logo

Pokémothim

Pocket Monsters: Sem Sentido, mas com Referência!


Olá, Thunders!

Quem aí não ficou um pouco confuso com o episódio 26? Junte-se aqui para ver algumas curiosidades a serem pontudas sobre esse episódio tão diferenciado.



RESUMO

No esconderijo da Equipe Rocket, o quarteto está entediado sem receber ordem alguma, por isso decide chamar Pelipper para que treine. Quando ele chega, os vilões tiram duas Pokébolas da máquina de bolinhas, das quais saem Magikarp e Slowking, "Pokémon reais", por em japonês o nome do primeiro ser Koiking (rei carpa). Ao ir ver seus movimentos nos bilhetes, James se impressiona com o que lê e anuncia que o episódio da vez será duplo "Splash! Magikarp" e "Coroe-se! Slowking".

O primeiro minisódio começa com os protagonistas assistindo a um vídeo sobre o décimo "Torneio de Salto em Altura de Magikarp", apresentado pelo Kasuking, dono de um Magikarp brilhante chamado de Goldking e vencedor de todas as nove anteriores realizações do evento. Goh revela querer participar e ganhar com seu Magikarp, o qual engordou para, seguindo as dicas do Kasuking que também é um treinador de músculos, o fortificar e trincar o seu abdômen. O peixe do garoto se anima para treinar ao ver o Goldking com o abdômen trincado, sob o olhar de reprovação de Raboot.

Durante alguns dias, o treino é feito com um saco de pancada, um Boldore, um contador de saltos altos, rolamentos e até momentos de lágrimas e quase desistência. Porém, o resultado surge e o Lorde consegue ficar com o abdômen trincado. Daí, no torneio, já é a semifinal, na qual Goh enfrenta o vice-campeão do ano anterior e o derrota, com seu Magikarp batendo o recorde de pulo. Por outro lado, Goldking vence com facilidade o adversário e faz Kasuking ir para a final.

Kasuking tenta intimidar Goh, antes de a final começar, dizendo que seu Pokémon estava contendo as forças e irá com tudo. Entretanto, o do garoto revela estar usando pesos na barbatana e os solta, sendo eles pesados o suficiente para machucar as costas de um dos Machamp que tentaram os tirar da área. Na hora do pulo, somente Goldking salta, com o Lorde reunindo energia para somente depois fazer isso, de modo que sobe tão rápido que faz o adversário cair rodando e desmaiar, enquanto ele segue até o espaço e começa a vagar por lá. Como o Magikarp do Goh não voltou e o resultado só é dado após o pouso, Kasuking é decretado como o campeão. Então, Ash narra o desfecho triste do amigo e sorri para a "câmera".

O cenário muda para uma ilha cheia de Slowpoke, onde os protagonistas chegam, iniciando o segundo minisódio. Enquanto toca uma música sobre os Pokémon, os heróis andam e os observam. Ash resolve comer uma espécie de macarrão instantâneo, enquanto Goh decide capturar um Slowpoke, mas muda de ideia ao ver um Slowking com uma tigela de macarrão (talvez ramen) se aproximar. Após saber sobre a inteligência dele e ver como ocorre a evolução para essa forma ou para Slowbro, dependendo de onde Shellder morder, o garoto de Vermilion decide pegá-lo primeiro. Porém, por meio do ataque Psíquico, a Pokébola é devolvida para a mão do treinador.

Slowking se mostra interessado na comida de Ash, que o permite provar e, depois disso, fica apaixonado pelo sabor, o que o leva a trocar o Shellder em sua cabeça pelo copo de macarrão do garoto de Pallet. Com o Pokémon mordendo a sua cabeça, o garoto começa a falar formalmente e se denomina como Ashking, o Mestre Slowpoke. Goh tenta pegar a "coroa" para fazer o amigo voltar ao normal, não conseguindo facilmente e apelando para o Chute Duplo do Raboot. Para ajudar, Pikachu tenta acertar o Choque do Trovão, mas os afetados são os Slowpoke, já que seu treinador desvia.

Os Slowpoke demoram para sentir a dor, mas, quando ocorre, Ash os acalma com um discurso de paz. Ele, então, pega um Shellder para transformar Goh em um Slowbro, mas o garoto se recusa e dá um sinal para que Raboot aproveite a distração e acerte o Chute Duplo. Eles conseguem, mas a "coroa-Shellder" cai sobre a cabeça de Goh, fazendo-o se tornar o Gohking e querer capturar todos os Slowpoke. Novamente, o inicial evoluído acerta o movimento, dessa vez fazendo Shellder cair sobre Pikachu, que, após um choque, faz Raboot ser o novo alvo. Assim, se inicia um ciclo, com a coroa passando entre cada um deles novamente.

Após terminar de comer, Slowking põe o copo na cabeça e observa o que está acontecendo entre os garotos, até que Magikarp volta do espaço e cai como um meteoro, fazendo Shellder e o copo de macarrão trocarem de lugar com o impacto da queda. Assim, Ash e Goh veem que o Pokémon do segundo voltou e se prendeu à cabeça do Slowking, fazendo a ilha dos Slowpoke recuperar a normalidade. De volta ao esconderijo da Equipe Rocket, a mesma situação de tédio do início se repete, mas, dessa vez, ao invés de Pelipper surgir, quem aparece para visitá-los é o Kasuking, o que faz James bater a porta na sua cara.


DEBATE

Sobre as grandes inspirações por trás do episódio, pode-se dizer que foram o jogo "Pokémon: Magikarp Jump", para primeira parte, e a música "The Slowpoke Song", para a segunda. Como o jogo estava completando aniversário, faz bastante sentido que tenham decidido criar um episódio em homenagem, até pela temática da atual temporada do anime, que explora um pouco sobre cada Pokémon. E, como Slowpoke é um Pokémon muito conhecido por sua personalidade mais boba e por ser um meme entre os fãs da franquia, juntá-lo a esse episódio mais descontraído e aproveitar a música divertida foi uma ótima ideia.

O destaque no Kasuking também foi bem interessante, até por ter sido inspirado em uma pessoa real e muito dele realmente ter sido extraído para o personagem. Não fez nenhum grande feito ou algo que o deixasse tão marcante na jornada dos heróis, mas esse não era seu papel, apenas fazer algumas graças e acho que cumpriu bem o propósito no episódio. Por outro lado, outro personagem que brilhou, apesar de ter tido menos relevância, foi Raboot e suas expressões faciais, que simplesmente me definiram assistindo a esses mini-episódios.

Algo que levou a muita discussão entre os fãs foi a aparição de um Boldore no Laboratória Sakuragi. Se Goh não tem esse Pokémon, seria o do Ash? Nada impede de realmente ser, porém, não é algo confirmado, por isso também não se pode afirmar com certeza. "Ah, mas como um Boldore apareceria lá se não fosse de nenhum deles"? Da mesma forma que um Magikarp ficou flutuando no espaço, o episódio não seguiu uma lógica. Mostrar um Pokémon presente no próprio jogo "Pokémon: Magikarp Jump" faz sentido para a falta de sentido. Isso sem contar que, depois de tantos pedidos para Ash rever seus Pokémon, trazer um de volta desse jeito, sem que nem haja uma interação entre eles, seria muito desrespeito com os fãs e com o próprio Pokémon que não vê o treinador há certo tempo.

Falando sobre falta de sentido, isso aconteceu em diversas partes do episódio. Claro, existe uma justificativa, faz parte do humor aplicado nele. Enquanto, por exemplo, no episódio de Skwovet era um humor mais natural, por ser de se esperar que os Pokémon saíssem de controle se estivessem com fome, nesse foi um mais forçado e bobo, sem sentido. Primeiramente, Magikarp usar naturalmente um peso que nem mesmo conseguia ser carregado por um único Machamp, ainda sendo difícil por dois, foi muito inverossímil, mesmo se tratando de um maior para espécie. Isso sem falar em sobreviver no espaço sem que fosse um Pokémon adaptado a ele.

Também teve o caso do Slowking, que não regrediu para a forma de Slowpoke ao tirar o Shellder da cabeça, um padrão antes colocado pelo próprio anime. Inclusive, depois que perdeu a "coroa", evitaram mostrá-lo por algum motivo, mas dava para notar não ter mudado de estágio. Nesse assunto, ainda se puxa a não necessidade da Pedra do Rei para ele evoluir, algo obrigatório para os jogos e até no anime, pelo que foi ensinado no episódio "A Coroação". Mas, o pior, em minha opinião, foi Ash e Goh aceitarem que Magikarp se foi. Seguindo a personalidades deles, se não o segundo, pelo menos o primeiro faria de tudo para recuperar o Pokémon do amigo, ao invés de simplesmente aceitar. Como disse, há uma explicação por trás, era um episódio sem comprometimento com qualquer lógica, mas, particularmente, ainda me incomodo quando se há fuga da ideia criada dentro do próprio universo.

Por outro lado, existiram muitas referências divertidas. Além de tudo envolvendo o próprio Kasuking e as inspirações já citadas para o episódio, houve a aparição da Diantha na revista lida pela Jessie; uma variedade de Pokébolas do James, que é conhecido como um colecionador; os brinquedos de Meowth e Wobbuffet, os quais tinham elementos de Alola, até possivelmente as poses dos bonequinhos referenciaram personagens da época; e a imitação do James e da Jessie do que Ash e Goh fazem antes de mostrar a prévia do próximo episódio. Ainda que simples, foram elementos muito divertidos e que enriquecem e tornam mais fluida a animação. Ademais, a quebra da quarta parede é um elemento muito apreciado e que esteve presente também.


CONCLUSÃO

Foi um episódio rico em referências! Os pequenos detalhes, as adaptações do jogo e da música, tudo foi bem representado e tornou divertido para os que gostam desses conteúdos, "Pokémon: Magikarp Jump" e "The Slowpoke Song". O caso de Boldore é impossível de se ter certeza, mas prefiro acreditar que não é o do Ash, pois seria muito ruim não haver uma interação entre eles e iniciar recuperações de Pokémon de qualquer modo. E a caracterização do Kasuking foi outro ponto que acredito ter sido positivo, ainda que possa não ser um personagem muito relevante para a trajetória dos heróis.

Como esse tipo de humor mais bobo e sem sentido não me atrai, não gostei muito do episódio como um todo, mas há quem goste, por isso é apenas uma opinião minha. Raboot foi a representação perfeita da minha reação a tudo o que estava acontecendo. Porém, o que realmente me incomodou foi quando começaram a fazer coisas que, independente do tipo de humor, descaracterizava o próprio universo e personagens, como os pesos exagerados do Magikarp do Goh em relação aos Machamp, a não regressão de Slowking e a rápida aceitação dos protagonistas quanto ao fim de Magikarp. Então, diga-me você, o que achou desse episódio? Também se sentiu um pouco confuso e agoniado ou conseguiu dar umas boas risadas?


Leia Também:
Pocket Monsters: A Comunidade do Parque Sakuragi!
Pocket Monsters: O Desinteresse por Capturas do Ash!
Pocket Monsters: A Mega Pedra do Ash!
Sobre Ersj
19 anos, Recife-PE, tem Pokémon como a sua franquia preferida desde os 7 anos. Sua mídia favorita é o anime, seguida dos jogos da saga principal e de Pokémon Go. Ama livros e séries, principalmente de fantasia; os filmes que mais assiste são animações, e “Imagine Dragons” é a banda pela qual tem maior apreço. Seu Pokémon predileto é o Pikachu e seu maior sonho é se tornar um escritor.
E-mail: ersj@pokemothim.net

15 comentários:

  1. Fernando Alves05/07/2020 10:30

    Que hrs sai o ep 27?

    ResponderExcluir
  2. Davi Baptista05/07/2020 12:20

    https://media3.giphy.com/media/cQNRp4QA8z7B6/giphy.gif

    ResponderExcluir
  3. O episódio geralmente sai legendado durante a noite. Pode variar entre 16 e 23 horas. :)
    Geralmente, quando é um episódio mais "bombástico", costuma sair cedo, mas nada garantido. Contamos com a sua paciência. ^-^

    ResponderExcluir
  4. Fernando Alves05/07/2020 12:53

    Ok muito obrigado

    ResponderExcluir
  5. Foi um ep muito bizarro. Estilo anime Danshi Koukousei no Nichijou e outros. Dá para dizer que é um filler.
    O Boldore é selvagem.

    ResponderExcluir
  6. Também acho!
    Obrigado pelo comentário! ^-^

    ResponderExcluir
  7. Ricardo Dos Santos05/07/2020 18:40

    A parte do peso foi claramente uma inspiração no Goku de Dragon Ball Z. Ele usava pesos nas roupas para treinar. Tem episódios que ele mostra que ele retira esses pesos aumentando a distância dos pulos que ele dá.

    ResponderExcluir
  8. Eu me lembrei disso também. kkkkk Eu não acho que é uma inspiração, pois isso do peso existe em mais conteúdos além de Dragon Ball, mas realmente a primeira coisa que pensei foi nos pesos do Goku ou até quando Piccolo tira a sua capa, que também é um peso.
    Agradeço pelo comentário! :D

    ResponderExcluir
  9. enzorodrigues05/07/2020 19:20

    cara por que os comentários são tudo misturado eu clico num artigo pra lé e tem comentário dos ep do anime junto

    ResponderExcluir
  10. O post dos episódios é um só, e nós atualizamos esse post toda semana com o episódio novo. Por isso os comentários dos episódios anteriores também aparecem. Mas se você prestar atenção, vai ver que os comentários mais recentes aparecem primeiro.

    ResponderExcluir
  11. onde posso assistir?

    ResponderExcluir
  12. Na pasta dos episódios legendados da atual temporada:
    https://drive.google.com/drive/folders/15ly-0t4ffcFm0zo9msteOYkxAh3uHM-C

    ResponderExcluir
  13. Ciro Marcolino10/07/2020 22:52

    A inspiração do Kasuking é o comediante Toshiaki Kasuga, que co-apresenta programas de variedades na tv e na rádio japonesa, Ele aparece ocasionalmente no programa Pokenchi.

    Aliás, já faz um tempo que várias pessoas do Pokenchi fizeram pontas em personagens do anime, achei que isso tinha ficado só na Série Sol e Lua, mas continua.

    Abareru-kun, Ootani Rinka, Hyadain, Sunshine Ikezaki e Nicorun são alguns que participaram em Sol e Lua.

    ResponderExcluir
  14. Oh, tirando a parte de todas as pessoas do Pokenchi, eu até sabia dessas informações, mas evitei desenvolver para a postagem não ficar ainda maior do que já costuma ser. Ainda assim, agradeço por deixar todas essas informações complementares nos comentários! ^-^

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar