logo

Pokémothim

Incoerências do Ash: Derrotas nas Ligas


Olá, Thunders!

Junto a questão da idade, o atual tema é o mais conhecido entre os não seguidores do anime, já que era muito falado como o Ash não conseguia "cumprir o seu próprio propósito na história". Nada mais justo do que tentarmos entender o porquê de essa vitória ter demorado tanto e se esse realmente é o sonho do protagonista.

Gostaria que dessem uma chance ao entendimento do conteúdo e à explicação, que, apesar de não ser uma resposta oficialmente passada por alguém por trás do anime, está fundamentada com a lógica aparente da franquia. Além disso, a intenção não é mostrar que todos devem gostar do personagem, apenas que alguns dos argumentos usados contra ele não se sustentam.


Batalhas Finais



Anteriormente a qualquer outra liga, é preciso dar atenção à Liga Laranja, conferência exclusiva do anime, na qual ocorreu a batalha do protagonista contra o líder da Equipe Laranja e do ginásio da Ilha Pumello, Drake. Justamente por esse exclusivismo, grande parte dos fãs consideram essa liga como não oficial, mas, novamente, isso ocorre por estabelecerem que o que há no jogo é regra e o de fora é incoerente.

De fato, a Liga Laranja é diferente das demais, não apenas no modo de batalha, mas em diversos outros aspectos, como o papel dado ao campeão, porém, ela é oficial! Cada fã tem o direito de achar que não é, mas, no mínimo, deve deixar claro que dentro do anime ela é colocada como oficial e é a sua mera opinião ir contra a concepção dos próprios roteiristas.

O confronto ocorreu com uma única pessoa, o invicto líder Drake, no Estádio Pumello. Para iniciar a batalha, no episódio "Alô, Pumello", foram escolhidos Ditto e Pikachu. Apesar de o primeiro usar os ataques elétricos para parar o do adversário, o segundo se sobressaiu quando a sua eletricidade se provou mais forte, mas a derrota do Pokémon transformação ocorreu logo após, quando recebeu uma "chicotada elétrica".

Em seguida, a luta iniciada foi entre Onix e Squirtle, com o do tipo Pedra utilizando bem o ambiente ao seu favor e conseguindo prender o oponente, mas, por meio de um Hidro Bomba e de um Quebra-Crânio, o inicial venceu. Então, para o terceiro Pokémon do Drake, Gengar, Ash escolheu Tauros, contudo, o Pokémon foi deixado no estado de confusão, o que levou o treinador a escolher o Lapras para substitui-lo. Assim, depois de o aquático esquivar dos ataques do Fantasma, mantendo-se embaixo da água, a batalha se conclui com uma explosão causada pelo choque entre o Raio de Trevas e o Raio Congelante, o qual eliminou ambos.

O embate foi concluído no episódio seguinte, "Que Venha o Dragonite", que iniciou com a batalha entre Tauros e Venusaur. O ambiente atrapalhou o desempenho do touro, que também recebeu muitos ataques, mas sua resistência e a sua força bruta o permitiu vencer, através de uma Investida. Seguidamente, Bulbasaur quem assumiu o campo de batalha, para enfrentar Electabuzz, entretanto, mesmo com a vantagem, o inicial foi desclassificado ao receber um Soco Trovão.

Desse modo, Ash selecionou Charizard para enfrentar o Elétrico e, ainda que tenha levado muito dano, eliminou o adversário ao usar o Arremesso Sísmico. Por fim, Drake escolheu Dragonite. O confronto entre os dragões foi acirrado, mas o Pseudo-Lendário venceu com o Fúria do Dragão. Depois disso, uma chicotada de cauda desclassificou Squitle, e um Choque do Trovão o Tauros.

A luta decisiva ocorreu entre Dragonite e Pikachu, com o resultado surgindo após o roedor desviar de um Hiper Raio e, segurando nas antenas do dragão, usar o Choque do Trovão, de modo a derrotá-lo. Com isso, Ash ganhou o troféu da Liga Laranja e um lugar de destaque da galeria da fama, junto aos seus Pokémon. Assim, essa foi a primeira vitória do garoto em um liga, entretanto, mesmo que seja oficial, ela não funciona como as demais que serão mencionadas a seguir, por isso foi trabalhada separadamente, mas não significa que a conquista foi inválida.


A primeira derrota do garoto de Pallet ocorreu na região da qual fazia parte, Kanto, durante o episódio "Amigo e Inimigo". Na Conferência do Planalto índigo, Ash chegou até as oitavas de final, na qual teve que confrontar o seu mais recente amigo Ritchie. Cada treinador pôde usar três Pokémon, mas as regras da primeira competição eram mais rigorosas, de modo a desclassificar o monstrinho não apenas se fosse nocauteado, mas também caso adormecesse, fosse retornado para a Pokébola ou se recusasse a lutar, esse último tendo sido o motivo para a derrota do protagonista.

Ritchie começou na liderança, quando o seu Butterfree desclassificou o Squirtle do protagonista. Em seguida, a borboleta foi derrotada pelo Pikachu, porém, o Charmander do rival fez o mesmo com o roedor Elétrico. Assim, Ash cogitou usar o Bulbasaur, mas, por ser muito arriscado, no que diz respeito à tipagem, preferiu arriscar de outra forma e selecionou Charizard. O inicial evoluído até fez questão de mostrar sua superioridade frente a sua forma base, o que fez Ritchie retorná-la e a desclassificar, porém, quando notou ser um Pikachu o seu oponente final, o dragão achou o adversário fraco comparado a si e se recusou a lutar, o que resultou no título de Top 16 do seu treinador.


Em Johto, Ash ficou entre os oito finalistas da Conferência de Prata, etapa na qual enfrentou Harrison, novo amigo e treinador a introduzir a terceira geração no anime. A batalha em questão foi completa, portanto, de 6x6, e divida em três episódios: "Não Dá para Vencer o Calor", "Brincando com Fogo" e "A Última Foto da Liga Johto".

No primeiro episódio, apenas foram colocados em campo Pikachu e Kecleon. No seguinte, o roedor derrotou o oponente e foi eliminado por um Sneasel, que, depois, foi nocauteado pelo Totodile. Porém, o inicial de Água foi hipnotizado e desclassificado por um Hypno, que também tentou fazer o mesmo com Snorlax, ainda que tenha sido falho.

Após a vitória do dorminhoco, Steelix e Noctawl assumiram a batalha, com o primeiro saindo como vencedor, o que fez necessário a utilização do Snorlax novamente para derrotá-lo. Assim, Harrison escolheu Houndoom para derrotar o adversário, cumprindo o seu papel. No entanto, Ash selecionou Bayleef, que foi capaz de eliminar o oponente, mas não foi páreo para Blaziken. Dessa forma, se iniciou a batalha final entre a última forma do inicial de fogo de Hoenn e a do de Kanto, Charizard.

Durante a primeira parte do terceiro episódio, a batalha entre Blaziken e Charizard foi desenvolvida, com muitas trocas de golpes e mantendo um bom equilíbrio entre os dois iniciais evoluídos. Em um dado momento, acreditou-se que o de Hoenn foi eliminado, mas ele retornou para a luta e se saiu vitorioso, após o choque dos ataques Lança-Chamas e Ira do Dragão. Sendo assim, Ash foi derrotado nessa fase, mas com um grande desempenho e redenção do seu Pokémon, diante do que houve na liga anterior.


A terceira liga foi a da região de Hoenn, na qual o protagonista, assim como na anterior, chegou a ficar entre os Top 8. Esse confronto ocorreu nos episódios "Escolha ou Perca" e "No Fim da Luta", nos quais o grande oponente do protagonista foi Tyson, também em uma luta completa, de seis Pokémon para cada treinador.

O episódio inicial da luta somente introduziu a batalha entre Glalie e Sceptile, os quais chocaram os ataques Raio de Gelo e Raio Solar, ocasionando a derrota dos dois. Depois disso, os que assumiram o estádio foram Shiftry e Torkoal, de modo que o segundo venceu, mas logo foi derrotado por Hariyama, da mesma forma que Corphish.

Com a intenção de reverter a situação, Swellow assumiu a tarefa de eliminar o Lutador e a executou com maestria, além de ainda desclassificar Donphan. Então, Tyson selecionou Metagross, que derrotou a ave regional e Grovyle, mas não resistiu a estratégia feita pelo Pikachu. Dessa forma, a luta final foi entre o roedor e o Meowth do adversário.

Algo a se destacar é que o Meowth utilizar ataques elétricos para parar os do Pikachu foi muito sábio, porém, acredito que o roedor só tenha perdido essa batalha por já ter lutado contra Metagross. Caso essa luta anterior não houvesse ocorrido, acho que o Pokémon Elétrico venceria e, assim, Ash iria mais longe na Conferência Sempre Grande.


Na Conferência Lírio do Vale o Ash foi até a semifinal, nesse caso, ficou entre os Top 4 treinadores mais fortes da Liga Sinnoh. O embate que definiu a eliminação do herói foi no episódio "A Fronteira da Semifinal", no que deveria ter sido uma batalha completa, 6x6, mas acabou por ser um pouco diferente do até então habitual para o anime. Destaca-se que foi Tobias o responsável pela derrota do garoto de Pallet.

O adversário do jovem treinador iniciou com um Darkrai, que derrotou Heracross, com o Devorador de Sonhos; Torkoal, por meio do Vibração Sombria; e Gible com o mesmo ataque anterior. O Pokémon usado pelo garoto que foi capaz de derrotar o Mítico foi Sceptile, após o atingir com o Lâmina de Folha. Entretanto, o inicial evoluído foi eliminado por um Latios, depois de receber um Gigaimpacto.

Posteriormente, Swellow tentou enfrentar o Lendário de igual para igual, mas o movimento Brilho Purificador o desclassificou. Diante disso, Pikachu foi o último Pokémon do Ash, que resistiu o máximo possível contra o oponente, de modo a emplacar uma forte Cauda de Ferro para confrontar o Brilho Purificador. Houve uma dupla eliminação e, assim, o protagonista foi derrotado sem que soubesse quais eram os outros quatro Pokémon do Tobias.


"A Arma Secreta de Cameron" e "Uma Evolução na Liga Unova" foram os episódios nos quais ocorreu a última batalha de Ash na Conferência Vertress, em que ficou no Top 8, sendo a única vez que ele decaiu de posição de uma região para a outra. A respeito da batalha, deveria ter sido 6x6, contudo, Cameron esqueceu desse detalhe e foi para a luta com somente cinco Pokémon.

Inicialmente, a luta aconteceu entre Hydreigon e Boldore, com o segundo derrotado por uma Vibração do Dragão, além de ter derrotado Oshawott com a Investida do Dragão. Nessa situação, Pignite foi o responsável por derrotar o Pseudo-Lendário, ao usar o Quebra-Telha, e Ferrothorn, ao investir com o Ataque de Chamas; mas eliminado pelo Aqua Míssil do Samurott.

Samurott foi derrotado pela Cauda de Ferro do Pikachu, que também desclassificou Swanna por meio de uma Bola Elétrica. Daí, Unfezant foi escolhido para enfrentar Riolo, que nocauteou a ave regional com o Lançamento Circular e evolui para Lucario durante a luta contra Snive.

O segundo episódio deu prosseguimento ao confronto entre Lucario e Snive, já com a derrota do segundo, depois de receber uma Áurea Esférica. Com isso, Pikachu foi o último Pokémon usado por Ash, em uma batalha acirrada, que foi concluída com uma disputa entre a Bola Elétrica e a Áurea Esférica, da qual o ataque do oponente se sobressaiu e derrotou o roedor.

Pikachu se esforçou bastante na luta, até acertou mais golpes no adversário do que o contrário, mas deve-se lembrar que ele já havia enfrentado Swanna e, no anime, quando um Pokémon evoluiu é como se a sua vida se recuperasse por completo.

No entanto, existe uma grande discussão quanto a queda do Ash para Top 8 e a sua derrota frente a um treinador menos experiente e com um Pokémon a menos. Minha concepção é de que foi um fator de surpresa por parte dos roteiristas, já que, claramente, a batalha seria vencida pelo garoto de Pallet. Aproveitaram-se da situação e da crença quase absoluta da derrota do Cameron, para surpreenderem com sua vitória. Por essa perspectiva, foi uma ótima ideia para causar surpresa, porém, de fato, acabou por ser prejudicial para a imagem do personagem.

A descida no ranking não é um problema, em minha concepção, pois isso ocorre em competições e é normal, mas fazer uma equipe de seis Pokémon perder para uma de cinco deixou o protagonista com um imagem péssima de desempenho em Unova, principalmente na liga. Então, tiveram uma ideia inovadora, ao mesmo tempo que um tanto negativa quanto aos monstrinhos que compuseram a equipe da quinta geração do herói.


A posição do Ash nas ligas deu um grande avanço em Kalos, quando participou da Conferência Lumiose e chegou à final, algo até então nunca conseguido pelo garoto. O confronto que permitiu Ash ficar no Top 2 foi contra Alain, em uma batalha completa apresentada nos episódios "A Final É para os Fortes" e "Uma Final Ardente", com os dois treinadores usando seus 6 Pokémon para que o grande campeão fosse decidido.

No primeiro episódio, a batalha foi iniciada entre Pikachu e Tyranitar, com o primeiro usando o campo de batalha para molhar o segundo e, assim, tornar os seus ataques Elétricos muito eficazes, algo que proporcionou a sua vitória com uma Esfera Elétrica. Após isso, Noivern e Weavile batalharam, mas o Raio Congelante tirou muito dado do Pokémon Dragão, derrotado em seguida por um Talho Noturno.

Desse modo, Hawlucha pediu para confrontar o Pokémon Noturno, resistindo a todos os seus ataques e esperando o momento certo para usar o Aperto Voador, movimento que o permitiu ganhar o confronto. Porém, Alain escolheu Bisharp para lidar com o Lutador, de forma a eliminá-lo com o movimento Guilhotina. Em seguida, uma batalha aérea entre Unfezant e Talonflame resultou em um empate, quando usaram, respectivamente, Ataque do Céu e Pássaro Bravo.

Com metade dos Pokémon derrotados, o combate continuou entre Metagross e Pikachu, com o primeiro ferindo intensamente o Elétrico. Apesar disso, o roedor conseguiu subir em cima do Pseudo-Lendário, de modo a descarregar uma sequência de Choques do Trovão e o derrotar com a Cauda de Ferro. Daí, Charizard foi colocado em campo e levou alguns poderosos golpes do Pikachu, mas o derrotou com a Garra de Dragão.

Dando prosseguimento, Goodra enfrentou Bisharp, mas não foi páreo para a velocidade dos golpes do adversário e foi eliminado por uma Guilhotina. O problema quanto a rapidez do oponente não foi um empecilho para Greninja, que o desclassificou com facilidade, através de uma Estrela Ninja de Água. Por fim, as poderosas formas Ash-Greninja e Mega Charizard X concluíram a final. Ainda que o dragão tenha inicialmente lutado sob a chuva e recebido mais golpes, ele se saiu vitorioso e deu o título de campeão para Alain.



A Conferência Manalo foi o evento no qual Ash se tornou campeão pela primeira vez em uma liga padrão, logo após vencer a sua luta contra Gladio, em Alola. A batalha final ocorreu nos episódios "As Finais! O Derradeiro Confronto de Rivais" e "A Ascensão do Campeão de Alola" e, pela primeira vez, apresentou uma final sem uma batalha completa, tendo sido 3x3.

Inicialmente, foram usados Melmetal e Silvally. O Mítico emplacou fortes golpes no Lendário, mas ele assumiu o tipo Lutador e ganhou vantagem, derrotando o oponente com o Multi-Ataque. Assim, Pikachu foi selecionado e tentou abusar da velocidade, mas só derrotou Silvally ao combinar a Teia Elétrica, como impulsionador, e a Cauda de Ferro.

Após isso, Zoroark assumiu a batalha, em forma de Lycanroc, porém, foi rapidamente "desmascarado". O confronto se concluiu com a utilização dos Movimentos Z Carreira Esmagadora e Never-Ending Nightmare, os quais geraram uma dupla desclassificação.

O resultado da batalha foi definido entre os Lycanroc, depois de uma luta muito intensa, na qual a Forma Crepúsculo surpreendeu a Forma Noturna ao revelar também saber o Contra-Atacar, assim dando o título e o troféu de campeão ao Ash.

Um detalhe a se destacar é que, em contraparte à Liga Kalos, o Pokémon do protagonista acertou menos ataques e venceu, porém, a diferença entre a quantidade de golpes foi ainda superior a da outra liga, o que não invalidou a vitória, claro, mas ficou como uma curiosidade.


Inexperiência



Para que se entenda porque das 7 principais ligas que o Ash participou ele só ganhou uma, é necessário analisar o contexto. Pelo que foi apresentado, somente a Liga Kalos não é, ou era, um evento anual, ou seja, todos os anos dezenas de treinadores participam dessas ligas. Então, a tendência é que treinadores mais jovens venham a participar, quando iniciam a sua jornada, mas que os mais velhos que não ganharam e ainda pretender alcançar esse feito continuem a competir contra esses novatos. Dessa forma, aponto o primeiro grande motivo sendo a idade do protagonista.

Como todo treinador Pokémon, Ash conquista as insígnias para poder participar das ligas e tentar atingir a vitória e o título de campeão. Entretanto, o protagonista tem somente 10 anos e está em sua jornada por aperfeiçoamento há menos de um, enquanto precisa lidar com pessoas que participam das ligas ou treinam por vários anos; possuem muito mais experiência. Como forma de esclarecer isso, basta ver os vencedores de todas as ligas de Johto a Kalos. Todos, sem exceção, são adultos, ou, pelo menos, possuem mais de 15 anos: Jon Dickson, Tyson, Tobias, Virgil e Alain. Ainda vale destacar que o de Kanto, mesmo não revelado, aparentava também ter por volta dessa idade.

Até os próprios personagens responsáveis por eliminar o Ash das conferências eram mais velhos do que ele, com exceção de Ritchie, mas provavelmente a vitória seria do protagonista se o Charizard não se recusasse a lutar, e do Cameron, que aparentava ser ainda mais inexperiente que o garoto de Pallet, um dos grandes erros por parte da derrota na Liga Unova.

E por que seria Alola a liga ideal para o protagonista vencer? Afinal, não haviam treinadores mais velhos do que ele? Certamente, mas, seguindo o que foi mostrado nos jogos Pokémon Sun & Moon, ainda estavam sendo formadas novas mecânicas na região; a liga ainda estava para ser criada pelo Professor Nogueira, portanto, nenhum treinador em Alola se preparava para ela ou sequer tinham experiência em uma, exceto se tivesse ido a outra região, como foi o caso do Luan, que participou da de Kalos, mas, comparada à sequência de ligas do Ash, não era um feito tão grandioso.

Nesse caso, o garoto tinha mais experiência do que quase todos da Conferência Manalo, o que fez dessa liga a única até então ideal para que se tornasse o campeão, principalmente se baseando nessa questão de idade e experiência, requisitos que foram respeitados com muita coerência na história, mas não é algo sobre o qual os fãs costumam dar atenção.


Repetições



Um ponto interessante a ser tratado, apesar de não pretender aprofundar nesse post, é a impossibilidade de o Ash ser tirado do anime. É impossível? Na realidade, não, mas, se ocorrer, tende a ser de uma forma distinta da idealizada por quem quer que isso ocorra, por motivos que não cabem serem discutidos por agora. O que, nesse momento, importa é que, nessa perspectiva de o Ash não poder sair do anime, além da questão da idade dele já explicada, também afeta o seu desempenho nas ligas. Particularmente, acredito que a questão da experiência é o suficiente para justificar as derrotas, mas, como também existe essa questão, é válido dar o devido destaque.

Alguns argumentam que a vitória do Ash deveria acontecer desde Kanto, mas não faria sentindo um treinador recém-iniciado no ramo já ganhar a vitória na primeira tentativa. Fazer o jovem avançar aos poucos o seu desempenho nas ligas ajudou na construção do personagem e na percepção de uma evolução da já mencionada experiência. Enquanto a obtenção dos títulos for privilegiada em relação às formas e aos méritos para que sejam conquistados, a valorização se dará às nomenclaturas ao invés das personalidades.

Ainda vale mencionar a situação da Elite 4. Também é muito dito como o Ash já poderia ter ganhado a liga há certo tempo, pois ainda restaria vencer os 4 treinadores mais fortes da região antes que chegasse ao campeão. Contudo, fazer o Ash deixar de perder nas ligas para ficar perdendo nas Elites dos 4 faria os fãs deixarem de reclamar? Mudam-se os oponentes, permanecem as reclamações.

Então, quem sabe, caso o protagonista continue com esse papel na nona geração, ele possa chegar à Elite 4, visto que em Galar ela não é existente? A propósito, desde Alola, no anime, evitaram citar a existência dela, tanto que o Professor Nogueira nem chegou a formá-la, então, ainda é imprevisível o destino que será dado a esses famosos quartetos regionais.


Relevância 



As Conferências da Liga Pokémon são de extrema importância para o Ash, visto que ele decidiu seguir a sua jornada como um treinador, buscando insígnias e participando dessas competições para poder batalhar contra os mais fortes campeões e Pokémon. Portanto, vencê-las é, sem dúvidas, um grande passo na trajetória do protagonista, mostra um elevado desempenho; mas perdê-las não destrói isso, ao contrário, mostra que não é perfeito e ainda precisa aprender, seguir caminhos para absorver novos ensinamentos e, por isso, começar novas aventuras, conhecer novas regiões e amigos.

Vencer a liga é importante, mas não satisfaz o desejo do protagonista por si só. Trata-se de uma etapa, relevante, mas ainda uma dentre muitas fases. Isso devido ao sonho do garoto de Pallet ser se tornar um Mestre Pokémon, não um campeão de uma liga, até porque, caso essa fosse a pretensão, sua jornada terminaria em Alola.

Então, ele almeja vencer os campeões? Assim como como as ligas, também, mas ainda não é esse o seu sonho, pois aí se tornaria o campeão da região, não um mestre. No entanto, claro, possa ser que, ao chegar ao papel do treinador mais forte de uma região, para si, tenha se tornado o mestre que escolheu ser.

Afinal, o que é ser um Mestre Pokémon? Não sabemos. Já se entende que não é ser o campeão de uma liga, muito menos vencer uma Elite 4. Derrotar o campeão de uma região concede esse título? Talvez em parte, mas acredito que não se resuma a isso. Além disso, a questão de pegar todos os Pokémon, na primeira temporada, era colocada como parte do sonho, mas, por motivos de maior caracterização e desenvolvimento, essa foi uma percepção modificada ao longo da história.

Devido a isso, ainda é incerto como e quando o sonho do jovem Ketchum irá ser realizado, mas vencer a liga não funciona como uma conclusão. A conferência exerce o papel de um apoio evolutivo e de uma maior absorção de experiência, e, por conseguinte, perder seis delas não o impediu de seguir o seu sonho e foi de extrema importância para o seu crescimento em novos locais e com novos companheiros.


Conclusão



Para quem acompanha o anime desde o início, as seis derrotas na liga podem até parecer muito, porém, após tudo que foi apresentado, façamos uma analogia rápida: um garoto, aos dez anos, recebe a oportunidade de fazer algum esporte, e, dentro desse tempo, sem que nem se passasse um ano, ele participou de diversos campeonatos oficiais com pessoas mais velhas e que fazem o esporte há muito mais anos quando comparado ao tempo dele. Esse mesmo menino perder apenas seis vezes já deveria ser, no mínimo, surpreendente. 

Com isso, não afirmo que se deve haver uma comemoração sempre que o Ash perder, mas que a análise feita costuma ser no sentindo de "só presta se ganhar" e levando em conta o tempo no mundo real, fator esse que é o que mais gera críticas à temporalidade do anime, por constantemente quererem jogar a nossa cronologia nesse universo. Seguindo essa parâmetro realístico, tão proposto, faz sentido o garoto de 10 anos ganhar as competições oficiais contra esses outros participantes? O Ash mereceu vencer em Alola e o enredo deu uma brecha para isso, o que pode fazer ele também ganhar a próxima liga, mas, caso não aconteça, existe uma explicação que vai além de realizar ou não um sonho, até porque ser o campeão da liga não é o sonho dele, ainda que o direcione para tal.

Além disso, as perdas costumeiramente são associadas a uma posição fracassada, tornam o personagem desinteressante e o transformam em motivo de piada. Quando, na realidade, a trajetória desenvolvida, as derrotas nas ligas e o esforço para tentar novamente é muito fiel ao que Ash Ketchum representa. Ele jamais foi o personagem invicto, jamais foi o mais forte ou o mais inteligente, jamais foi independente; é um garoto comum, com um sonho e todo um caminho de aprendizagem, que, em sua simplicidade e ingenuidade, torna-se especial. Uma inocente criança que, aos dez anos, rivaliza com grandes treinadores, mas todo o esforço é desconsiderado por "meramente" ter ficado entre os 16 mais fortes em todas as ligas, com pessoas mais experientes, das quais participou.


Obrigado pela leitura! Espero que tenha gostado. Qual das batalhas finais do Ash na liga é a sua preferida e qual é a derrota mais feia para o personagem, na sua opinião? Restam mais dois posts para essa série finalizar, mas caso tenha algum tema para sugerir adoraria que compartilhasse!


Leia Também:

Sobre Ersj
19 anos, Recife-PE, tem Pokémon como a sua franquia preferida desde os 7 anos. Sua mídia favorita é o anime, seguida dos jogos da saga principal e de Pokémon Go. Ama livros e séries, principalmente de fantasia; os filmes que mais assiste são animações, e “Imagine Dragons” é a banda pela qual tem maior apreço. Seu Pokémon predileto é o Pikachu e seu maior sonho é se tornar um escritor.
Email: ersj@pokemothim.net

Comentários

Nós da Pokémothim, gostaríamos de agradecer os comentários/sugestões feitos e dizer que eles nos ajudam a melhorar significativamente a qualidade do nosso trabalho, sem falar que é a melhor forma de contato que temos com você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar