logo

Pokémothim

Pocket Monsters: O Funcionamento das Reides!


Olá, Thunders!

Com a segunda reide mostrada no anime, essa com maior foco e detalhamento, o debate da vez será voltado para isso, para que reste o mínimo de dúvidas possíveis sobre a adaptação dessa mecânica para o universo animado.


RESUMO 

Em Unova, Ash e Goh se dirigem para o Resort do Deserto, onde pretendem encontrar algo recém descoberto, as Ruínas do Titã, animados para acharem o Pokémon que carrega esse título. Sem que saibam como atravessarão a areia fervente, recebem a dica de uma Pokémon Ranger acompanhada por um Meditite, que sugere que usem um Pokémon Voador para levá-los com o esporte Sandboard.

Enquanto a Pokémon Ranger segue com o seu Braviary, Ash utiliza Dragonite e Goh Beedrill, os quais fazem uma breve corrida vencida pelo primeiro. Chegando às ruínas, Pikachu e Scorbunny são atacados por um Darmanitan que sai do Modo Zen, mas facilmente é capturado pelo garoto de Vermilion. Nesse momento, o chefe da equipe de escavação se apresenta com o seu Litwick, responsável por o ajudar e iluminar o caminho.

O chefe da escavação conta que a área do Resort do Deserto em que estão era uma cidade e o Titã foi criado para protegê-la, além de mostrar o símbolo chave. Porém, são interrompidos por os alertarem de que novas escrituras foram achadas, o que faz o mais velho ir vê-las, enquanto os garotos seguem para dentro das ruínas. No caminho, um Sandile surpreende Pikachu e Scorbunny, mas é derrotado pelo de Fogo e capturado por Goh. Em seguida, Ash tenta pegar um Woobat, mas cai na primeira de uma série de armadilhas pelas quais passam.

Ao cair de um piso falso, Ash é salvo pelo Meditite da Pokémon Ranger de antes, que agora se apresenta como Keira, diz querer descobrir quem é o Titã e mostra a eles que para não ativar as armadilhas basta ter cuidado com os botões que possuem o símbolo chave. Nisso, dois Cofagrigus surgem, mas, por seus corpos estarem próximos ao chão, a aventureira percebe que estão prendendo pessoas e as mumificando, por isso Pikachu os ataca e liberta Colovari, um colecionador de Pokémon Brilhantes (shinies), e o seu Psyduck azul.

Colovari mostra em seu Rotom Phone azul alguns Pokémon que já capturou com cores alternativas e diz que, por o seu primeiro Pokémon, Psyduck, ter sido brilhante, capturar todos dessa mesma forma está em seu destino, mesmo que leve toda a vida. Assim, juntos, os treinadores chegam à última sala.

Tentando descobrir o mistério presente no ambiente, Psyduck tropeça e ativa um botão que gira o centro da sala, o que leva Keira a perceber que cada um dos cinco emblemas espalhados tem ligação com um dos cinco círculos centrais. Assim, os quatro restantes dispositivos são acionados e a forma central se transforma no símbolo chave, o que faz um gigante ovo surgir, do qual imediatamente nasce um Golurk maior do que o normal.

O chefe da escavação chega para avisar que conseguiu decifrar tudo, mas percebe que já tinham descoberto por conta própria. Contudo, Golurk começa a atacar, por ser um sistema de defesa criado pelo povo da antiga cidade. Assim, Goh propõe que façam uma Batalha de Reide, que logo é aceita por todos os treinadores ali presentes, menos Colovari por não se interessar, mas Keira oferece o contato de alguém com um Pokémon Shiny para caso ajude.

Litwick, Meditite, Pikachu, Psyduck e Scorbunny vão para a batalha, mas, exceto pelo terceiro, nenhum consegue causar dano e são facilmente derrotados. Com a eliminação do roedor, Dragonite assume o seu lugar e confronta Golurk. Ao mesmo tempo, alguns outros Pokémon são usados, mas nocauteados velozmente: Beedrill, Braviary Lampent. Quando Goh põe Darmanitan em campo, o oponente assume uma forma descrita pelas escrituras e se prepara para reduzir todos a cinzas com um forte ataque luminoso. Com isso, os protagonistas investem antes com os movimentos Furacão e Superaquecimento, derrotando o adversário.

Rapidamente, Goh captura o Titã e é parabenizado pelos demais. Após isso, uma passagem secreta se abre, revelando a antiga cidade por onde o chefe da escavação, Colovari e Keira decidem seguir, cada um com o seu propósito. De volta ao Laboratório Sakuragi, os garotos observam Golurk e Darmanitan como guardiões do parque, enquanto são espionados por Gengar.


DEBATE

Antes de tudo, vale mencionar alguns detalhes interessantes. O primeiro deles é o sonho do Colovari, que é semelhante ao do Goh, mas representa os famosos "Shiny Hunters", algo não muito retratado no anime. O segundo, por outro lado, não é muito positivo, que foi fazerem o Ash mostrar interesse por um Woobat, mas isso simplesmente para dar a ideia de não estar atrasado em relação ao seu amigo, sendo mais uma vez falho em sua tentativa de capturar rapidamente.

Indo para o foco, as reides no anime! De forma geral, essa mecânica consiste na união de treinadores para enfrentar um determinado Pokémon que estaria maior e mais forte do que o normal, de modo a permitir que o capturem se alcançarem a vitória. Porém, na animação, a primeira grande mudança é que não existe um número certo de pessoas para participar do confronto, é livre. Isso por não ser um evento fechado, por isso, quem estiver no local e tiver um Pokémon, ao que tudo indica, pode participar.

Para saber quando uma reide irá acontecer, é possível notar mudanças no fluxo do ar, na temperatura, na umidade e na altitude. Com base nisso, pode-se calcular o tempo para que ela comece e o tamanho aproximado do Pokémon que irá surgir. Além do mais, por ter sido mostrado o Goh acompanhar o surgimento de uma pelo Rotom Phone, existe a possibilidade de ele informar se há alguma reide nas proximidades e quando ela irá ocorrer. Só não é certeza por o garoto também poder estar calculando com base nos seus conhecimentos, visto que é bastante inteligente.

Assim como nos jogos, os Pokémon são bem maiores quando comparados ao tamanho normal. Com Lugia não pareceu ser dessa forma, mas provavelmente por ser Lendário. As reides para esse grupo de Pokémon devem os mostrar no tamanho comum, até por encontrar um ser relevante o suficiente para que os treinadores queiram participar. Sendo assim, acredito que, como Golurk, os demais seguirão a ideia de serem cerca de duas vezes o tamanho original.

Certo, mas como surge uma reide e por quê? Devo admitir que no caso do Lugia, se pararmos para pensar, foi muito vago. Simplesmente, o Lendário surgiu em uma esfera de nuvens escuras, essas vindas de uma tempestade, de onde eclodiu direto para o confronto. Em contrapartida, com Golurk houve todo um contexto, pois era guardado e preparado como um mecanismo de defesa, então, faz sentido que estivesse adormecido em forma de um ovo especial até que sua presença fosse necessária. Contudo, nesse segundo caso, mais pareceu que o Goh e o Ash transformaram a situação em uma reide do que ela realmente ser uma.

Desse ponto, surge uma dúvida: então, qual das duas formas realmente é a da reide padrão do anime? Por enquanto, seria soberba minha concluir o funcionamento por completo, mas creio que esses eventos serão como a de Golurk mesmo. Julgo até ser mais interessante tanto em termos de história, como de ser mais compreensível e crível para os telespectadores, ou seja, faz mais sentido um Pokémon surgir assim. Mas, ainda poderiam haver no estilo de Lugia se tratando de Lendários ou Míticos.

Outra mudança do anime é que apenas um dos participantes pode capturar o Pokémon. Sobre isso, não há motivos para reclamar, pois, diferente dos jogos, cada treinador não tem um Pokémon no seu aparelho, é um só à frente de todos. Porém, isso gerou discussões por Pikachu e Dragonite terem sido os Pokémon que aparentemente causaram maior dano ao Golurk, mas Goh foi mais rápido e capturou o titã. Isso leva muitos a crerem que será uma prática frequente o Ash não conseguir pegar o monstrinho derrotado, até por em outro episódio ter sido dito que um garoto batalha e o outro captura.

Esse problema nem vai tanto para o Ash, apesar de ser chato seus Pokémon se esforçaram em vão. Se fosse outro treinador a causar dano e o protagonista capturasse, muitos iriam comemorar, então, sejamos justos. A maior questão é o mérito do Goh, além de isso certamente dar a ele fortes monstrinhos, os quais, por não gostar de batalhas, não serão bem aproveitados, sobretudo os Lendários. Exceto se atribuir uma função alternativa a eles.

Para além, existe a questão da conveniência. O Colovari só captura shiny, a Keira é uma aventureira que só queria saber quem era o titã e o chefe da escavação também parecia mais interessado na descoberta, apesar de que para ele seria mais interessante ter o Golurk como uma relíquia das ruínas. Enfim, acerca disso, o legal seria um maior esforço e desempenho do Goh, pelo menos para as reides, não precisa ser para confrontos quaisquer.


CONCLUSÃO

As reides no anime foram bem adaptadas, mas ainda precisam ser melhor explicadas. Ao que tudo indica, a quantidade de participantes é livre, sobretudo por ser um evento aberto. Podem ser previstas por meio de cálculos e estudos, mas o Rotom Phone deve atuar como um facilitador e importante informante. Os Pokémon que surgem nela são variados e extremamente fortes, além de terem o seu tamanho aumentado, com exceção dos Lendários.

Ainda não se sabe como será a aparição de todos, mas pode-se imaginar que os Lendários e Míticos surgem de uma forma mais mística, no caso, sem muita explicação, como foi com o Lugia; e os Pokémon comum ganhem uma maior justificativa, igual como foi com Golurk.

Sobre as críticas negativas quanto à participação do Goh nas reides, acredito que a maioria das capturas feitas nelas serão dele, mas se for um pouco mais trabalhado a sua performance nas batalhas, isso pode ser facilmente resolvido. Claro, vez ou outra o Ash poderia capturar também, pois pareceria menos injusto. Contudo, como só ocorreram duas até então, vale a pena esperar e observar se não farão justamente isso.


Leia Também:

Sobre Ersj
19 anos, Recife-PE, tem Pokémon como a sua franquia preferida desde os 7 anos. Sua mídia favorita é o anime, seguida dos jogos da saga principal e de Pokémon Go. Ama livros e séries, principalmente de fantasia; os filmes que mais assiste são animações, e “Imagine Dragons” é a banda pela qual tem maior apreço. Seu Pokémon predileto é o Pikachu e seu maior sonho é se tornar um escritor.
E-mail: ersj@pokemothim.net

10 comentários:

  1. Johnny Edwin Da Cunha Cruz07/05/2020 13:51

    O Go pode ter pego esse totem golurk, mas não teve dragonite, gengar e riolu, como também nunca terá um mítico ou lendário. Espero que o Go não pegue outros pokémons poderosos, como milotic, absol e zoroark, já que esses seriam mais úteis nas mãos do Ash, por ele está competindo no torneio mundial.

    ResponderExcluir
  2. Também acho que eles seriam mais úteis nas mãos do Ash, mas acredito que o Goh continuará a pegar alguns Pokémon muito fortes. Se ele não arrumar nenhum papel para eles, infelizmente isso será bem "desempolgante".

    ResponderExcluir
  3. Francisco Eller07/05/2020 16:39

    verdade e esta muito legal esta serie

    ResponderExcluir
  4. Francisco Eller07/05/2020 16:42

    https://media1.giphy.com/media/WqdVYq4gXNVGbNLnir/giphy.gif

    ResponderExcluir
  5. isaiasalmeida18oficial07/05/2020 16:45

    como assim
    Scorbunny ele não tinha evoluindo
    que episódio é esse?

    ResponderExcluir
  6. Johnny Edwin Da Cunha Cruz07/05/2020 17:05

    Esse foi o episódio 14. Ele evoluiu no 17.

    ResponderExcluir
  7. Está mesmo! Obrigado pelo comentário! ^-^

    ResponderExcluir
  8. Essa é uma análise sobre o episódio 14, a evolução ocorre apenas no 17. :)

    ResponderExcluir
  9. Foi bem legal essa mecânica no anime. Só espero que tenha meritocracia nas próximas.

    ResponderExcluir
  10. Sim!! E sim também. kkkk
    Obrigado pelo comentário! ^-^

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar