Pokémon de Hoenn ainda, algo que acho que já deveria ter acontecido, mas sua fiel Braixen se tornou uma poderosa Delphox. Porém, ainda não para por aí, pois Pancham e Sylveon aprenderam novos movimentos, sendo, respectivamente, o Soco de Gelo e o Ataque Rápido. Assim, toda a equipe dela passou por uma atualização, além da própria. Em termos de sonho, Serena deixou bem claro que não desistiu de ser Performer, esse ainda é o seu objetivo final. Por enquanto, o fato de concorrer na Classe Mestre e empatar com a Elísia, uma profissional nos Concursos, demonstram o quanto já avançou na área. E nem é forçar, pois o que fazia como Performer em muito já parecia com o que tem desenvolvido atualmente. Portanto, a Serena está superempenhada no seu objetivo e demonstrou um crescimento fantástico. 

Por sinal, por trás da sua vontade de se tornar a Rainha de Kalos, Serena esclareceu que existia o desejo de fazer as pessoas felizes com as suas apresentações e ajudar outros treinadores, igualmente como foi ajudada por seus antigos companheiros de viagem. Nesse episódio, ficou nítido que a personagem já faz as duas coisas, seja pelo apoio a Cloe, seja pela recepção do público do Concurso e da fama que já alcançou em Lilycove, a nível de ser descoberta em Kanto pela equipe do Laboratório Cerejeira. E, ainda que o episódio do seu retorno tenha seguido a vertente de ser em prol do seu desenvolvimento pessoal – que era a que preferia – também mesclou um pouco de quem queria ver sua volta devido ao Amourshipping. Mesmo sendo cenas mais rápidas; a Serena repetindo as palavras do Ash que no passado a motivaram, seus olhos brilhando enquanto falava com ele, os dois querendo se atualizar depressa dos seus avanços pessoais e declarando torcida um pelo outro, e a luz verde após a despedida (que muitos interpretaram como uma referência ao livro "O Grande Gatsby", de Francis Scott Fitzgerald, sendo a esperança e desejo da garota de se reunir com o seu amado) não deixam dúvida de que o puro e belo sentimento ainda existe

E a Serena ainda abriu margem para teorias e muita fanfic para os fãs mais criativos. Além de Performer e Coordenadora, a garota ficou pensativa sobre a proposta de se tornar Idol ao lado da Elísia. Mas, quando fez outra aparição assistindo à batalha decisiva do Ash, ao lado da May e perto da famosa que a convidou, a cena pode indicar que: elas simplesmente vão todas se enfrentar em um mesmo Concurso, por isso estavam juntas; ou, Serena aceitou também ser uma Idol e May foi outra convidada para o grupo, visto que Elísia parece se interessar por coordenadoras talentosas e que conquistaram o público. Agora que Serena e May sabem da amizade em comum com Ash, talvez atuem juntas, e até seguraram as mãos para se confortarem ao acharem que Pikachu perderia. Podemos esperar uma dupla de ouro e cheia de talento saindo dali: a Princesa de Hoenn e a Rainha de Kalos.


1° Lugar: Iris

O episódio "Embate de Titãs" marca o retorno de Iris para Jornadas, no qual convidou Ash para uma batalha oficial do Campeonato da Coroação Mundial, em Opelucid. A garota, que cochilava em uma árvore, foi confundida por Goh com um Pokémon e acordada ao ser atingida por uma Poké Bola, o que a fez correr para o ginásio. Ao chegar ao local com um vestido diferente da sua roupa habitual, Drayden revelou que Iris seguiu sua viagem para derrotar treinadores de Pokémon Dragão e se tornou Campeã de Unova, mas ainda buscava ser mais forte para se tornar uma Mestra de Dragão. Assim, enfrentou seu amigo em uma batalha de Pokémon Dragão, lutando contra Dracovish e Dragonite, usando seu Dragonite e Haxorus. Em um confronto acirrado, a garota usou suas habilidades para acalmar a Dragonite do Ash e a ensinar a se divertir mais nas batalhas, o que desencadeou um novo movimento que resultou na vitória do oponente. Contente, a campeã prometeu subir na classificação novamente e voltar a batalhar com Ash.

Posteriormente, no episódio "Aponte para os Oito!", foram revelados os 8 treinadores que participariam do Torneio de Mestres, o que incluía Iris em sétimo lugar. Assim, em "Cortina para Cima! Lute as Lutas!", a campeã de Unova foi até o Estádio Wyndon, em Galar, onde reencontrou Ash e Cynthia e conheceu os demais campeões e o Alain do Top 8. No decorrer do primeiro confronto, entre Alain e Leon, ela pediu para tirar uma selfie com as duas outras campeãs regionais. Na sua vez, teria que desafiar Cynthia. Com Excadrill, Dragonite e Haxorus, Iris se esforçou bastante, tendo conseguido derrubar Gastrodon e Milotic; mas, no desfecho da batalha, foi surpreendida quando Cynthia megaevoluiu Garchomp, que acabou a derrotando, ainda que tenha cansado bastante a oponente. A propósito, Excadrill revelou ter aprendido o Chifre Broca. Depois de perder, em particular com Ash e Goh, a campeã não conseguiu conter as lágrimas, mas logo se recuperou, desejou sorte ao amigo e se juntou a Goh na arquibancada para assistir ao confronto de Ash vs Steven, onde conheceu o irmão de Leon. Após a primeira vitória do amigo no torneio, deixou sua torcida por ele e partiu para Unova. No início da luta contra o Monarca, Iris foi mostrada assistindo de uma árvore, em Opelucid, assim como aconteceu no último episódio do desfecho da batalha.

Eu acho que o que Jornadas fez com a Iris foi positivamente surreal. Estamos tratando de uma das ex-companheiras de viagem, se não a, menos populares. Ou seja, poucos realmente se importariam se fizessem um retorno qualquer para ela. Foi transformada de uma garota inexperiente e sonhadora em uma campeã regional! Não apenas, na realidade, como em uma dos oito maiores treinadores do mundo! E eu mesmo achei um pouco forçado quando assisti ao seu retorno pela primeira vez, apesar de desde aquela época já achar merecido. Isso porque como o Ash passou por várias regiões antes de se tornar campeão e a Iris só precisou tentar uma vez? Simples, a treinadora treinou suficientemente bem com a equipe certa. Se a gente acha que o protagonista poderia ter vencido em Kalos, por exemplo, qual a diferença de a Iris vencer? Ela tinha os Pokémon a mais tempo que o Ash teve para treinar os seus de Kalos, pôde desenvolver bem estratégias com sua equipe e, possivelmente, derrotou quase todos os treinadores especializados em Pokémon Dragão de, pelo menos, Kanto a Kalos. Por isso, se você pensar bem, esse argumento de que foi forçado não funciona, nem acompanhamos o crescimento dela enquanto Ash estava por Kalos e Alola, dando tempo de desenvolver suficientemente bem um time que nem sequer trocou, como o protagonista faz todo final de série, o que só dá mais créditos a ela em quesito de força.

Contudo, mesmo em primeiro lugar na minha postagem, ainda existem situações que mudaria em seu retorno; a exemplo de não terem mostrado o seu time completo. Não fazemos a mínima ideia de qual a situação de seu Gible. Em um flashback, ele foi mostrado, mas não se sabe se foi para relembrar a sua captura, se é porque até então não evoluiu, é um completo e desnecessário mistério. Outra coisa é o Goodra que também apareceu nessa mesma cena, que até então ninguém sabe se é o sexto Pokémon dela ou se foi um derrotado pela atual campeã em sua viagem antes de conquistar o título. Novamente, um mistério desnecessário. Mais uma questão é que Iris voltou como campeã, mas só a vimos perder. Certo que podemos considerar que Ash só venceu dela por conta do apoio que a própria deu para Dragonite, mas, de qualquer forma, não vimos a campeã defender seu título diante de ninguém, infelizmente. Um último é que o seu tão poderoso Dragonite, a meu ver, estava bastante fraco em ambas as batalhas das quais participou em Jornadas, se comparado ao que era na série Preto & Branco.

Independente disso, existem muito mais pontos positivos. Os roteiristas não precisavam fazer da Iris uma campeã agora, mesmo com ela se tornando nos jogos. Afinal, o roteiro dava a entender que ela em algum momento seria Líder de Ginásio de Opelucid, assim como nos jogos Pokémon Black & White. Nesse reencontro em Jornadas, Ash poderia testemunhar sua amiga com esse título. No entanto, eles quiseram propositalmente fazer dela já uma campeã, igual como em Pokémon Black 2 & White 2, e levar mais uma campeã – intencionalmente no feminino e ainda negra – para o Torneio de Mestres. Prova disso é a foto que quis tirar ao lado das outras duas campeãs regionais do Mundo Pokémon, agora que conseguia carregar o mesmo título que elas. Poderia facilmente ser o Alder ali, mas o roteiro não quis. E, de novo, por uma personagem que muitos fãs nem mesmo dão a mínima. Por isso, achei que foi de extrema coragem e, acima de tudo, um comprometimento enorme com a evolução da Iris. Talvez até uma forma de reparar os erros que cometeram com ela no passado, tentando fazer com que os novos fãs a vejam como a grande treinadora que é.

A verdade é que vê-la usando a roupa de campeã; batalhar ao lado do Haxorus que acompanhamos durante toda a sua viagem com Ash como um pequeno e determinado Axew, agora com fortes movimentos como Corte Psíquico, Impacto Vasto e Pulso o Dragão, junto ao Ultraje que já possuía; enfrentar Cynthia mais uma vez, mas agora praticamente de igual para igual; conquistar completamente o respeito de Drayden; ter muitos dos colegas de Unova torcendo por ela no Torneio de Mestres, incluindo o próprio Alder; e estar ainda mais perto de ser a Mestra de Dragão que tanto sonha é muito lindo. Foi realmente um caminho legal que seguiram com a personagem. Além de que deram bastante foco ao seu dom de se comunicar com os Pokémon Dragão e foi graças a ela que a Dragonite do Ash aprendeu o Meteoro do Dragão, o qual usou para criar o exclusivo Meteoro Dragonite. Então, assim como Clément, teve Pokémon evoluído e influência no decorrer da série, mas apresentando um crescimento muito maior e digno para a personagem.


Bem, esse foi o meu Top 10 retornos. Claro que, independente da posição no meu rank, adorei demais ver todos esses personagens. E, lembrando, não usei o critério de favoritismo. Se vocês quiserem fazer o de vocês, ou, pelo menos, o Top 5 melhores retornos, adoraria ler e conversar um pouco! Não sei se irei escrever sobre o Projeto Mew, mas garanto que não sumirei de novo e trarei outro Top e um ponto obscuro de uma teoria citada nessa postagem.


Leiam Também:
Sobre Ersj
anos, Recife-PE, tem Pokémon como a sua franquia preferida desde os 7 anos. Sua mídia favorita é o anime, seguida dos jogos da saga principal e de Pokémon Go. Ama livros e séries, principalmente de fantasia; os filmes que mais assiste são animações, e “Imagine Dragons” é a banda pela qual tem maior apreço. Seu Pokémon predileto é o Pikachu e seu maior sonho é se tornar um escritor.
E-mail: ersj@pokemothim.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar