logo

Pokémothim

Anime Sun & Moon: Quartas De Final Da Liga Alola


Olá, Thunders!

Nos últimos três episódios, foram mostradas as batalhas das quartas de final da Liga Alola. Os vencedores passaram para as semifinais, mas, por enquanto, focaremos nas lutas dessa última fase.


Gladio x James



Essa foi a única luta sem destaque, talvez por o resultado, para grande parte dos fãs, ser muito óbvio. Por Ash estar fazendo um treinamento paralelamente a batalha, ela sofreu alguns cortes e foi concluída de uma forma rápida.

Antes mesmo da luta, Jessie colocou pressão no James, para que ele vencesse, já que quebrou o combinado anterior e a derrotou. Por outro lado, a ladra ofereceu ao companheiro a Pulseira Z, para garantir a sua vitória. Além disso, em um conversa séria com Mareanie, o Rocket pediu para que o seu Pokémon desse tudo de si e reforçou seu objetivo de, assim como Fábio, enfrentar o Royal Mask.

O confronto se iniciou com Mareanie atacando com o movimento Bomba de Lodo, mas o seu oponente, Lycanroc, desviou facilmente. Após um corte, é mostrado que o Pokémon do James está muito fraco, enquanto o do Gladio não aparenta ter sofrido dano algum. Por isso, ao mesmo tempo em que o adversário utilizou o ataque Dança das Espadas, o Rocket realizou o Movimento Z Eclipse Buraco Negro.

Gladio se impressionou com o fato de o oponente conseguir usar o ataque no estado em que estava, quase derrotado, mas revidou com o Movimento Z Esmagamento Gigalítico. Os poderes se anularam, e Lycanroc derrotou Mareanie ao usar o Gume de Pedra.

Duas curiosidades foram o Neves se lembrar que Ash usou a mesma estratégia que Gladio, para anular o seu Movimento Z quando batalharam, e a maturidade da Jessie, o que gerou um momento bonito de companheirismo entre os membros da Equipe Rocket, mesmo com a derrota.


Ash x Hibi


Antes de iniciar a luta, Rowlet ganhou uma capa-Decidueye dos seus "familiares", Toucannon e suas pré-evoluções. Os dois treinadores demonstraram muita ansiedade para a batalha, e Ash revelou ter escolhido o inicial de Planta não somente por ele querer lutar novamente contra o seu rival evoluído, mas por ser seu único Pokémon que acompanharia o Decidueye no céu, por voar. Os outros estariam em desvantagem, tratando-se do cenário aberto.

Os dois Pokémon desviaram dos ataques um do outro, além de, logo de início, Ash já ter utilizado o Movimento Z Explosão Floral. Decidueye voou para desviar do ataque e prendeu a sombra de Rowlet. Assim, sem que o oponente pudesse escapar, Hibi ativou um Movimento Z, o exclusivo do seu Pokémon. Com a finalização do poder, todos ficaram surpresos ao encontrarem a capa-Decidueye danifica, mas a corujinha um pouco distante. Dessa forma, a roupa serviu como um substituto para ficar preso no lugar do inicial.

Sem mais Movimentos Z para serem usados, as duas corujas começaram uma disputa aérea, com uma desviando dos movimentos da outra. Os primeiros movimentos acertados foram algumas investidas do Rowlet, mas que foram protegidas pelas asas da sua última evolução, e depois chutes dados pelo Decidueye, para afastar o menor. Porém, o primeiro golpe, de fato, a causar algum dano foi o Lâmina de Folha utilizado pelo Pokémon do Hibi, que derrubou o oponente no chão e o prendeu, mais uma vez, com o Manilha Sombria. 

Para que o seu Pokémon fugisse, Ash ordenou que usasse o movimento Dança das Penas. A corujinha o executou parcialmente, o que a permitiu levar menos dano da Lâmina de Folha da sua última evolução. Ao desviar da Folha Navalha usada pelo adversário, Rowlet investiu com o ataque Pássaro Bravo. Na tentativa de confrontá-lo, Hibi mandou o Decidueye usar o Ataque do Céu, mesmo que tenha carregado pouco, por o rival já estar muito próximo. Os dois se colidiram e caíram ao chão, enquanto os seus treinadores imploravam para que se levantassem.

Decidueye ficou de pé e foi declarado o vencedor da luta. Assim, Hibi comemorou com o seu Pokémon, enquanto Ash sentiu o peso da derrota. No entanto, Pandam disse que a batalha não terminou, por Rowlet ter apenas cochilado, não sido derrotado. Dessa forma, o confronto continuou com o inicial atacando ferozmente, mas sua evolução bloqueou todos os golpes e, mais uma vez, o prendeu por meio do movimento Manilha Sombria.

Decidueye carregou totalmente o Ataque do Céu e investiu para derrotar o Rowlet, que, com o incentivo do seu treinador e dos pássaros regionais de Alola, executou com perfeição o ataque Dança das Penas e formou um substituto de penas em seu lugar, que foi atingido por sua evolução final. Aproveitando o movimento surpresa, o Pokémon do Ash usou o Pássaro Bravo e derrotou o seu oponente.  

Sobre essa batalha, vários são os pontos a se destacar. Ash ter passado a manhã treinando com o seu Rowlet e ter feito ele levar ataques para depois ir direto para a batalha é estranho, pois ele deveria estar exausto antes mesmo de levar os golpes do Decidueye. Por outro lado, Hibi se mostrou bastante inteligente ao estudar todos os movimentos do adversário, o que explica só ter sido "derrotado" por causa da Dança das Penas, pois tinha a batalha sob controle.

Um ponto positivo foi o Pandam ter alertado sobre o Rowlet não ter sido derrotado, já que anulou a vitória do seu próprio neto, o que mostrou a sua integridade, ainda havendo o momento em que o apoiou enquanto chorava. A tensão criada foi um detalhe muito inovador, pois nunca chegou a ter uma falsa eliminação completa. O máximo que ocorria eram dois Pokémon caídos, um se levantava e era visto como vencedor, mas desmaiava e o outro que se erguia. Dessa vez, foi uma derrota completa. Aliás, é questionável se o Ash não deveria ser desclassificado, pois o seu Pokémon dormir no meio da batalha mostra desinteresse pela luta, da mesma forma que o Charizard em Kanto, porém, por se tratar de uma característica do Rowlet, talvez tenham relevado. Ainda assim, é muito questionável.

Por fim, a batalha do Rowlet inspirou o Meltan a querer se fortificar e chamar os outros da sua espécie, o que deve ser um grande indício de uma evolução!


Chris x Kiawe



A luta entre Charizard e Vikavolt foi iniciada com o "dragão" atacando com um Lança-Chamas e um Soco de Fogo, mas o adversário escapou dos dois golpes e começou uma perseguição, utilizando o Estilingada e, posteriormente, o Raio Sinalizador. Ainda com os dois desviando agilmente dos movimentos usados, o Pokémon do Kiawe usou o Ás dos Ares, mas foi surpreendido e atingido pelo ataque Canhão Zap, que o paralisou, além de ter sido pego pelo Movimento Z do tipo Inseto.

Antes que o Movimento Z fosse completado, Charizard destruiu o casulo que o prendia, por queimar a teia. Assim, Chris tentou emplacar mais golpes, porém, seu amigo sempre pensava em algo para que o inicial de fogo escapasse. Vikavolt insistiu com o golpe Estilingada, enquanto perseguia o dragão e esquivava dos seus ataques. Dessa forma, o Pokémon Inseto/Elétrico conseguiu prender o adversário e utilizou o Ataque Selvagem, com a intenção de finalizá-lo.

Charizard bloqueou o poder, com um Soco de Fogo, e aproveitou para lançar Vikavolt no chão. Estando os dois Pokémon cansados, o do Chris recebeu um Lança-Chamas e, em seguida, viu Kiawe ativar o Movimento Z Pancada Supersônica. Para enfrentá-lo, o treinador mais baixo pediu para que o seu parceiro utilizasse o Ataque Selvagem, que, apesar de ter segurado um pouco, não foi páreo para o poder do adversário. Assim, o treinador do tipo Fogo saiu vitorioso.  


As palavras ditas pelo Chris antes do confronto foi um fator bom, já que mostrou um interesse maior por batalhas, assim como houve com a Lulú, além de o seu discurso de admiração e evolução ter aberto uma possibilidade real de, caso os roteiristas quisessem, ter derrotado o Kiawe. Como um todo, a batalha foi bem equilibrada e boa de se assistir, até por haver uma grande interação respeitosa e competitiva entre os oponentes.

Um último ponto a se ressaltar foi a revelação de que os pais do Chris assistiam a luta pela televisão, o que pode indicar que os familiares dos demais protagonistas fazem o mesmo, apesar de o ideal ser que fossem mostrados.


Guzma x Vitória



Posteriormente a uma rápida intimidação por parte da Equipe Skull, a luta entre Guzma e Vitória se inicia, com a treinadora alertando o seu Pokémon sobre o golpe Primeira Impressão, já visto por ela numa antiga luta entre Ash e o seu atual oponente. Entretanto, diferente do esperado, quando Primarina tentou usar o ataque Ária Cintilante, Golisopod atacou diretamente o seu pescoço com o Golpe Enfeitiçado, de modo que feriu a garganta do adversário e o impediu de usar o seu principal ataque. Dessa forma, não poderia usar as bolhas para se defender ou atacar, como fez contra a Lulú.

Não podendo usar a voz, Primarina apela para o Aqua Jato, mas o movimento é bloqueado pelo oponente, que o prendeu com as grandes garras e utilizou as menores para aplicar o Golpe Envenenado. Na tentativa de escapar e manter Golisopod longe de si, o inicial evoluído usou o Vento Congelante, que permitiu sua fuga, mas não a imobilidade que planejava.

Sem que soubesse que Golisopod escapou do congelamento, Vitória ordenou que Primarina usasse o ataque Aqua Jet. No entanto, o adversário havia se protegido e esperou o inicial evoluído assumir uma postura de ataque para acertá-lo, mais uma vez, com o Golpe Enfeitiçado. Por temer a nova aproximação, e já planejando um movimento a distância, a treinadora pediu para que o seu Pokémon se afastasse, mas novamente ele foi pego e atacado com o Golpe Envenenado repetitivamente.

Do modo em que estava, Primarina não conseguia se soltar ou acertar o Vento Congelante, por isso foi atingida e lançada para longe. Ao obter a distância que desejava, o inicial aquático executou o Surfar, que serviu como uma barreira protetora para o Míssil de Espinhos do Golisopod. Para a surpresa de Guzma, seu Pokémon notou que, após tantos ataques de gelo, seus pés foram congelados. 

Dessa forma, com o inimigo distante e imóvel, como Vitória queria desde o início da batalha, ela consegue ativar o Movimento Z Sinfonia Marítima, porque Primarina recuperou a sua voz. Porém, destinado a mostrar que sua força é superior a de qualquer Movimento Z, Guzma ordenou que Golisop usasse o Liquidation. Assim, ele conseguiu dividir a bolha gigante em duas e derrotar sua adversária.

Em termos de caracterização do personagem, essa luta foi incrível. Diversos foram os fatores que deixaram clara a personalidade do Guzma, como a sua necessidade de provar que Movimentos Z são desnecessários, já que há toda uma questão de amizade e sentimentalismo por trás; a advertência feita pela Olívia, devido a postura egoísta e desrespeitosa que o vilão teve durante e ao fim da luta; e seu leve surto ao notar como conseguia ver a confiança do Professor Nogueira na Vitória, principalmente quando ela se mostrou determinada a ir até o fim, pois, nesse momento, o malfeitor presenciou uma atitude semelhante a do seu maior rival.

Uma questão muito debatida foi a brutalidade da luta. Sem dúvida alguma, esse foi um dos confrontos mais violentos do anime, no entanto, devemos analisar o contexto. Guzma é um vilão e não possui respeito algum pelos laços entre Pokémon e treinador. Além disso, ele prometeu destruir a liga e sua equipe abusou de estratégias extremamente agressivas. Primeiro, a Plumeria feriu gravemente a pata do Eevee, para impedir que Luan o usasse nas oitavas de final. Seguidamente, o líder da Equipe Skull pediu para o seu Scizor atacar o bebê Kangaskhan, no intuito de abusar do ato de proteção materna. Por fim, ele utilizou de forma pesada a mesma estratégia que a Lulú tentou aplicar: manter proximidade com Primarina, pois o seu maior problema é estar lutando na terra e não conseguir se movimentar bem no ambiente. Ou seja, entendendo isso, é possível ver que a violência não surgiu agora, ela foi evoluindo de forma gradual, além de as movimentações já terem sido explicadas, indiretamente, desde que Vitória lutou contra a sua amiga.

Mas, por que a Primarina? Bem, essa parte está explicada de forma bem mais clara na postagem sobre a Previsão da Liga, mas, de maneira rápida, essa luta precisava acontecer, tratando-se de seguir uma linearidade na história e levando alguns pontos em questão. Eram previsíveis todos os personagens que chegariam até as quartas de final, diria que apenas a Jessie, se houvesse uma luta séria, e a Yasmin, caso os roteiristas tivessem a desenvolvido, poderiam substituir os seus vencedores, mas não foi um absurdo eles ganharem, fez sentido.

A questão é que um amigo do Ash precisava batalhar contra o Guzma antes dele, para o protagonista precisar se vingar e sentir o peso do posicionamento do líder da Equipe Skull. As três opções eram Chris, Kiawe ou Vitória. Os dois últimos são os reconhecidos por sua força, ou seja, teria que ser um deles para o vilão vencer e sair com uma vitória notável, mas o Kiawe não poderia ser derrotado nessa fase, por possuir mais Pokémon que a sua amiga, ou seja, a quantidade reduzida de Pokémon que os amigos do Ash possuem é um fator de peso para dizer quem passa e quem é eliminado. Até porque não haveria como a treinadora lutar nas semifinais apenas com o Eevee, já que será 2x2 e Primarina estaria no Centro Pokémon. Sem falar que, mesmo que não estivesse, seria a terceira batalha consecutiva da "sereia", diferente do Turtonator e do Marowak que só batalharam uma vez. 

Visto isso, a Vitória era a personagem ideal, pois cumpria todos os requisitos: assim como o Ash e o Kiawe, ama lutas; é muito amiga do protagonista, o que faria ele sentir raiva do vilão, diferente da derrota do Luan; e tem um número reduzido de Pokémon que a impedia de passar para as semifinais. Mas, por que não o Eevee? A treinadora estava prestes a lutar contra alguém que prometeu destruiu a liga, então não poderia usar o seu parceiro que possui apenas dois golpes. Ela quis utilizar o seu inicial com uma estratégia que segurou até o final, mas acabou por ser falha. Sem falar que apenas o Pokémon aquático poderia utilizar o Movimento Z. Então, há toda uma lógica que explica o Pokémon que confrontou Golisopod. 

De forma alguma tiro a escolha de não gostar da luta de ninguém, não tenho esse direito e nem quero, até porque, para quem costuma se sensibilizar ou tem alguma conexão com a Primarina, foi horrível vê-la ser alvo da brutalidade do Guzma. Além disso, os próprios amigos da Vitória reforçaram o quanto a luta foi violenta, o que mostra que a intenção era gerar esse desconforto. Enfim, eu só peço que tentem ver o confronto com base na situação e no contexto, ao invés de atribuir conceito soltos e externos, não para gostarem da luta, apenas para que não haja uma distorção do sentido. Entendo as críticas, mas tentemos ver de outro modo.


CONCLUSÃO



Com exceção da primeira luta, as quartas de final tiveram batalhas melhores desenvolvidas, comparadas às das fases anteriores, com pontos positivos como a maior quantidade de movimentos mostrados e uma duração maior dos combates. As estratégias foram mantidas, além de alguns fatores terem sido inseridos para causar surpresa, o que fez dessa uma etapa mais interessante. 

Porém, um ponto negativo foi a batalha do Ash, em específico. Foi uma luta bem desenvolvida e com boas estratégias, apesar de simples, mas que, mesmo com muitos golpes, apresentou uma derrota com pouco dano tirado do Decidueye. O problema não foi o Rowlet ter derrotado a sua última evolução, pois, mesmo que muitos insistam nisso, é uma reclamação extremamente sem sentido, até mesmo fora do anime. A real questão é a coruja arqueira ter levado apenas dois golpes, e a não evoluída já ter entrado na luta "cansada". Não é um grande problema que estraga a batalha, mas visualmente pode causar estranheza nos fãs.

O Professor Nogueira continuou se mostrando muito satisfeito com o avanço dos seus alunos, além de Neves ter dado indícios de que tem certeza de que Ash irá longe nessa liga, a julgar por seus comentários e expressões durante a luta do protagonista. No entanto, a Professora Bruna (Burnet) até então se mostrou apoiadora do Gladio, o que é curioso, pois, mesmo que trabalhe para a mãe dele, ela é basicamente a "Alolan Delia", se é que posso chamar assim, já que faz um papel maternal para o jovem de Pallet.

Um detalhe a se observar é que nas quartas de final outro padrão foi seguido: os vencedores eram os que, na tela de combate, localizavam-se à esquerda.

Para finalizar, diria que a batalha mais acirrada e visualmente mais complexa foi a do Chris contra o Kiawe, com muitos golpes, movimentações e esforço por parte dos dois Pokémon. Já o título de mais desenvolvida para a história deixo a do Ash, por ter finalizado sua dívida com o Hibi e superado ele sem o Movimento Z, diferente da última vez; ou a do Guzma, visto que a forma como derrotou Vitória fez com que todos na Conferência Manalo temessem o seu poder e criou uma forte tensão para as semifinais. 


Agradeço pela atenção, espero que tenham gostado dessa análise e, em breve, conversaremos sobre as semifinais!


Leia Também:



Assista aos Episódios:

Sobre Ersj
19 anos, Recife-PE, tem Pokémon como a sua franquia preferida desde os 7 anos. Sua mídia favorita é o anime, seguida dos jogos da saga principal e de Pokémon Go. Ama livros e séries, principalmente de fantasia; os filmes que mais assiste são animações, e “Imagine Dragons” é a banda pela qual tem maior apreço. Seu Pokémon predileto é o Pikachu e seu maior sonho é se tornar um escritor.
Email: ersj@pokemothim.net

Comentários

Nós da Pokémothim, gostaríamos de agradecer os comentários/sugestões feitos e dizer que eles nos ajudam a melhorar significativamente a qualidade do nosso trabalho, sem falar que é a melhor forma de contato que temos com você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar