logo

Pokémothim

Pocket Monsters: Os Mewtwo do Anime e a Conexão com o Ash!


Olá, Thunders!

Mewtwo finalmente estreou "abertamente" no anime, pelo menos no que diz respeito aos episódios, e com isso a dúvida sobre a quantidade dessa espécie que existe no Mundo Pokémon foi recuperada. Afinal, o Mewtwo mostrado em Kanto e o mostrado em Unova realmente são o mesmo? Qual deles retornou? E ele e Ash deveriam ou não se lembrar um do outro? Convido-os a acompanharem a análise e acabarem com essas dúvidas!


RESUMO

Após uma introdução feita pelo Professor Cerejeira ao Mundo Pokémon, é contado que Mew tem os genes de todos os demais Pokémon e que acreditam ter detectado a sua energia psíquica. Goh se anima com a possibilidade de encontrar o Mítico. Em seguida, o narrador apresenta os protagonistas como assistentes especiais, os garotos demonstram interesse em ver o Pokémon e Cerejeira mostra que comprou duas passagens de barco para eles, enquanto Chloe destaca como Mew é a inspiração de Goh desde que se conheceram no acampamento Pokémon. O garoto diz ser mais do que uma inspiração, um alvo, mas sua amiga é lembrada da escola e se apressa para não se atrasar. Ao ser questionado sobre a localização do Mítico, Chrysa afirma que a única massa de terra existente onde a energia psíquica foi detectada é a isolada Ilha Cello, e Ren complementa que o que afasta as pessoas são os penhascos íngremes que a cercam. Dessa forma, Ash e Goh partem de barco em direção ao local.

Assim que chegam à ilha, os garotos correm apressados por um desfiladeiro para acharem Mew. Sem saber por onde seguir, Goh decide usar o seu sensor especial que coleta dados do Mítico para captar a sua energia psíquica. Como não funciona, Ash se apressa para que procurem pela vasta floresta, descendo o penhasco onde estavam. Assim, encontram uma grande árvore, na qual acham Butterfree, Pidgey, Spearow e alguns Mankey. Ao serem atacados por um dos macaquinhos lutadores, Goh o captura, mas os demais se irritam com isso e perseguem os garotos até um pântano com areia movediça, na qual Ash fica preso. Seu amigo consegue escapar antes de ter o mesmo destino e solta Heracross para salvar o treinador de Pallet, lançando-o para fora da água lamacenta. Por fim, Sobble usa o Revólver d'Água para limpar o garoto sujo. 

Para que atravesse o pântano, Goh tem a ideia de usar seu Caterpie, que utiliza o Estilingada e cria uma corda entre duas árvores. Com isso, os garotos se apoiam no "fio" e vão o usando como tirolesa para chegar ao outro lado. No meio do percurso, um Kingler sai do pântano e tenta pegar Goh, seguido por um Krabby que é imediatamente capturado pelo garoto, mas os heróis chegam ao outro lado em segurança. Após isso, quando encontram um rio, Ash utiliza as pedras como ponte, mas quase é atacado por um Gyarados raivoso que surge no caminho. Goh tenta capturá-lo, mas o Pokémon escapada da Poké Bola e investe novamente. Para pará-lo, Pikachu usa a Teia Elétrica, dando tempo para que o treinador de Vermilion comece a atravessar o rio. Porém, Gyarados se solta e os derruba na água com um ataque.

Goh solta Dewgong para que Ash e ele se segurem no Pokémon, pouco antes de Pikachu mostrar que se dirigem para uma cachoeira. O Pokémon aquático até tenta ir contra a corrente, mas não consegue, por isso é colocando novamente na Poké Bola, enquanto os garotos caem pela queda-d'água e apagam. Ao acordarem, os protagonistas se veem fora da água e presenciam a chegada de alguns Pokémon no local: 2 Mareep, Mudbray, Patrat, Buneary, Skiddo e Skitty. Contudo, as criaturinhas fogem ao notarem a presença de humanos, sendo seguidas pelo garotos, até que chegam a um altar no meio de uma árvore gigante. Nesse local, Mewtwo levita em direção ao chão, questionando os heróis sobre o motivo de estarem ali.

Goh se impressiona com a fala do Pokémon à sua frente, deduzindo que se trata de telepatia, e Ash demonstra conhecê-lo, perguntando se foi ele quem os salvou e agradecendo antes mesmo de receber uma resposta. O garoto de Vermilion observa que, apesar de maior que Mew, o Lendário possui uma vibração semelhante a dele. Pegando o seu sensor, ele percebe que há uma reação, perguntando se o Mítico está por perto e revelando que irá pegá-lo quando o achar, por seu sonho ser capturar todos os Pokémon para chegar ao Mew. Ao ser questionado sobre a lógica do seu desejo, Goh explica que capturar é um a forma de se aprender sobre os Pokémon, e, entendendo todos, torna-se possível alcançar aquele que tem todos os genes. Assim, para a surpresa de Ash, seu amigo decide que irá capturar Mewtwo, o qual avisa que foi criado para ser o Pokémon mais forte do mundo. O garoto de Pallet pede para batalhar contra ele como forma de avançar em seu sonho de ser um Mestre Pokémon, e o Lendário aceita o desafio dos dois.

Cinderace e Pikachu são escolhidos para o confronto e o iniciam respectivamente com o Chute Labareda e a Cauda de Ferro. Contudo, ambos são parados pelo controle Psíquico do adversário e jogados em seus treinadores. Em uma nova estratégia de ataque, Pikachu investe com o Ataque Rápido, criando uma distração ao ser parado por Mewtwo, o que faz Cinderace acertar por cima o Chute Labareda. O roedor, então, utiliza o Choque do Trovão, mas seu golpe é dominado por uma Bola Sombria, a qual também o atinge e o joga na parede de pedra. Ash o pega antes que caísse no chão e pede para que descanse, substituindo-o por Lucario.

Voltando ao combate, Cinderace utiliza a Bola Incendiária e Lucario a Aura Esférica, mas os dois ataques são desfeitos por duas Bolas Sombrias, as quais jogam a dupla na parede. No entanto, mostram-se determinados a continuar, por isso uma nova investida é feita em direção ao Lendário, dessa vez com o Ataque Rápido do inicial do Goh e o Time Duplo do Pokémon do Ash, que aproveita a tentativa de Mewtwo de parar Cinderace para atacar por cima com a Palma da Força. Porém, ambos são novamente lançados para trás. Não satisfeitos, tentam acertar o Chute Labareda e a Reversão, agora parados pelas próprias mãos do Lendário, que bate seus corpos um no outro e os joga com a cauda para cima dos seus treinadores. 

Mewtwo pergunta se os oponentes já acabaram, enquanto Pikachu se mostra melhor e vai para o lado dos garotos. Os heróis se certificam de que seus parceiros conseguem continuar e prosseguem com a batalha, com Cinderace preparando uma enorme Bola Incendiária e Lucario criando seus clones com o Time Duplo para formarem um círculo ao redor do oponente e lançarem a Aura Esférica. A combinação de golpes atinge o Lendário e causa uma explosão acompanhada de uma forte ventania, porém, todos percebem que ele havia se protegido através da Barreira. Revidando o poderoso golpe, Mewtwo cria uma Bola Sombria gigante e lança em direção aos heróis. Sem poderem escapar; Ash, Goh, Cinderace, Lucario e Pikachu são atingidos e caem derrotados próximos à árvore, sendo a poeira levantada acima das montanhas.

Vitorioso, Mewtwo vai até os humanos e diz que o mundo é vasto e existem muitos Pokémon que nem sequer imaginam, por isso pergunta se continuarão com os seus sonhos. Ao ouvir que sim por terem o apoio dos seus Pokémon, o Lendário observa os fortes vínculos que os garotos criaram com as criaturinhas e destaca que nem todos fazem isso, enquanto os Pokémon que acompanham Mewtwo vão até os protagonistas para brincar. Por essa fala, Ash entende que humanos já machucaram aquelas criaturinhas, e Goh deduz que o Lendário resgata Pokémon feridos. Com isso, Mewtwo afirma que aquele não é um local para humanos frequentarem, mas admite que fazia tempo que não tinha se divertido daquela forma. Assim, levita seus protegidos até ele e se prepara para partir, deixando claro que os heróis são frágeis, fugazes e imaturos, mas isso que os faz terem um potencial infinito, e a jornada deles apenas começou. 

De noite, os protagonistas e seus parceiros acordam em um gramado sob o céu estrelado. Os dois destacam o quanto Mewtwo era forte e como ainda precisam evoluir bastante, mas logo percebem que estão de frente para o Laboratório Cerejeira, com o garoto de Pallet cogitando que o Lendário que os deixou ali. Em seguida, veem uma estrela cadente passar acima deles, o que faz Ash dizer que espera reencontrar Mewtwo. Goh afirma que irão, por o futuro estar em suas mãos, mas seu amigo diz que está nas mãos deles. Chloe, Yamper, Cerejeira, Chrysa e Ren surgem para cumprimentar os treinadores e perguntar como foi a aventura e se acharam Mew. Os protagonistas se preparam para contar a história, enquanto o narrador reforça que eles continuam a correr atrás dos seus sonhos e Mew levita sobre o laboratório.

DEBATE

No primeiro longa-metragem da franquia, "Pokémon, o Filme: Mewtwo Conta-ataca", justamente onde Mewtwo teve o seu destaque, ao fim dos acontecimentos, o Lendário tirou a memória de todos os treinadores, por isso Ash não poderia se lembrar dele. Contudo, o filme recebeu um especial de continuação intitulado de "Pokémon: O Retorno de Mewtwo", no qual Mewtwo não somente reconhece Ash, como, dessa vez, não apaga as suas memórias. Portanto, sim, Ash e o Lendário se lembram um do outro. Ainda foi levantada a possibilidade de o remake "Pokémon, o Filme: Mewtwo Contra-ataca - Evolução" funcionar como uma continuidade retroativa, ou seja, a partir dessa nova versão do filme, seria como se o especial do retorno não fosse mais canônico. Contudo, no remake é mostrado o Lendário partindo para o Monte Quena, local onde se passou os eventos do especial, o que sugere que continua a ser canônico sim. 

É importante destacar que o Mewtwo do longa-metragem "Pokémon o Filme: Genesect e a Lenda Revelada" e do episódio especial que serviu como prólogo e o antecedeu é outro. A ideia original era que se tratasse do mesmo, no entanto, problemas envolvendo os direitos autorais do falecido Takeshi Shudo, escritor principal por trás da série original de Pokémon (o que inclui o primeiro filme), tornaram complicado que isso ocorresse. Outra prova de que se tratam de dois Mewtwo distintos são os movimentos, pois o que apareceu na atual série do anime tem os mesmos ataques que o do primeiro filme, enquanto o do filme de Unova possui outros e ainda uma Megaevolução. Isso sem considerar a falta de conexão entre ele e o passado do primeiro Mewtwo e a própria personalidade um pouco diferente.

Certo, entendido que, ao que tudo indica, os dois Mewtwo são diferentes e que o que apareceu em Jornadas é o do primeiro filme, por que isso teria ficado tão vago? O primeiro ponto que considero negativo é o fato de, no episódio, Mewtwo não ter demonstrado conhecer Ash em momento algum, era como se sua visão diante dele fosse a mesma que tinha do Goh, sendo que no "Pokémon: O Retorno de Mewtwo" o Pokémon parecia até ter desenvolvido uma admiração pelo herói. Pelo contrário, Ash demonstrou reconhecer o Lendário, mas de uma forma bem rasa e sem nenhuma menção direta, somente deixou claro ter conhecimento da sua existência assim que o viu, e Goh não foi atualizado sobre nada. Outro ponto negativo foi que, apesar de continuar com o papel de protetor, não ficou nem um pouco claro o que houve com os outros Pokémon clonados que eram protegidos por Mewtwo, algo que o próprio Ash deveria ter se perguntado. No fim das contas, nesse quesito de continuidade, acredito que o único ponto positivo foi o episódio funcionar como uma nova prova para a tão contestada canonicidade dos filmes em relação aos episódios.

Aproveitando que o destaque é Mewtwo, em termos de força e referências sem ser à continuidade, a sua participação foi magnífica. Para começar, foi a primeira vez que apareceu em um episódio sem ser com o seu rosto escondido, as exceções haviam sido os especiais e filmes; a sua descida do topo da árvore foi uma bela referência ao primeiro filme; e os Pokémon que o acompanham atualmente referenciam animais que foram clonados na vida real, assim como o próprio Mewtwo é um clone. Mais uma vez, o Lendário foi tratado como Pokémon mais forte do mundo, o próprio disse que foi criado com esse propósito, algo muito reforçado, mas que até hoje não é muito claro, já que, no campo dos jogos, outros Pokémon se mostram bem mais poderosos; e na própria história completa do Mundo Pokémon é curioso se perguntar se ele estaria acima de Arceus.

Seja o mais forte do mundo ou não, Mewtwo se mostrou como um Pokémon incrivelmente poderoso nesse episódio, fazendo jus ao título de Lendário, tanto que não sofreu nenhum dano e derrotou com enorme facilidade Ash e Goh. A batalha em si, apesar de rápida, teve muitos golpes trocados, algo que considero positivo; combinações visualmente bonitas e animadoras de ataques; e os próprios poderes utilizados foram animados de uma forma mais bonita e energizada. Minha única contestação é à derrota de Pikachu com um único golpe. É engraçado que as pessoas reclamam quando o mascote de franquia se mostra muito forte, sendo ele o Pokémon mais treinado do herói de Pallet, quando, na realidade, deveriam achar ruim o deixarem fraco vez ou outra só por conveniência do roteiro. Era mais fácil terem feito Ash escolher usar Lucario desde o início do que quererem mostrar que nem Pikachu foi pário para Mewtwo, enquanto Cinderace e Lucario aguentaram muito mais.

Para finalizar todas essas pontuações sobre a participação de Mewtwo, ao contrário das boas referências e da força muito bem mostrada, todo o ar mais questionador e filosófico do Pokémon pareceu ter sido jogado fora. Ele ainda mostrou ter os seus receios com a humanidade, mas os seus questionamentos mais complexos sobre a sua independência, liberdade e participação do mundo não foram mostrados. Pior, por ter aceitado o desafio do Goh de ser capturado, se Mewtwo não conseguisse se mostrar tão forte como se gabou, teria sido simplesmente colocado em uma Poké Bola e o discurso dele de autonomia iria ainda mais por água abaixo. Então, nesse quesito, acho que o anime pecou bastante ao trazer esse Pokémon cheio de camadas a serem trabalhadas e o tratar como um encontro qualquer, exceto pela força.

A reafirmação de o Mew ter todos os genes dos Pokémon e o questionamento de Mewtwo sobre a lógica de se capturar todas as criaturinhas para se chegar ao Mítico foi muito pertinente, até para que os próprios fãs consigam entender melhor o objetivo do Goh. Particularmente, só por Mew ter o gene dos outros Pokémon, ainda não me faz sentido que entender todos seja um forma de o garoto capturá-lo, até por o Mítico ter as suas características próprias, somente imita a fisionomia dos demais. Entretanto, acredito que o anime usará esse conhecimento de forma sábia e com sentido, ou pelo menos espero, quando Goh concluir todas as suas capturas.

Outros elementos muito interessantes do episódio foram a introdução semelhante às aberturas dos filmes, inclusive reapresentando Ash e Goh e dando mais impacto à grandeza do episódio pela participação lendária de Mewtwo; o sensor especial que Goh usava quando menor ter sido trazido de volta, além de ser muito legal quando leva diferentes Pokémon para o ajudar em suas aventuras, dessa vez: Caterpie, Dewgong e Heracross; e a Ilha Cello como possível referência à Faraway Island (Ilha Distante), mostrada em Pokémon Emerald e o único habitat conhecido de Mew nos jogos da saga principal.

 

CONCLUSÃO

Ao que tudo indica, existem pelo menos dois Mewtwo no anime, um que protagonizou o primeiro filme e o seu remake, que por conta do especial Ash se lembra dele; e o que apareceu em Unova, com ataques e personalidade diferentes e acesso à Megaevolução. Desses, foi o primeiro quem retornou ao anime; reforçando a canonicidade dos filmes, mostrando seu rosto pela primeira vez em um episódio, trazendo referências pela sua entrada igual ao do primeiro filme e os Pokémon que cuidava baseados em animais clonados e provando o quanto é poderoso, sobretudo por vencer os dois protagonistas sem nenhum esforço em uma batalha muito bonita e bem construída. 

Goh teve o seu sonho explicado novamente, fez novas capturas e foi visto usando mais dos seus Pokémon, o que é sempre bom para os desenvolver um pouco mais; houve um abertura do episódio semelhante às dos filmes, outro detalhe bom; e a Ilha Cello pode ter sido uma possível referência à Ilha Distante, único lar conhecido de Mew nos jogos. De negativo, Ash demonstrou conhecer Mewtwo, mas não foi correspondido e nem falaram sobre, muito menos Goh pôde saber mais sobre aquele Pokémon, somente partiu para a batalha; os Pokémon clonados do primeiro filme simplesmente foram tirados sem nenhum bom motivo, igual como toda a complexidade reflexiva que envolvia o Lendário que os liderava; e a participação de Pikachu foi péssima, sendo derrotado com um ataque só para Lucario ter um motivo para entrar em seu lugar.

A participação de Mewtwo supriu as suas expectativas? Gostou da sua interação com Ash e até com o próprio Goh? Seria mesmo ele o mais forte de todos os Pokémon? Por favor, deixem as suas opiniões! 


Leia Também:

Sobre Ersj
anos, Recife-PE, tem Pokémon como a sua franquia preferida desde os 7 anos. Sua mídia favorita é o anime, seguida dos jogos da saga principal e de Pokémon Go. Ama livros e séries, principalmente de fantasia; os filmes que mais assiste são animações, e “Imagine Dragons” é a banda pela qual tem maior apreço. Seu Pokémon predileto é o Pikachu e seu maior sonho é se tornar um escritor.
E-mail: ersj@pokemothim.net

8 comentários:

  1. Mateus Cosme25/02/2021 15:44

    Sê avaliar só com base nos meus sentimentos o episódio foi bom, é sempre bom ver o mewtwo, mas não deixa de ter falhas, como o fato do mewtwo só aparecer depois de 10 minutos de episódio, foi muito corrido, o fato do Ash ter uma interação de poucos segundos em relação ao passado ( basicamente só dizer o nome do mewtwo) é ruim, os episódios de jornadas com participação de lendários são basicamente os roteiristas tentando fazer o protagonismo meio a meio entre o Ash e o Goh, ou só dando destaque para o Goh, sei que o objetivo do Ash não é pegar todos os pokemons mas tem certos lendários que na minha opinião quando aparecem o episódio deveria dar mais destaque na relação do Ash com eles, tipo o mewtwo, ou mesmo o sonho de todo mundo nessa temporada a Latias, que sê com 1% de chance do Ash pegar no futuro, teria 100% de chance do Goh pegar um latios para "equilibrar"o que eu não gostaria, nunca perdoarei os roteiristas caso um episódio de latias ou meloetta não seja pelo menos 70 ou 80% de destaque para o Ash.
    Voltando ao mewtwo, tenho que dizer que amo fanservice, mas os de jornadas são aparecer por aparecer no final das contas, sem quase ter qualquer interação sobre o passado, como foi o Mewtwo e a Korrina, ou seja um episódio bom, mas só mais um episódio jogado, as vezes jornadas me passam a sensação de ver um Cartoon, onde por mais que os episódios se enquadram em uma linha do tempo progressiva, é como se os episódios não tem muita ligação.
    Em relação a batalha, ataques bonitos, coreografia nem tanto, e foi corrida, como todas batalhas de jornadas.
    Só para deixar claro, já que talvez pelos meus comentários achem que não gosto de jornadas, mas eu realmente gosto de jornadas, eu amo todas as séries de Pokémon uma mais e outras menos, só que o modelo de jornadas não é o que eu mais gostei, além do fato do Ash de jornadas ser uma piada, o tratamento dele é surreal sabe, e isso não tem nada há ver com o Goh em si, o Ash é meu personagem favorito, mas não sei o que ele tá fazendo em jornadas, sinceramente, acho que fugi do assunto mas é isso kkkk

    ResponderExcluir
  2. Luis Eduardo Treve Nunes25/02/2021 18:15

    Gostei desse episódio

    ResponderExcluir
  3. Que ótimo! Obrigado por comentar! ^-^

    ResponderExcluir
  4. É engraçado, esses dias mencionei isso com os meus amigos aqui do site. Em específico um deles chegou a denominar os episódios de Lendários em Jornadas, com exceção do arco de Sword & Shield, como grandes "fillers". E eu acho interessante de ser pensado dessa forma porque, na lógica, os episódios com Lendários deveriam ser de extrema importância para a trama, mas não é assim que vem acontecendo. Particularmente, tirando o Mewtwo, estou achando os Lendários tratados de forma bem mais banal, em termos de força, se comparado a como eram retratados nos filmes ou até nas participações antigas nos episódios. Em Sol & Lua, que é recente, os Tapu's, Solgaleo, Lunala e Necrozma pareciam ser muito mais poderosos se comparados aos Pokémon comuns de Alola.
    E isso que falou do foco para o Goh, mesmo quando deveria ser para o Ash, acontece de forma muito inconveniente. Ash só ganha foco se tiver a ver com batalha ou algum episódio mais voltado para um Pokémon dele, não tem uma trama mais externa que envolva o personagem como frequentemente acontece com o Goh. Para mim, o pior de tudo foi no episódio de Alola, que começou como um episódio do Ash, mas acabou que virou um episódio muito mais centrado no Goh, no seu sonho e em como ele é diferente do Ash. Sendo que a cada cinco ou dez episódios, esse vira um tema em foco. Esse ep do Mewtwo mesmo reforçou muito a ideia do sonho do Goh de novo, o do Ash foi só pincelado. Então, eu gostaria muito de episódios com Lendários voltados também para o Ash, mas acho bem dificíl, já que nem o reencontro com os amigos de Alola foi assim. O próprio Suicune teve toda uma ligação construída com o personagem em Johto, tanto que no filme 4 eles trabalharam juntos. Não esperava que Ash o capturasse, mas que talvez se envolvesse mais com o Pokémon e, bem, pareceu que isso nem fez diferença... Por isso, nem sei se fariam Meloetta ter maior proximidade com ele do que com o Goh. Talvez Latias tenha mais chance por fazer parte de uma dupla, e poderem fazer Goh se aproximar do Latios, mas só por isso, de resto, parece que não ligam muito para a construção do laço entre Ash e alguns Lendários/Míticos.
    Acho que Jornadas e Cartoon é a comparação perfeita. Inclusive, acredito que a ideia era justamente essa, enquadrar o anime nesse estilo de desenho que tem estado tão em foco atualmente. Devo confessar que prefiro animações com cronologias mais claras e continuidade direta, mas se tem dado certo para eles, a minha opinião não conta muito. Rsrsrs
    É... Eu amei a batalha, mas a achei corrida também. E, como você disse, assim como as demais de Jornadas. A batalha de Ash contra Korrina mesmo, apesar de os fãs exaltarem, eu não consigo gostar de tão corrida que foi.
    Entendo você. kkkk Até compartilho da sua opinião. Gosto de Jornadas, mas acho que os erros não compensam os acertos. E Ash é o meu personagem favorito de todos, por isso vê-lo dessa forma tem sido bem chato, principalmente por acompanhar tantos anos o desenvolvimento do personagem. Estive lá comemorando o primeiro beijo dele, chorando pela sua vitória na Liga Alola e, agora, tenho estado um pouco mais afastado do personagem que admiro tanto. No fim das contas, talvez preferisse que o anime tivesse seguido sem o Ash do que colocá-lo como protagonista duplo sem dar a ele um destaque equivalente ao Goh. Mas, enfim, isso é tema para uma futura postagem que há meses prometo. Além de que já escrevi demais. kkkk
    Agradeço imensamente por deixar a sua opinião!!! ^-^

    ResponderExcluir
  5. Mateus Cosme27/02/2021 01:15

    Obrigado vc por sempre responder! Em relação a lendários eles estão realmente banalizados atualmente, o que no anime não era antes, diferente dos jogos.
    E isso cai em alguns pensamentos relacionadas ao Goh, eu gosto dele como pessoa e acho ele divertido, mas para mim o objetivo de capturar todos os pokemons no anime é completamente sem noção; é como ignorar tudo que já foi feito, um ou outro mítico ou lendário como o caso do Tobias e outros personagens é uma coisa, mas completar a dex já é outra completamente diferente, sinceramente espero que eles não toquem em nenhum lendário dos trios principais, pq a gente já viu o quão poderosos eles são, por isso eu realmente esperava que o mewtwo fizesse o Goh pelo menos dar uma repensada no seu objetivo, mas não ocorreu.
    Em relação ao Ash eu também gosto muito dele, ele é como um "amigo de infância", então entre ele sair do anime por cima e amadurecer, era melhor do que deixar ele de lado do jeito que está em jornadas, um "acompanhante" do protagonista ou alívio cômico na maioria das vezes.
    Em relação a batalhas, como eu já devo ter dito já que falo demais kkkk, é que são decepcionantes; por exemplo XY nessa altura do campeonato a gente estava na batalha do ginásio de grama sê eu não me engano, e todas as que tiverem até ali (ep 56 mais ou menos) foram boas, já jornadas mesmo onde deveria ter sido incríveis como Ash vs Bea não foi, pelo menos na minha opinião.
    Assim eu cheguei à uma conclusão, eu gosto de jornadas, mas como ele por ele, pq a partir do momento que eu comparar com as séries anteriores eu vou perceber que o modelo de jornadas para mim não funiciona tanto quanto as regiões passadas, então sê eu fosse fazer um rank de séries receio que jornadas não ficaria tão alto, tipo, jornadas tem coisas que eu amo, como a equipe do Ash, mas ao mesmo tempo uma equipe onde para desenvolver um, os outros 5 cinco precisam sumir durante isso, não me anima sabe , é como sê em vez de desenvolver uma equipe, eles desenvolvem um Pokémon aleatório por vez, não passa senso de união e continuidade.
    No final das contas é continuar assistindo para ver onde jornadas vai parar e tentar sê divertir, já que nossa opinião não muda nada né kkkkk
    Um relacionamento com a franquia Pokémon é cheio de felicidade mas ao mesmo tempo um relacionamento "abusivo", onde sua opinião não conta, vc continua vendo os pontos negativos e torce para mudar e ao mesmo tempo tenta pelo menos aproveita os positivos kkkkk

    ResponderExcluir
  6. Não há de quê, é um prazer. Afinal, a parte mais opinativa eu chamo de "debate" ao invés de "análise" justamente por a ideia ser troca de opiniões, sejam elas parecidas ou não com as minhas. Então, comentários sempre me animam bastante. Rsrsrs
    Pois é. Sobre isso dos Lendários, talvez até cite na análise do ep do Suicune, mas, por exemplo, a gente no passado teve um Ash que não queria que Eusine o capturasse. Ele literalmente tentou impedir o Eusine por se tratar de um Pokémon Lendário. Daí, em Jornadas, simplesmente aceita que Goh capture porque quer batalhar com eles também. Eu entendo o que as pessoas dizem de "novos tempos, essas coisas precisam ser deixadas para trás". Mas, "essas coisas" vieram até Sol & Lua, falta uma explicação dentro da história para a mudança de visão do Ash e a própria ideia de Lendários capturados dento do anime. Também achei que Mewtwo talvez trouxesse uma questão do tipo, mas não foi o caso. Além de toda essa ideia de Lendários livres na natureza, Goh ter Lendários, como já tem acontecido, vai fazer muitos fãs, principalmente os mais novos, acharem ele mais forte que o Ash. Na teoria, não tem problema um outro protagonista ser mais forte, mas quando se vende o anime dizendo que Ash é das batalhas e Goh das capturas, fazer o Goh ter Pokémon que para uma parcela de fãs torna ele mais poderoso em batalhas é complicado, ao meu ver.
    Justamente! Tanto para a questão do Ash como para as batalhas. Até na tão criticada Alola já tinham acontecido batalhas melhores desenvolvidas, não necessariamente em questão de força, como as lutas contra Hala e Olívia.
    A questão da equipe é exatamente essa. Lucario era foco, está dando espaço para o Farfetch'd. Talvez o próximo seja Dracovish? O desenvolvimento de um por vez é legal para aquele Pokémon ter destaque, mas meio que quebra a sinergia entre os Pokémon e apaga os demais enquanto aquele específico está sendo treinado.
    Você tem razão, moço. Sendo que acho que o apoio também conta muito. Se a grande maioria criticasse, talvez surtisse mais efeito. Porém, como tem essa divisão, os que estão incomodados e os que estão achando Jornadas uma série perfeita, é difícil que haja qualquer mudança. :/

    ResponderExcluir
  7. Mateus Cosme27/02/2021 19:15

    Em certo sentido jornadas sê tornou uma série mais complexa que Bw ou sun and moon, as opiniões são muito diversas e contrárias.

    ResponderExcluir
  8. É verdade. kkkk O pior é que eu nem sei se posso rir dessa conclusão. :')

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após ser aprovado pela moderação.
Agradecemos a sua participação!

A Pokémothim com a sua cara!

Personalize do seu jeito!

Temas

Padrão

Fechar