logo

Pokémothim

Pocket Monsters: Campeonato Mundial Pokémon!


Olá, Thunders!

Mesmo que a atual meta do Ash tenha sido apresentada desde os episódios 12 e 13, foi no episódio 18 que ganhou uma maior explicação, por, além da teoria, ter começado a ser aplicada na prática. Diante disso, o tema da vez é sobre tudo o que você precisa saber a respeito do Campeonato Mundial Pokémon.



RESUMO

No Laboratório Sakuragi, Ash se impressiona ao saber que mais de 10.000 treinadores estão participando do Campeonato Mundial Pokémon, logo após fazer a sua inscrição. Renji relembra de cada classe, e o professor destaca que todos iniciam na Classe Normal, subindo de acordo com as vitórias nas batalhas. O garoto fica empolgado com a quantidade de desafiantes e, aconselhado pelos adultos ali presentes, decide procurar alguém bem avançado na classificação que esteja e que fique nas proximidades, visando derrotá-lo e subir mais rápido de posição. Assim, acha uma pessoa que está classificada como participante 2109.

O Professor Sakuragi revela que se trata da responsável por substituir o Surge em seu ginásio atualmente, Visquez, por o líder estar se aperfeiçoando fora de Vermilion. Goh tenta alertar o amigo de que lutar com alguém tão forte em sua primeira batalha no campeonato pode ser uma ideia ruim, mas Ash se mostra confiante e animado para esse confronto.

No caminho para o ginásio, Ash conta que conseguiu derrotar Surge e seu Raichu no passado, ganhando a sua terceira insígnia. Com isso, o narrador fala que existem ginásios espalhados por todo o mundo e explica como eles funcionam para a obtenção das insígnias, diferenciando-o do campeonato que o protagonista participa agora. Goh desvia o trajeto para capturar um Spearow, mas o seu amigo e Pikachu seguem em frente.

No ginásio de Vermilion, Visquez e Raichu derrotam um adversário com um Hypno, alegando que eles possuíam força, mas não espírito. Pouco depois, Ash chega ao local e, ao se apresentar, tem o seu desafio aceito e é imediatamente reconhecido, pois a substituta revela que Surge fez questão de a contar sobre a grande vitória do garoto e de seu Pikachu. Nesse momento, Goh chega e diz ter capturado Spearow, ainda vendo o seu amigo contar a oponente que será a sua primeira desafiante no mundial.

Surge um Drone Rotom para ser o juiz, afirmando que a batalha foi aprovada pelo Campeonato Mundial Pokémon, que será de 2x2 e explicando as regras oficiais. Assim, Pikachu e Raichu assumem o campo de batalha, iniciando com um embate entre Choques do Trovão. Porém, o segundo usa a Investida Trovão, que quase é parada pelo primeiro usar a Cauda de Ferro para reduzir o impacto e espalhar a energia pelo solo, mas se mostra falho. Depois de ter o seu companheiro lançado pela cauda do oponente e parado por um Refletir, Ash o substitui por Gengar.

O Pokémon do protagonista inicia com a Sombra Noturna, desviando do Choque do Trovão disparado contra si e atingindo o oponente. Em seguida, Gengar investe com o Soco de Gelo, usando sua intangibilidade para escapar do ataque de Raichu e o acertar. Buscando parar o Investida Trovão, Ash pede para que o seu companheiro use o Psíquico, o que garante a derrota do adversário que é jogado à parede. Agora, Electrode assume a batalhada.

Visquez começa com o movimento Levitação Magnética, que, além de impedir Electrode de não ser atingido por ataques do tipo Terra, faz o solo se desestabilizar, de modo que ele pula de pedaços flutuantes de terra e atinge velozmente Gengar, também usando buracos nas paredes para pegar impulso. Ash até tenta fazer seu Pokémon revidar, mas, depois de muito atacado e ser acertado por uma Descarga, ele é derrotado e Pikachu volta para à batalha.

Electrode usa o movimento Rolagem, que faz Pikachu tentar desviar no início, mas logo é pego por uma sequência desse ataque que, a cada turno, torna-se mais forte. Assim, o roedor sobe sobre o oponente e o faz parar de rolar com a Cauda de Ferro, aproveitando para girá-lo ao contrário, lançá-lo na parede e o atingir com o mesmo ataque anteriormente utilizado. Contudo, ainda não derrotado, o Pokémon de Visquez ativa a habilidade "Resultado" e explode.

Por ter se protegido dentro de um círculo de Teia Elétrica, Pikachu se torna o vencedor e dá ao seu treinador a sua primeira vitória no campeonato. Visquez o parabeniza e diz que contará sobre a vitória para Surge, o que faz o garoto revelar que gostaria de derrotá-lo novamente. No entanto, o momento é interrompido pelo Drone Rotom, o qual avisa que as classificações deles foram atualizadas e se despede. Enquanto a substituta do líder de ginásio se pergunta como explicará a queda no rank para o capitão, Ash e Goh se animam com a vitória do primeiro e a sua subida para a colocação 3.763.


DEBATE

O Campeonato Mundial Pokémon é uma competição na qual se elege o treinador mais forte de todo o mundo. Enquanto ao participar de uma liga em uma região se torna o campeão dela, nesse caso se tornaria um campeão mundial, ou seja, a posição até então mais alta de um campeão, acima dos regionais. Contanto que se registre corretamente, qualquer treinador poder participar e ser colocado em um sistema de classificações, onde se deve ir subindo os ranks para se chegar ao topo. A julgar pela quantidade mostrada na última classificação, o mínimo de treinadores a participar deve ser em torno de mil, mas não se há um máximo definido.

Sobre essas classificações, são divididas em quatro: a Classe Normal (Normal Class), na qual batalham todos que estejam na posição 1000 ou mais, sendo aqui onde se encontra a maioria dos participantes; a Super Classe (Super Class), em que disputam os treinadores que estejam entre a 100ª e 999ª posição; a Hiper Classe (Hyper Class), sendo a pertencente aos do 9° até a 99° lugar; e a Classe Mestra (Master Class), responsável por abrigar os 8 mais poderosos. No final de cada temporada do campeonato, os que compõem o Top 8 se enfrentam entre si para que seja eleito o campeão mundial.

Uma dúvida que pode ficar presente é quem compõe as classes mais altas? Seriam esses os campeões regionais, Elite 4 e líderes de ginásio? Obviamente, é de se esperar que, por serem reconhecidamente treinadores muito poderosos, esses possam alcançar grandes classificações no Campeonato Mundial Pokémon, mas isso não é regra por todos começarem do mesmo ponto. Independente de qual a idade, gênero ou papel exercito pelo treinador, todos começam na Classe Normal, sem nenhum privilégio, e precisam ir subindo o rank. Isso não só é deixado bem claro pelo Professor Sakuragi e pelo narrador, como, se pensarmos logicamente, se Ash que é um campeão regional precisa começar do zero, é de se esperar que qualquer outro, talvez com a exceção do campeão mundial, passe pelo mesmo.

Ainda existe a importância do Rotom Phone, por onde Ash deve ter feito a sua inscrição para o Campeonato Mundial. Porém, não apenas atua dessa forma, como também é através dele que se localiza participantes do torneio e se pede para que haja uma batalha reconhecida oficialmente. Para que o confronto ocorra, é preciso que ambas as pessoas estejam de acordo e aceitem pelo aparelho, como foi mostrado nesse episódio. Para além, é por meio dele que se acompanha a subida de classificação, podendo ver exatamente em que posição o determinado personagem está e em qual rank.

Outro Rotom envolvido no campeonato é o Drone Rotom, sendo o dispositivo de maior importância aparente para o funcionamento dele. Pelo que foi mostrado até o presente momento, não ficou claro se é um dos treinadores que escolhe a quantidade de Pokémon numa batalha, mas se pode acreditar que isso é feito pelo próprio Drone Rotom, cabendo a ele dizer quantos monstrinhos o treinador usará em cada confronto, de forma possivelmente aleatória. Ele também é responsável por explicar as regras, sendo elas a da troca livre durante o combate, a vitória para quem derrotar todos os Pokémon do oponente e o seu cargo de juiz por aprovação dos envolvidos com o campeonato. Ademais, assume a responsabilidade de atualizar a classificação de cada participante e a manter sempre correta de acordo com as vitórias e derrotas numa batalha, de forma imediata.

Existem alguns pontos importantes além do tema focado. O primeiro deles é Raboot, pois ele demonstrou interesse durante toda a batalha, o que fez muitos cogitarem que é porque queria lutar ao lado do Ash, mas, se for bem notado, isso foi mais do que somente pela batalha, também foi por conta do Pikachu, tanto que foi em seus confrontos que demonstrou a maioria e as mais preocupadas reações. O recém-evoluído se tornou mais reservado com os seus próprios sentimentos, o que o fez também se afastar do roedor, tanto que, ao fim do episódio, mesmo que tenha se importado quando pensou que o amigo seria derrotado, fingiu não ligar quando foi comemorar ao seu lado. Sobre o treinador, Goh, é interessante vê-lo funcionar como o próprio telespectador, que se impressiona com as estratégias do Ash e até o elogia pela criatividade.

A Visquez deixou muitos confusos quanto ao seu gênero, inclusive achava realmente que se tratava de um homem com traços considerados mais femininos, mas se mostrou uma personagem muito carismática, esforçada e que possuía grande admiração pelo Ash. Traços muito interessantes e que permitem maior afeição por parte dos telespectadores. Na batalha contra ela, duas referências foram feitas, uma sendo a uma fase do jogo Pokémon Snap, por Pikachu rolar sobre Electrode, e outra mais clara, sendo à batalha contra Surge, na qual o roedor usou a sua cauda no solo igualmente como fez nesse episódio, apesar de a situação ser um pouco diferente. A propósito, para quem ainda insiste, essa foi mais uma prova da continuidade do anime.

E sobre Gengar, essa foi a sua primeira batalha de verdade ao lado do Ash, desconsiderando a que foi feita contra a Equipe Rocket, e ele se provou ser muito poderoso, mesmo que isso já fosse nítido desde o penúltimo episódio. Contudo, os créditos também vão para o seu treinador, que soube o usar muito bem, o colocando em campo assim que notou que seria mais útil contra a ágil cauda do Raichu, o que foi uma bela estratégia, embora isso traga um problema: a intangibilidade por conveniência. Essa é uma tática muito poderosa, tanto que, quando usada, costuma dar certo, mas Gengar só a põe em prática quando é para ganhar, se é que me entendem. Era muito simples, por exemplo, ele esquivar das investidas do Electrode: bastava ficar intangível. No entanto, simplesmente não fizeram isso para que fosse derrotado. Fica um pouco estranho, como se fosse um forçação do roteiro.


CONCLUSÃO

O Campeonato Mundial Pokémon é uma competição grandiosa, dividida em quatro classes definidas pela quantidade e peso das batalhas, responsável por eleger um campeão mundial depois de um breve torneio entre os oito mais fortes. Não existe uma quantidade máxima de participantes e nem critérios muito claros para se inscrever, além de todos começarem de um mesmo ponto independente da sua profissão ou relevância como treinador.

Enquanto o Rotom Phone garante o encontro de treinadores que queiram se enfrentar e permite que a sua classificação seja checada, o Drone Rotom é quem faz o papel de juiz e, possivelmente, escolhe quantos Pokémon serão usados na batalha, além de manter os dados classificatórios sempre atualizados.

De modo geral, o episódio foi espetacular: fez menções diretas ao passado e referências, trouxe uma nova personagem marcante, evidenciou as estratégias do Ash e ainda conseguiu mostrar uma mistura de sentimentos do Raboot durante a batalha. O único ponto negativo que vejo é a intangibilidade por conveniência, que realmente acho que acontecerá durante toda a essa atual série. Apesar disso, acompanhar o campeonato é algo muito interessante, sobretudo por ser um evento tão relevante e desafiador para o garoto Ketchum. Espero que estejam ansiosos para o desenrolar dessa competição e não deixem de torcer pelo jovem herói de Pallet!


Leia Também:
Pocket Monsters: Família e Compreensão do Goh!
Pocket Monsters: A Maldição de Gengar!
Pocket Monsters: A Divergência entre Scorbunny e Goh!
Sobre Ersj
19 anos, Recife-PE, tem Pokémon como a sua franquia preferida desde os 7 anos. Sua mídia favorita é o anime, seguida dos jogos da saga principal e de Pokémon Go. Ama livros e séries, principalmente de fantasia; os filmes que mais assiste são animações, e “Imagine Dragons” é a banda pela qual tem maior apreço. Seu Pokémon predileto é o Pikachu e seu maior sonho é se tornar um escritor.
E-mail: ersj@pokemothim.net

Comentários

Nós da Pokémothim, gostaríamos de agradecer os comentários/sugestões feitos e dizer que eles nos ajudam a melhorar significativamente a qualidade do nosso trabalho, sem falar que é a melhor forma de contato que temos com você.

10 comentários:

  1. Johnny Edwin Da Cunha Cruz21/05/2020 21:09

    Sobre a intangibilidade do gengar não ter sido usada contra o electrode, devesse pelo fato de que a Visquez transformou um movimento de suporte, o magnet rise, em um movimento de ataque. Pelo fato do magnet rise ser um movimento elétrico, isso permitiu que as investidas do electrode fossem consideradas ataques elétricos, anulando a intangibilidade do gengar. Se pensarem um pouco, o magnet rise funcionou como um pseudo refrigerator, habilidade esta que transforma ataques normais em ataques congelantes.

    ResponderExcluir
  2. Vai ser muito interessante acompanhar esse campeonato, que parece uma especie de adaptação de um campeonato de futebol...

    ResponderExcluir
  3. Eu não sei, já que a descrição do ataque dos jogos não diz que isso é possível. E, mesmo que o anime seja outra mídia e eles até costumem mudar o modo como os ataques são usados, a Visquez deixou bem claro que o movimento permite levitar o Electrode e partes do solo que o sirvam como impulso. Qualquer coisa além da explicação oficial é teoria, e isso que me fez falta, não existir nada comprovado. E, mesmo assim, Ash nem tentou, eles simplesmente fizeram Gengar receber todos os ataques. Se essa é uma tática da Visquez nunca vista pelo garoto, como ele já sabia que a intangibilidade não funcionaria, sendo que escolheu trocar Gengar por Pikachu justamente por ele poder usá-la ao seu favor? Não explica, é preciso forçar muito para dizer que tudo foi natural.
    Além disso, eu citei a intangibilidade por ser algo recorrente. Desde a primeira aparição de Gengar isso ocorre, como quando ele foi acertado por uma Investida, que independente da intangibilidade, não deveria ocorrer por ser um Fantasma. O próprio anime reforçou isso com Golurk. Então, justificar agora seria quebra da própria lógica apresentada.

    ResponderExcluir
  4. É uma boa comparação. kkkkkkkkk
    Obrigado pelo comentário! ^-^

    ResponderExcluir
  5. Johnny Edwin Da Cunha Cruz22/05/2020 11:31

    Se está se referindo quando o yamper o acertou, deve ser porque ele deve ter usado o odor sleuth. Era por isso que o yamper conseguia achar o gengar, mesmo invisível, sem falar que o odor sleuth tira a imunidade dos fantasmas mas, se o usuário for um normal, ele perde a sua imunidade a fantasmas.

    ResponderExcluir
  6. Faria até sentido, mas, no anime, o Odor Sleuth faz o focinho do Pokémon brilhar, e, além de isso não ocorrer, o Yamper não tem acesso a esse ataque nem por nascimento e nem por TM. O único movimento até então dele é o Spark.

    ResponderExcluir
  7. Johnny Edwin Da Cunha Cruz22/05/2020 18:59

    Pois ele deveria ter. Era pra ser obrigado todo pokémon cachorro saber o odor sleuth, já que o olfato é o sentido mais sensível dos cães.

    ResponderExcluir
  8. Johnny Edwin Da Cunha Cruz22/05/2020 23:18

    Seria interessante se alguns dos companheiros do Ash se interessasse pelo torneio mundial, mas o único onde vejo que poderia participar seria o Kaki, pelo lado dos garotos, enquanto pelo lado das garotas, não vejo interesse de uma delas quererem ser a mais forte do mundo, embora a Misty e a May terem os times mais ofensivos das garotas.

    ResponderExcluir
  9. Crystiano Matheus Facchi23/05/2020 11:02

    Essa temporada meeee mano cadê Pokémon se vdd!?

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar