logo

Pokémothim

Ash vs Cynthia: A Nova Melhor Batalha do Anime?


Olá, Thunders!

Pelo menos para os fãs antigos da animação, acredito que o confronto entre Ash e Cynthia era um dos, se não o, mais esperados; e, entre os pontos positivos de Jornadas, podemos citar que a série nos entregou essa batalha. A questão é: ela foi realmente satisfatória? Conseguiu se tornar a melhor batalha do anime, à la Ash vs Kukui? Convido-lhes a acompanhar uma análise detalhada e compartilhar percepções!


Sem cerimônia, não; para mim, Ash vs Cynthia não é a melhor batalha do anime. Antes de partir para os pontos que acho terem sido acertos ou erros, quero tentar fazer uma desmistificação aqui. Tudo o que envolve a Cynthia muito fãs tendem a colocar como perfeito. E, nossa, isso é muito problemático. E nem pontuo sobre uma supervalorização da personagem, pelo contrário, refiro-me a se qualquer coisa que fizerem com a personagem é "perfeito", isso dá aos roteiristas menos motivos para despender tempo para desenvolver algo realmente perfeito com ela. Ou seja, o que tem intenção de ser valorização, acaba por legitimar decisões mais preguiçosas.

Aproveitando que citei supervalorização, vamos trazer os nossos queridíssimos Dragonite e Gengar. Desde o começo de Jornadas, quando se tinha essa história de "Time de Campeão" para Ash, Pokémon por si só superpoderosos, ambas as criaturinhas citadas ganhavam um status elevado na boca dos fãs. Inclusive, quando se questionava o protagonista não treinar e dar destaque à dupla, muitos defendiam que eles já eram naturalmente fortes, pois "Ash os capturou já evoluídos". O Pokémon destaque do anime é um Pikachu que desde a primeira temporada decidiu não evoluir e provar ser destruidor mesmo assim, mas 25 anos depois os fãs insistem em segurar os mesmos argumentos no anime de evolução ser sinônimo de força (25 ANOS DEPOIS!!! Eu não aguento mais kkk).

Enfim, voltando ao que interessa, Gengar começou a ter desempenhos questionáveis até cedo, mas Dragonite seguiu derrotando Megaevolução, os Pokémon mais fortes da Iris, e isso com o posto de Pokémon de Jornadas menos desenvolvido pelo Ash, infelizmente, mas contando com a defesa dos fãs. Não critico por não gostar dela. Pelo contrário, amo a Dragonite do Ash. Em termos de personalidade, ela e Sirfetch'd tem todo o meu carinho. No entanto, lá no começo da série, eu reclamava e agora temos o resultado. Após serem construídos como Pokémon muito poderosos, Gengar e Dragonite foram escolhidos para terem os piores desempenhos na atual "liga"; afinal, "eles já são considerados muito poderosos, tudo bem se forem ruins agora".

Até podemos dizer que Gengar não teve o pior desempenho tanto na batalha contra Steven quanto na contra Cynthia, mas certamente não foram confrontos que deram o merecido destaque ao Pokémon. Volto também a mencionar algo que reclamo desde a batalha contra a substituta temporária do Surge, a intangibilidade do Gengar só é usada quando convém, quando é para que ganhe. Já Dragonite, desde Raihan e Paul, ela teve um desempenho questionável, o que gerou a piada péssima, porém verídica, do "Goodnight", referenciando Dragonite e Goodra como pseudo-lendários do Ash que só fizeram perder nas suas batalhas mais importantes.

Para finalizar esse tópico da discussão, sobretudo essas batalhas contra Dragonite e Gengar, mantiveram muito um dos defeitos que critiquei das primeiras quatro batalhas do torneio: golpes por turno. O problema aqui não foi a Cynthia, ela estava sendo muito estratégica, mas sim o Ash. Como ele permite que sua Dragonite simplesmente mergulhe em um ataque que vai a fazer dormir? A partir do momento em que percebeu o movimento da Cynthia, deveria ter recuado ou feito alguma estratégia. Lembrem-se que, assim como Pikachu, o Pokémon Dragão/Voador também sabe criar um escudo, mas o seu é feito com vento. Mas, não, Ash simplesmente tinha que esperar o turno dos ataques terminar para poder pensar em outra coisa. Pior, ele nem sequer retornou sua parceira para a Poké Bola, o que a manteria para uma batalha futura, pelo menos. Gengar, coitado, só serviu para usar uma tática que nem funcionou contra Roserade, ou seja, não serviu, já que Pikachu provavelmente derrotaria Spiritomb de qualquer forma; e ainda perdeu com dois únicos ataques, se o que não causou efeito for desconsiderado. Péssimo...

Para mim, o que ocorreu nesse primeiro episódio foi uma tentativa de provar que Cynthia é uma adversária muito poderosa e, mesmo que Ash vencesse, os fãs entenderiam que foi por muito pouco. Erraram? Não. Acho que todos concordam que para o protagonista ganhar, teria que suar muito mesmo. O problema foi o roteiro deixar isso muito claro. Deixar muito óbvio que Dragonite e Gengar estavam ali só para perder. Tiveram uma participação péssima, Ash tomou decisões horríveis ou, às vezes, nem chegou a pensar em nada. E eles não precisavam ganhar, só ter um desempenho melhor antes de caírem. Talvez, se Gengar tivesse cansado mais Roserade, por exemplo, não pareceria que o Pokémon perdeu tão fácil na sua futura batalha contra Dracovish. 

Embora minhas críticas ao Ash e seus dois primeiros Pokémon durante o primeiro episódio da luta, Cynthia estava maravilhosa! Nessa fase da batalha bem mais do que nos dois episódios seguintes, por sinal. Ela usou as trocas muitíssimo bem, as habilidades dos seus Pokémon, vantagens de tipo, mostrou força e inteligência absurdas. Minha única crítica direcionada a ela diz respeito ao seu Gastrodon. Em termos de coreografia, amei a batalha dele contra Pikachu, mas o seu Pokémon perdeu com um único ataque. O qual, por sinal, foi um Ataque Rápido... Enfim, escreverei sobre isso depois. O ponto é que Cynthia e suas decisões foram, sem dúvidas, os elementos mais incríveis do início dessa batalha.

Mas, minha parte preferida diz respeito a algo que temia muito: a derrota do Pikachu. Quando rumores começaram a dizer que o mascote da franquia seria derrotado ainda no primeiro episódio e, pasmem, sem levar qualquer Pokémon da Cynthia, eu fiquei antecipadamente decepcionado. "Como assim, o único Pokémon do Ash realmente treinado para lidar com a campeã terá uma performance tão ruim?". Não fazia sentido. Daí veio o episódio e foi incrível! Primeiro que Pikachu foi muito útil na batalha, mostrou as estratégias loucamente incríveis do Ash (com direito a referência à série Diamante & Pérola, pelo Escudo Contra-ataque), uma coreografia muito superior a dos companheiros que o antecederam e sua derrota foi simplesmente genial.

Cynthia notou que Ash usou Pikachu para tentar mudar o rumo da batalha, estava perdendo feio. Ela sabia que ele era seu Pokémon mais forte, que tinha potencial para causar um enorme estrago em sua equipe, por isso precisava nocauteá-lo o quanto antes. E aqui entra a sua estratégia perfeita. Observando que Spiritomb seria desclassificado, a campeã utilizou o Vínculo do Destino (Destiny Bond) para levar Pikachu junto. Sério, perfeito! Pikachu não caiu por já estar fraco, por não aguentar mais, foi um ataque que o obrigou a cair. A ideia dos roteiristas para tiraram o às do Ash ainda no primeiro episódio, da forma que foi, conseguiu ser coerente e ainda dar mais destaque para a inteligência da Cynthia. Para completar, a maravilhosa música dramática no momento e a ideia de que Ash já estava sem saída. Perfeito! Eu me arrepiei nessa batalha!

A partir do segundo episódio, o cenário parece inverter, incluindo as minhas críticas negativas. Depois de estabelecerem uma certa superioridade da Cynthia que parecia indicar que Ash realmente poderia ser eliminado nas semifinais, o roteiro começou a construir um vitória do protagonista. O que, positivamente, não fez Cynthia tomar decisões sem sentido ao nível das do herói no primeiro episódio, mas pareceram deixar ela menos imponente e recuperaram outra crítica que fiz às primeiras batalhas do Torneio de Mestres: derrotas rápidas, sem a necessidade de muitos golpes. Se, por um lado, os Pokémon do Ash foram resistentes e aguentaram de forma que deixou os confrontos mais longos e interessantes, os da campeã...

Aqui volto para Gastrodon, que perdeu com um único Ataque Rápido, além de segurar as pedras que Pikachu jogou para ele. Talvez, os roteiristas pensaram que, como o Pokémon já teve destaque na batalha contra Iris e Pikachu teve um belo desempenho contra ele, ninguém vai ligar se o derrotarmos assim. Já Roserade, mesmo tendo levado um ataque do Gengar no primeiro episódio, parecia incrivelmente bem, mas foi derrubado com apenas dois movimentos pelo Dracovish. Detalhe que, quando levou o primeiro golpe, ainda parecia resistente. Para tentar tornar isso convincente, foi usado um enredo que Roserade era esnobe e estava se vangloriando, o que faria com que o já esgotado Dracovish tivesse que superá-lo o quanto antes e acabar com todo aquele esnobismo.

Com Milotic, parece ter acontecido o mesmo do Gastrodon, já tinha tido destaque contra Iris, esse Pokémon "poderia" ser descartado rápido. Assim, depois de levar três ataques, nem parecendo fraca após o segundo, a "fada de água" já foi derrotada, especialmente sob a justificativa de que a mordida do Dracovish "causou muito dano", pelas palavras da Diantha, novamente usando aquela estratégia de palavras de afirmação para justificar derrotas rápidas. Soma-se a isso a ideia um pouco sem sentido da campeã de fazer Milotic se aproximar, mesmo sabendo que a vantagem do oponente estava em ataques que exigem proximidade. A exceção aqui foi Togekiss, mas falarei sobre esse Pokémon posteriormente. Então, o que quero dizer é que a Cynthia perdeu muito a sua imponência diante disso. As sinopses indicavam que a personagem ia pressionar o Ash até o terceiro episódio da batalha, no sentido de parecer que ele não estava tendo brecha, mas essa segunda parte da sequência já mudou bastante o cenário.

Partindo para o ponto positivo do episódio, o lado do Ash, seus Pokémon brilharam de uma forma excepcional. Dracovish, ao contrário dos Pokémon da Cynthia nesse episódio e dele mesmo na batalha contra Steven, mostrou-se incrivelmente resistente. Isso não somente por ter passado por três Pokémon, mesmo que apenas um tenha sido derrotado por ele, mas por ter aguentado dois ataques super efetivos: um da Garchomp e outro do Milotic. E não estou reclamando, é isso que precisa acontecer, os Pokémon resistirem mais e trocarem mais golpes. Então, por parte do Dracovish, pudemos ver bastante persistência, coragem, força e resistência. 

Sobre Sirfetch'd, também tenho elogios. Por si só, eu amo esse Pokémon, ele foi o destaque da minha equipe na Liga Galar do jogo Pokémon Sword, por isso passei boa parte de Jornadas escrevendo que estava ansioso para ele aprender a Ofensiva Meteórica (Meteor Assault). De qualquer forma, pudemos ver Ash usar mais das suas brilhantes estratégias, quando pediu para o seu companheiro utilizar o Balanço Violento para destruir a Pedra Oculta espalhada pelo campo de batalha, surpreendendo todos, semelhante ao que Infernape fez na Liga Sinnoh ao destruir os Espinhos Venenosos do estádio. Sirfetch'd brilhou, fez estrago com seus poderosos golpes até mesmo na implacável Garchomp e terminou com a sua admirável derrota de pé, sem cair nem mesmo nocauteado. Porém, todo esse desempenho mascara um detalhe, ele perdeu com apenas 2 ataques. Deve-se lembrar que a Ofensiva Meteórica, ao contrário de outros movimentos semelhantes, não tira vida do usuário. Então, Sirfetch'd teve belas batalhas, mas acho que poderia ter levado pelo menos dois golpes a mais.

E mesmo que mais ao fim do episódio, Lucario também teve seu destaque. Diante da habilidade de Togekiss, a Indulgência Serena, que fez Pikachu recuar; a do Pokémon do Ash, Força Interior, permitiu que não hesitasse e conseguiu lidar com os golpes do tipo Voador do oponente. Troca de ataques boas, duração legal da batalha, aqui ambos os Pokémon foram bem respeitados, dando início a um confronto que seria desenvolvido no episódio final dessa luta. Porém, aqui surge um forte divisor de opiniões: Dinamax Togekiss.

Por um certo tempo, acreditei que os dois lados desse debate eram válidos, já que considerava a vantagem do tipo Voador sobre o tipo Lutador. No entanto, como Lucario também é do tipo Metal, essa vantagem deixa de existir, como me foi lembrado. Sendo assim, é compreensível que haja uma decepção ao não ver Mega Lucario contra Mega Garchomp, principalmente por Garchomp ser o Pokémon mais forte da Cynthia. Ou seja, não vimos seu Pokémon mais poderoso usar sua força máxima contra Ash, o que pode ser interpretado como uma justificativa para o protagonista vencer. Mas, não somente: usar o Dinamax em um Pokémon que não somente não tem vantagem, como também tem fraqueza ao oponente é muito sem sentido, fugindo totalmente da personalidade estratégica que a campeã mostrou no primeiro episódio. O único ponto positivo que pode ser traçado é darem uma nova mecânica para a personagem e ser uma surpresa, visto que a mega tinha sido revelada bem antes da batalha contra Iris. Pensando agora, seguindo a lógica da primeira fase do torneio, de duas megas ganhando e duas perdendo, as semifinais quiseram fazer o mesmo: Mega Gardevoir perdeu para Gigamax Charizard, mas Mega Lucario venceu Dinamax Togekiss. A troco de quê? Uma jogada péssima por parte da campeã de Sinnoh...

Quanto ao desenrolar dessa batalha, achei muito boa. A forma como o anime permite uma maior liberdade nas lutas com Dinamax deixa tudo muito interessante, principalmente ver Mega Lucario conseguir desviar e pegar o oponente de surpresa. Certo que houve uma forçação para Dinamax Togekiss parecer mais forte do que realmente era, a exemplo da Equipe Rocket afirmando que não tinha como o "pirralho" vencer aquele Pokémon gigante, ou Goh e Hop impressionados por o Pokémon conseguir destruir a Esfera de Aura com a Corrente Aérea Max, como se fosse algo que outro Pokémon Dinamax não conseguiria. Ainda assim, Togekiss foi muito resistente e rendeu uma batalha ótima e também estratégica contra Mega Lucario, abusando da maior velocidade que ganhou para tentar superar o adversário. Por sinal, o piano tocando quando o Pokémon da Cynthia voltou a voar foi ótimo! 

Acho que a única outra observação que tenho é como, nessa batalha de forma geral, os animadores não faziam a maioria dos Pokémon parecer fraco, talvez isso mudasse a impressão de vitória rápida que mencionei um pouco acima. Togekiss continuou inabalável e sem um arranhãozinho, apenas quando foi derrotado que pareceu realmente enfraquecido, o mesmo que aconteceu com vários outros Pokémon. Em contrapartida, Lucario parecia exausto desde o início desse último episódio, provavelmente para tentar fazer os fãs pensarem que realmente podia ser derrotado por Togekiss e colocá-lo na mesma posição de exaustão da Garchomp. No tocante à animação, vale mencionar que nos dois primeiros episódios estava bem ok, mas no terceiro é evidente que a qualidade foi elevada.

Finalizando o confronto, Garchomp vs Mega Lucario! Vamos lá. Primeiro, achei a batalha muito rápida, principalmente se tratando do que deveria ter sido a principal rivalidade dessa semifinal. Eles poderiam ter deixado ambos os Pokémon menos desgastados para terem mais tempo de luta um contra o outro. Segundo, as poucas trocas que tiveram foram muitos boas, queria ter visto mais disso! Terceiro, novamente uma música épica de fundo, agora durante todo o confronto, foi maravilhoso! Quarto, notar o quanto a Cynthia estava entregue à batalha e animada, certa de que deveria vencer para enfrentar Leon, também foi incrível. Deu a impressão de que os dois lados davam tudo de si, ambos queriam muito estar naquela final.

A vitória de Lucario também fez muito sentido. Principalmente se considerarmos que os ataques do tipo Dragão da Garchomp não faziam muito efeito nele, além de que finalizou com o Reversão, que, no estado em que estava, quase derrotado, causou 200 de dano. Então, nesse sentido, acredito que a vitória do garoto Ketchum foi bastante merecida. Apenas acho que, sabendo da resistência do Lucario, a Cynthia poderia ter procurado usar mais golpes a distância para tentar preservar seu Pokémon, seria mais inteligente. Também acho que Garchomp poderia não estar tão exausta quanto Lucario já no início da luta, pois só recebeu um ataque do Sirfetch'd, mesmo que muito forte.

De forma geral, a campeã de Sinnoh começou incrivelmente bem, ficou meio perdida no segundo episódio, mas sua postura animada e determinada do terceiro, totalmente entregue ao combate, foi bem bacana. Deu para perceber como pôde se surpreender com táticas do protagonista e se divertir do início ao fim, mesmo quando um companheiro seu caía. Inclusive, muito legal ver sua recapitulação com Garchomp, algo que a motivou ainda mais. Não gosto muito do clichê da aposentadoria que é deixada para lá no anime, mas acredito que ela cumpriu um papel no desfecho do confronto. Três episódios para apreciarmos a Cynthia foi uma das coisas mais lindas desse campeonato! Aliás, para quem a achou muito fria na batalha contra Iris, aqui ela estava um doce!

Por parte do Ash, começou péssimo, mas sua cabeça passou a funcionar e teve um desempenho impressionante. Novamente vê-lo bobo pela vitória, assim como na final da Liga Alola, é interessante, pois mostra que, mesmo dizendo que vai vencer, o garoto não possui esse senso de superioridade, ainda mais batalhando contra uma campeã que admira tanto. Acompanhada disso, a bela comemoração por sua conquista, de amigos, desconhecidos e antigos Pokémon. Assim, foi a primeira vez que vimos Cynthia e Garchomp serem derrotadas no anime.

Foi bom ver o apoio sempre presente do Goh na plateia, especialmente quando Cinderace saiu da Poké Bola por conta própria para torcer por Lucario, retomando uma amizade que não mais vemos com frequência, mas foi muito divulgada na época das suas evoluções. Igualmente a Equipe Rocket, que estava bastante animada na torcida pelo herói, além de Morpeko comer Antigo Gateau como referência a Sinnoh. Além do mais, a equipe do Laboratório do Professor Carvalho assistindo durante todo o tempo também foi outro ponto divertido, apesar de que o destaque foi mais para o próprio professor e para Infernape, em um dado momento, personagens que já tiveram foco em Jornadas. Preferiria algumas falas da Delia e do Tracey. 

Ainda foi legal ver comentários que o Leon fez sobre a Cynthia ao decorrer dos três episódios e a vontade que ela tinha de realmente chegar à final, algo não explícito anteriormente. Pudemos ver o campeão de Galar se impressionar com as estratégias da campeã de Sinnoh e afirmar que apenas força bruta não serve para um treinador poder derrotá-la. Por outro lado, mais legal ainda foi ver a sua relação com Diantha, que não apenas acreditava ser ela a única capaz de derrotar Leon, como também estava declaradamente torcendo pela outra campeã. As cenas que as duas tiveram antes e depois da batalha foram preciosas e indicam admiração e uma possível grande amizade. Devo admitir que senti falta de um certo apoio da Diantha para o Ash também, por eles terem uma relação, pelo menos para a final, mas tudo bem.

Agora, na final, quem sabe finalmente veremos os amigos do protagonista torcendo por ele? É o que mais quero. Inclusive, se Ash cumprir a sua promessa, na final Dragonite terá um desempenho bem melhor. Ainda falando da última batalha do mundial, é interessante notar que não vimos Greninja de fato ajudar Lucario, apenas senti-lo, o que pode indicar que essa ajuda ainda vá acontecer. Acho válido. No entanto, vai ficar repetitivo ele ter aparecido para ajudar Lucario contra Raiham, agora (apesar de ter ficado meio confuso se aconteceu) e contra Leon também. Por mim, deveriam ter guardado só para a final, caso aconteça lá. De resto, pela cena que Ash teve com sua equipe de Jornadas pós-batalha, parece que não vai haver qualquer substituição na sua luta contra Leon, infelizmente.


Resumidamente, na minha opinião, a batalha foi boa sim, mas, por repetir alguns erros dos confrontos anteriores e, ao tentar dar destaque a um personagem na batalha, por vezes, sacrificar o outro - em termos de estratégia, força, habilidades - poderia ter sido melhor desenvolvida. Não foi o nível que estava esperando, mas, independente disso, para mim foi a melhor batalha do Torneio de Mestres até então e uma das melhores do anime! Torço que a final consiga corrigir alguns dos erros que ainda incomodam e que possamos ver estratégias mais elaboradas! O que acharam? Gostaram do resultado? A batalha foi "perfeita sem defeitos"? Acham que é sim a melhor batalha do anime? Contem-me também o que mudariam, caso pudessem. Adorarei ler! 


Leiam Também:

Sobre Ersj
anos, Recife-PE, tem Pokémon como a sua franquia preferida desde os 7 anos. Sua mídia favorita é o anime, seguida dos jogos da saga principal e de Pokémon Go. Ama livros e séries, principalmente de fantasia; os filmes que mais assiste são animações, e “Imagine Dragons” é a banda pela qual tem maior apreço. Seu Pokémon predileto é o Pikachu e seu maior sonho é se tornar um escritor.
E-mail: ersj@pokemothim.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar