logo

Pokémothim

Pocket Monsters: Fenômeno do Dynamax e Gigantamax!


Olá, Thunders!

Depois de um melhor aprofundamento na "gigantificação" dos Pokémon, chegou o momento de se tentar compreender como funcionam as duas formas de crescimento e porque diferem dos jogos em alguns aspectos.

RESUMO

Pelo lado de fora do Estádio Wyndon, os protagonistas tentam atrair Gigantamax Drednaw que destrói o local em busca da Equipe Rocket. Por não conseguirem parar o Pokémon com o diálogo, decidem batalhar em dupla contra ele, mas seus golpes se provam basicamente inúteis. Quase sendo atacados, os treinadores e os seus Pokémon fogem e acabam caindo sobre as rachaduras que liberam a luz vermelha responsável por permitir o crescimento do adversário. Porém, para a surpresa de todos, Pikachu sofre uma reação com isso e também se torna gigante.

Sem saber ao certo como batalhar assim, Ash pede para que Pikachu use os ataques de sempre, inclusive tudo é muito novo e confuso para o Elétrico também, sobretudo por sentir dificuldade para se equilibrar em um corpo maior e mais gordinho. Leon se impressiona por ver um treinador ter um Pikachu Gigantamax, ainda mais por nem usar uma Dynamax Band para isso. O campeão pede para que o mais jovem use o G-Max Volt Crash, e assim é feito antes que fosse atingido pelo movimento Dynamax do tipo Pedra, o que derruba o oponente e o faz voltar ao normal.

Com Pikachu de volta ao tamanho normal, Ash agradece ao Leon pela dica e se apresenta para ele, também recebendo um agradecimento, mas aproveita para pedir uma batalha. Apesar disso, o garoto recebe reclamações de um funcionário do estádio por usar Gigantamax fora do devido local, porém, o campeão pede para que tenha respeito com os heróis que acabaram de salvar a todos.

No outro dia, durante o café-da-manhã, Goh captura um Skwovet, mas Ash nem se quer come, de tão encanto que está com a batalha do Leon, apenas pensando nela, além de ter dormido pouco. O garoto de Vermilion explica que, para lutar contra o campeão, é preciso se inscrever online no Campeonato Mundial Pokémon e ir subindo os ranks, esses divididos em Normal Class (1000 para cima), Super Class (entre 100 e 999), Hyper Class (entre 9 e 99) e Master Class (8 finalistas). Apenas quem chegar ao fim do último pode enfrentar Leon, porém, ele aparece no mesmo instante e diz querer realizar o sonho do herói. Enquanto isso, em busca do Drednaw de antes, a Equipe Rocket acha um Chewtle, a sua pré-evolução, e decide levá-lo para o Giovanni, para que futuramente se torne Gigantamax também.

No Estádio Wyndon, o árbitro se prepara para dar início à batalha não oficial a pedido do Leon, que entrega uma Dynamax Band ao Ash antes do confronto iniciar, explicando que normalmente se usa isso para controlar o Dynamax. Goh explica que o ataque normal do Pikachu na forma gigante se torna Max Strike, o Metal Max Steelspike e o Elétrico Max Lightning. Porém, o campeão avisa que o dele é um Pikachu Gigantamax, por isso os seus movimentos do tipo Elétrico se tornam o G-Max Volt Crash, e que é preciso colocar o Pokémon na Pokébola para carregá-lo com o poder da Band e transformá-lo. O garoto de Pallet diz que o seu companheiro não entra na sua, mas darão um jeito.

Com os seus Pokémon em campo, Charizard e Pikachu, os dois iniciam chocando os movimentos Soco Trovoada e Ataque Rápido, mas a vantagem vai para o evoluído, que repete o seu movimento, agora contra a Cauda de Ferro, saindo-se mais uma vez vitorioso. Inclusive, persistindo com o ataque, destrói a Teia Elétrica e acerta o adversário com o Golpe de Ar. Ash pede para que o seu Pokémon use o Choque do Trovão, o qual é parado por um Lança-chamas que, por pressionar o Elétrico, faz ele assumir a forma Gigantamax e acertar o choque no oponente. Assim, Leon faz o seu parceiro também ficar gigante.

Gigantamax Pikachu começa com o Max Strike, mas o oponente desvia e o derruba com o  Max Airstream. Em seguida, o Elétrico tenta executar o Max Steelspike, contudo, é parado por ser acertado pelo Max Lightning. Então, os dois apelam para os movimentos mais fortes, G-Max Volt Crash e G-Max Wildfire, com Gigantamax Charizard derrotando o adversário por conta do dano adicional.

Leon entrega uma berry para Ash curar o seu Pokémon e pede para que fique com a Dynamax Band, alegando que ele precisa se esforçar mais e que a próxima batalha deles será oficial e com uma plateia. Assim, em meio aos seus devaneios, o garoto decide que entrará no Campeonato Mundial de Pokémon e derrotará o campeão como primeiro passo para se tornar um Mestre Pokémon, ficando assim mais forte ao lado do Pikachu.


DEBATE

Para quem somente acompanha o anime e está tendo o primeiro contato com as novas mecânicas agora, vale mencionar que Dynamax é um fenômeno exclusivo de Galar, por provir de partículas de energia do Lendário Eternatus espalhadas pela região. Essa transformação é temporária e concede maior força e vida para os Pokémon, além de os deixar imunes a determinados ataques e permitir que usem Max Moves, os quais serão correspondentes aos tipos dos quatro ataques que o determinado monstrinho tiver. Porém, existe uma variação, o Gigantamax, o qual só se difere por, além de crescer o Pokémon, tornar a sua aparência um pouco distinta e permitir que tenha um G-Max Move exclusivo, o qual tende a ser melhor quando comparado a um Max Move comum.

Quanto aos movimentos, o anime tem sido bem fiel aos jogos. Como dito na análise anterior, gigantes eles não ficam muito ágeis, o que é bem compreensível. Além disso, os Max Moves foram muito bem retratados, desde o Dreadnaw até o Charizard. Na realidade, arrisco-me a dizer que houve até um detalhamento a mais, se bem for notado no momento em que os utilizam. Entretanto, teve um toque original do anime, o que julgo ser muito positivo. Nesse caso, refiro-me ao Max Steelspike do Pikachu, pelo modo como o faz segurando a cauda. Detalhe simples, mas divertido, igual como a possibilidade de esquivar dos poderes. Era de se esperar que isso pudesse acontecer na animação.

Dois pontos que o anime pode, ou não, diferir dos jogos são no tempo e no espaço. Todas as batalhas até então mostradas foram finalizadas no terceiro turno do Dynamax/Gigantamax, ou seja, ainda não se sabe ao certo se poderia existir um quarto, ou eles voltariam ao tamanho normal mesmo sem perder o confronto ainda. Pelo fato de Gigantamax Drednaw não ter desmaiado quando teve o seu tamanho normalizado, possa ser que realmente sejam 3 turnos, mas ainda deixo como algo que pode ser melhor definido futuramente. Sobre o local, Ash conseguiu ativar o fenômeno fora de qualquer local demarcado no jogo, porém, por estar perto do Estádio Wyndon, possa ser que conte como se fosse um mesmo ponto, então, também não dá para ter certeza se no anime a mecânica pode ser executada em qualquer canto de Galar.

Um problema é que a maioria dessas questões não foi bem explicada para os protagonistas. Por exemplo, Ash chegou a saber que o seu Pikachu é Gigantamax, mas em momento nenhum foi explicado a ele o que isso significa. Ele e Goh descobriram que os treinadores de Galar usam o fenômeno nas batalhas, mas não foi especificado os locais como ocorre nos jogos, o que abre a possibilidade de ser em qualquer um. A questão dos turnos, se não me engano, também não foi dita. Por isso, ainda resta muito a ser explicado dentro do próprio anime.

O item Dynamax Band também foi apresentado, mas, ao invés de ser dito como algo necessário para que os treinadores consigam ativar o Dynamax, foi mostrado com um objeto capaz de permitir o maior controle do fenômeno. Isso faz sentido por Pokémon selvagens poderem ser encontrados gigantes, então, se pararmos para pensar, não é como se fosse preciso dele para ativar a mecânica, mas sim para melhor controlá-la. Essa é uma primeira possível justificativa para terem modificado um pouco a função descrita no anime. Pode-se cogitar que foi simplesmente para explicar o Gigantamax Pikachu sem o uso dela, mas eles poderiam ter dado a Band antes mesmo para o Ash, ou seja, ele cresceu sem ela propositalmente. 

Pelo que foi mostrado, tudo é ditado pela luz vermelha. Elas devem simbolizar justamente a energia de Eternatus, até por serem da mesma cor que as faíscas que saem do seu corpo. Então, como foi mostrado com Snorlax, Drednaw e Pikachu, é isso que permite os Pokémon se transformarem mesmo sem a Dynamax Band. No primeiro caso, o Pokémon conseguiu sugar a energia existente ao redor, e sabe-se pelos jogos que a Wild Area é um ponto energizado, o que torna compreensível. Nos dois últimos, foi devido a uma rachadura no chão que liberou a luz presa debaixo do solo.

Sobre o caso específico do Pikachu, pelo que já foi explicado do fenômeno no anime, acredito que a única dúvida que fica é como ele consegue se transformar sem entrar na Pokébola. Primeiramente, vamos refletir sobre algo: não é um absurdo! Usando a própria lógica dos jogos, na Wild Area, por ser um ponto de energia, os Pokémon selvagens podem ficar gigantes. Por que nos estádios, que também são, isso é preciso? É um recurso mais de estética que os jogos criaram, porque, se formos pensar logicamente, isso talvez sirva apenas para conectar melhor o Pokémon à Dynamax Band. Seria legal que explicassem melhor, mas, se pararmos para pensar bem, ele crescer dentro do Estádio Wyndon é igual como crescer fora, só muda que, ao invés de ficar sobre o energia, ela a absorveu igualmente ao Snorlax.

Como mostrado no episódio anterior, Pikachu reagiu um pouco mais com a aparição do Eternatus do que qualquer outro dentro do avião, o que já poderia indicar algo a mais. Porém, para se entender porque o do Ash não é um comum que faz Dynamax, a explicação existe desde antes do episódio acontecer. Sabe-se que o Pikachu do jogo "Pokémon Let's Go Pikachu" é baseado no do "Pokémon Yellow", que por sua vez é baseado no do Ash. E somente esse Pikachu que é capaz de assumir a forma Gigantamax. Então, sem mistério algum a respeito disso. Ainda há uma referência dessa forma ao design inicial do Pikachu, que era mais gordinho também no anime.

Nisso, entra a participação do Leon. Nos jogos, o personagem interage bastante com o protagonista, muitas vezes com diálogos importantes e que explicam melhor algo, por isso divide bem a função de instrutor com a Sonia. Então, vê-lo ensinando ao Ash e o inserindo no mundo do Dynamax é muito interessante, principalmente por existir uma grande admiração por parte do mais novo. O episódio deixou bem claro como o garoto de Pallet está encantado com a força do campeão, mas o mostrou se impressionar ainda mais com a sua personalidade, tanto quando foi defendido por usar Gigantamax fora do estádio, tanto quando foi dito para que ficasse com a Dynamax Band e se tornasse mais forte. Além disso, a batalha entre os dois deixou nítido o maior nível do Leon, pois Charizard quase não foi afetado pelo Pikachu. Isso tudo contribuiu para que o Ash queira se tornar mais forte e alcançar esse que talvez possa ser considerado o seu novo ídolo.


CONCLUSÃO

O Dynamax e o Gigantamax são fenômenos que foram muito bem apresentados visualmente no anime. Foram muito fiéis aos jogos, ao mesmo tempo em que deram o toque sempre presente da animação, para que seja mais divertido. Ainda resta saber se existe os três turnos como limite para a transformação e se os espaços onde ela pode ocorrer também são específicos, mas certamente isso poderá ser explicado em futuros episódios. O que ficou faltando foi um maior detalhamento para os próprios protagonistas e a diferenciação da variação entre as duas "gigantificações".

Outros elementos dos jogos foram bem inseridos, como a Dynamax Band e luz vermelha, inclusive sendo, em minha opinião, melhores explicados no anime. Por isso, tendo entendido o funcionamento da energia do Eternatus, torna-se simples aceitar que Pikachu chegue à forma Gigantamax sem entrar na Pokébola, mesmo dentro de um estádio, além de o do Ash ter ganhado ela por ser basicamente o mesmo do "Let's Go Pikachu", o qual é o único que difere quando vai fazer o Dynamax.

O que achou da nova mecânica na série? Seria o Leon a nova inspiração e ídolo do Ash? Deixe a sua opinião e continue acompanhando a temporada atual!


Leia Também:

Sobre Ersj
19 anos, Recife-PE, tem Pokémon como a sua franquia preferida desde os 7 anos. Sua mídia favorita é o anime, seguida dos jogos da saga principal e de Pokémon Go. Ama livros e séries, principalmente de fantasia; os filmes que mais assiste são animações, e “Imagine Dragons” é a banda pela qual tem maior apreço. Seu Pokémon predileto é o Pikachu e seu maior sonho é se tornar um escritor.
E-mail: ersj@pokemothim.net

16 comentários:

  1. Guga Scanner04/05/2020 14:15

    "O Pikachu do jogo "Pokémon Let's Go Pikachu" é baseado no do "Pokémon Yellow", que por sua vez é baseado no do Ash",nossa você explodiu minha mente como eu não pensei nisso antes.

    Apropósito eu acho que esse lance da "Dynamax Band" controlar o Pokémon Dynamax,não se refira só á controla-lo na batalha,mas também controlar o Pokémon Dynamax a virar Dynamax.

    Porque além do mais você está "controlando" quando ele vira ou não vira,sabe?

    ResponderExcluir
  2. Nesse primeiro comentário, você está sendo honesto ou irônico? kkkk É por que tem pessoas que não acompanham os jogos, por isso eu tinha que dar essa informação, caso seja ironia.

    Sim!! Exatamente. Eu só quis dizer que a função em si não é transformar, pelo menos no anime, mas é bem isso que você disse. Obrigado pelo comentário!! :)

    ResponderExcluir
  3. Guga Scanner04/05/2020 14:53

    Eu não fui irônico,desculpe se você interpretou dessa forma.

    ResponderExcluir
  4. "Assim, em meio aos seus devaneios, o garoto decide que entrará no Campeonato Mundial de Pokémon e derrotará o campeão como PRIMEIRO PASSO para se tornar um Mestre Pokémon, ficando assim mais forte ao lado do Pikachu." Já que é o primeiro passo, da pra imaginar que mesmo com Ash derrotando Leon nesse campeonato, ainda vai ter mais coisas antes de Ash se tornar um Mestre Pokémon.

    ResponderExcluir
  5. Não, não, eu quem me desculpo. É porque há quem comenta com ironia só para ser maldoso, mas também há quem realmente aproveita o conteúdo. Fico feliz em ter explodido a sua mente, então. ^-^ kkkkk

    ResponderExcluir
  6. Justamente!! Ele chegou a dizer isso no próprio episódio, que é o primeiro passo, por isso, mesmo se o Leon for derrotado, acho que Ash continua no anime. Porém, algo de muito diferente deve acontecer, porque seria estranho ele ser o mais forte treinador do mundo e continuar a pegar insígnias, exceto se ele mesmo disser "mesmo sendo campeão mundial, quero me tornar campeão de regiões específicas".
    Obrigado pelo comentário!! ^-^

    ResponderExcluir
  7. Guga Scanner04/05/2020 19:28

    Valeu!É que eu fiquei pensando,porque diabos um Pikachu no meio de Kanto,teria uma abilidade muito rara de uma região tão distante como Galar,eu achava que era só por conta do Eternatus,já que ele devia ter aparecido por algum motivo,mas depois que você falou que o Pikachu que vira Gigantamax é o Pikachu do jogo "Pokémon Let's Go Pikachu" e que ele é baseado no do "Pokémon Yellow", que por sua vez é baseado no do Ash,minha mente explodiu por que era algo tão óbvio e que faz tanto sentido,que eu precisei comentar.

    ResponderExcluir
  8. Pois é, tanto até que eu n acho que o Goh vai substituir o Ash, já que ele é só um representante do Pokemon GO. E eu fico imaginando que aventuras os roteiristas estão planejando, e se eles estão querendo que passe um ano dentro do anime depois desse campeonato. Esse estilo do anime simplesmente abriu muitas possibilidades, inclusive bem que poderia ter um episódio falando sobre o pai do Ash.

    ResponderExcluir
  9. Nada! ;)
    É porque para quem não sabe dessa conexão, que o Pikachu Gigantamax é o do Let's Go Pikachu, e que esse jogo é como um remake do Pokémon Yellow, torna-se uma surpresa, é normal. Enfim, fiquei contente de ter ajudado. :D

    ResponderExcluir
  10. Exatamente! Acho que passar o foco do anime só para representar Pokémon Goh não seria uma boa decisão.
    E é bem isso, as possibilidades são muitas. Seria muito bom eles fazerem pelo menos um ano se passar. Sobre o pai do Ash, mesmo que ache que seria muito incrível, acredito que seja mais difícil. Imagino que o pai dele só aparecerá quando o anime for acabar mesmo, talvez como um desafio final. Os fãs ficariam loucos. kkkkkk

    ResponderExcluir
  11. Mecânica interessante, tive a primeira experiência e explicação no anime Já que ainda não joguei o jogo).
    Com certeza, o Leon é novo ídolo do Ash

    ResponderExcluir
  12. Tem pessoas que tem o primeiro contato com o anime mesmo, por isso acho importante explicar.
    Também acho! Obrigado pelo comentário!!

    ResponderExcluir
  13. Thiago Wilker06/05/2020 13:45

    Mesmo não gostando deste modo que criaram está sendo melhor do que o modo de aventura em Alola. Disparado pra mim o pior anime Pokémon. Gostaria que no início a aventura só acontecesse em Galar e depois (no fim da aventura), caso precisasse, poderia fazer essas mudanças de locais. Infelizmente o Ash continua um bobão, a diferença é que não teve a amnésia de sempre.

    ResponderExcluir
  14. Thiago Wilker06/05/2020 13:57

    Parabéns pelo trabalho cara! Sou fan de pokémon desde os meus 13 anos. Já são 20 anos...

    ResponderExcluir
  15. Eu tive vários problema com o começo da série Sol & Lua, mas no decorrer para o final se tornou uma das minhas preferidas. Sobre a atual, eu também não gostei tanto das viagens e preferia que fosse exatamente como você disse ou o contrário, depois focasse só em Galar, mas é esperar para ver.
    Apesar de tudo, estou com uma boa expectativa para os próximos episódios. :)
    Obrigado pelo comentário!

    ResponderExcluir
  16. Agradeço demais!! Sei como é, comecei a acompanhar um pouco atrasado, mas desde então não desgrudo da franquia. kkkk
    Obrigado!!

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar